ÚLTIMAS NOTÍCIAS:

Motociclista fica ferido e perde sangue em colisão com veículo nas proximidades da Feira Livre

Mototaxista colide frontalmente com Van escolar no Bairro Urbis 2

Brumado: MP instaura Inquérito Civil Público para apurar possíveis irregularidades no Concurso Público e no REDA

Cirurgião geral na Clínica Master com Dr. Pedro Thiébaut

Moradores da Rua Odílio Meira Santos na Baraúnas no limite; 'é lama, ratos, poeira e abandono', protestam

Brumado: Dia `D´ da Campanha contra a Raiva acontecerá no sábado (02) de setembro

Deputado Prisco acusa SSP de grampear desembargadores do TJ-BA

Brumado: Baixe o aplicativo da Viação Catarino e facilite o seu transporte

Bahia: Estado tem 744 espécies de plantas consideradas em extinção; exploração é proibida

Brumado: Festa da Luz acontecerá dia 23 de setembro

Promoção Imperdível: Casa Da Tapioca em Sua Mesa

Vereador Glaudson Dias busca junto ao Executivo a instalação de semáforo, rotatória e lombofaixas na região da Praça Heráclito Cardoso

Crime na BA-262: Inquérito está em fase final e possível tentativa de homicídio deverá ser elucidada pela Polícia Civil

Legislativo brumadense participa de importante encontro de vereadores em Livramento

Brumado: Coletiva de imprensa irá tratar do bloqueio até o momento dos repasses da SUDESB aos clubes; ação no MP é cogitada

Condeúba: Gari cai e caminhão de coleta de lixo passa por cima das pernas

Brumadense é presa com drogas no terminal rodoviário da cidade de Caetité

Projeto de Lei de autoria do vereador Zé Ribeiro institui o Dia do Maçom em Brumado

Brumado: Operação conjunta da Polícia e Embasa desmonta esquema de ligações clandestinas na região da Fazenda Santa Inês

Polícia Civil identifica detento morto na noite desta segunda (21) em saída temporária do Dia dos Pais



BUSCA PELA CATEGORIA "Polícia"

Casa caiu: Febre no Nordeste, bancas online ilegais 'quebram' e apostadores ficam 'a ver navios'

(Foto: Reprodução)

A 13ª rodada do Campeonato Brasileiro sequer acabou, e milhares de torcedores Nordeste afora já viveram momentos de intensa euforia e profunda tristeza. Isso porque uma série de sites e bancas ilegais de apostas esportivas — que viraram febre em vários estados da região desde o ano passado — simplesmente “quebraram” após os resultados da Série A de quarta-feira (12). Logo que os jogos acabaram, começaram a circular nas redes sociais fotos de cartões vitoriosos de apostas acumuladas — aquelas em que o apostador marca vários possíveis resultados e só ganha o dinheiro se todos eles acontecerem como previsto. A improvável combinação das cotações de todos os visitantes pagava entre mil e 2.200 vezes o valor apostado, mas foi o que aconteceu: Bahia, Santos, Botafogo, Corinthians, Cruzeiro e Vasco venceram. Tão rapidamente quanto as manifestações de alegria dos apostadores, porém, áudios de supostos cambistas e operadores das bancas se disseminaram pelo WhatsApp. O tom era quase fúnebre.

“Pessoal, não adianta me ligar, me pressionar, mandar mensagem. Já entrei em contato com o dono da banca e ele falou que é impossível pagar. O prejuízo é milionário. Não vai ter condição de pagar. E vocês sabem que é jogo ilegal. Não adianta ir para a Justiça, não adianta fazer nada. Fechou a tampa do caixão”, diz um dos operadores. “Vocês podem ter certeza: nenhuma banca vai pagar isso. A gente vai ver se faz um acordo para não deixar todo mundo desamparado. Esse jogo acabou hoje. É falência pra todo mundo”, afirma outro funcionário das bancas ilegais. Apostas esportivas são consideradas jogo de azar no Brasil, o que impede que os sites sejam cadastrados no país. Muitas páginas, entretanto, são registradas aqui, mas em nome de laranjas. Outros empresários do setor optam por driblar a legislação por meio de cambistas que usam tablets e maquininhas de impressão em pontos físicos e de maneira ambulante, oferecendo as apostas em bares e de porta em porta. Os envolvidos em apostas ilegais podem ser indiciados por crimes como lavagem de dinheiro, gestão fraudulenta, sonegação fiscal, evasão de divisas e funcionamento de instituição financeira sem autorização do Banco Central, em crimes contra a ordem econômica, tributária e contra as relações de consumo. Menos de 24 horas após o início da confusão, parte dos sites de aposta “underground” começaram a admitir seus prejuízos e pedir paciência aos jogadores. O site Marjosports, sediado no Brasil e registrado em nome de “Jurema Vinte e Nove da Silva”, publicou em sua página inicial um pedido de desculpas. “Prezados, neste dia 12/07 tivemos a maior premiação de nossa história. Algo tão grande que não pudemos prever e, por consequente (sic), não pudemos nos preparar antecipadamente. Mas queremos deixar claro nosso compromisso com você que sabe da nossa credibilidade, e que honraremos todos os nossos compromissos, como sempre fizemos nestes anos que estamos juntos”, diz o texto. Em texto semelhante, a banca Chuto Forte, cadastrado no sistema nacional em nome de “Thiago de Luna Campos”, afirma que entrará em contato com os ganhadores “para o posterior agendamento das datas”. Outro site, intitulado BetGol777 e registrado fora do Brasil, afirma que vai parcelar o pagamento dos créditos dos apostadores. “A Bet Gol 777 assume desde já o compromisso de honrar todos os débitos na condição de parcelamento, iniciando com 10% (dez por cento) do valor do prêmio, com programação de quitar todos os valores em dez vezes”, afirma o comunicado. A febre de apostas esportivas gerou todo um mercado clandestino. No YouTube, por exemplo, programadores de tecnologia da informação que vendem seus serviços para eventuais investidores no ramo ilegal. Em anúncios às claras, os profissionais oferecem o sistema pronto de impressão dos “pules”, com códigos exclusivos de cada bilhete e sistema de segurança para evitar falsificações. Em abril deste ano, a Polícia Civil do Ceará (PC-CE) deflagrou a Operação O Jogo Não Acabou, que fechou uma casa de apostas na cidade do Crato. Na ocasião, os policiais prenderam um homem em flagrante por contravenção penal e apreenderam materiais de apostas ligadas aos sites “Bets 69”, “Bets 99”, “Bets Cariri” e “Bets Nordeste”. Estes dois últimos já não operam mais, mas as duas primeiras bancas, sediadas fora do Brasil, continuam funcionando. Na ocasião, a PC-CE informou que pediria ao Ministério Público Federal (MPF) a imediata retirada do ar dos sites de apostas. // Metro1.

CONTINUE LENDO


15 custodiados da DT de Brumado são transferidos para o Conjunto Penal de Vitória da Conquista após tentativas de fuga

Foto: 97NEWS

Na manhã desta quinta-feira (13), uma grande operação foi montada pela Polícia Civil para realização da transferência de 15 presos, custodiados da Delegacia Territorial de Brumado, para o Presídio em Vitória da Conquista. A operação contou com a participação de agentes de Brumado e região, que bem armados realizaram com êxito o objetivo. A transferência dos custodiados foi autorizada pelo Juiz da Vara Criminal da Comarca de Brumado, por meio de Mandado Judicial, após o Delegado Titular da DT de Brumado, Dr. Leonardo Soares, informar ao magistrado a possibilidade real de fugas na carceragem da delegacia local. De acordo com a decisão, a autoridade policial informou que os detentos tentaram fugir várias vezes. E ainda segundo o documento, essa situação colocava em risco não só a vida daqueles que ali trabalham, como a de todos os detentos. Após a retirada dos presos da carceragem, uma minuciosa revista foi realizada pela Polícia Militar. Mesmo com a transferência, o local ainda abriga outros quinze detentos. Após as duas últimas tentativas de fuga, a polícia constatou que os detentos danificaram algumas vigas no teto da carceragem. Segundo o delegado, Dr. Samuel Bruno, que também acompanhou a transferência, os detentos que permanecem na carceragem são de comarcas que estão sem juízes e por isso ainda não foram realizadas outras transferências. A expectativa é de que, nos próximos dias, todos os presos sejam transferidos.



Projeto autoriza posse de arma para moradores da zona rural

Projeto de Lei do Senado 224/2017 modifica o Estatuto do Desarmamento (Lei nº 10.826/2003) para incluir uma nova condição para autorizar a posse de armas de uso permitido: a residência na zona rural. De autoria do senador Wilder Morais (PP-GO), o projeto aguarda a designação de relator na Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ) do Senado. De acordo com o projeto, terão direito à posse de arma as pessoas residentes na zona rural maiores de 21 anos que satisfaçam as mesmas exigências já presentes nos incisos I a III do parágrafo 5º do artigo 6º do Estatuto do Desarmamento, que trata do porte de armas para o morador de área rural que também é caçador de subsistência. Ou seja, deve apresentar documento de identificação pessoal, comprovar morar em área rural e ter bons antecedentes. A diferença principal está no fato de que, atualmente, na lei, o porte é permitido apenas aos maiores de 25 anos que comprovarem a necessidade da arma para a caça, enquanto o projeto tem o objetivo de permitir a posse (não o porte) de arma para maiores de 21 anos pelo fato de residirem em área rural, independente de precisar ou não da arma para garantir a subsistência alimentar. De acordo com o autor do PLS 224/2017, em geral as áreas rurais do país estão distantes dos postos policiais, o que deixa seus moradores vulneráveis a ataques de criminosos e animais silvestres. O senador afirma, na justificação do projeto, considerar que o morador do campo  “encontra-se desassistido pelas forças de segurança em tempo hábil para preservar a sua integridade física e moral, o que demanda a atuação do Estado no sentido de assegurar seu direito à autodefesa”. Wilder Morais argumenta ainda que o Estatuto do Desarmamento, apesar de já estar em vigor desde a década de 2000, não conseguiu reduzir o número de mortes causadas por armas de fogo, de modo que não se poderia “estabelecer uma relação de causalidade entre o número de armas de fogo em posse de civis e o número total de homicídios”.



Escândalo: Em conversa grampeada, senador põe gabinete à disposição de prostitutas

Com influência no meio político, grupo alicia garotas no Sul e as convence a pagar até R$ 900 por semana para ficar em imóveis na capital (Fotos: Reprodução)

A Polícia Civil do Distrito Federal investiga uma rede de prostituição interestadual que se alastrou por áreas nobres do Distrito Federal e tem influência para circular com desenvoltura por gabinetes de clientes poderosos. Diálogos gravados por meio de interceptações telefônicas, e que agora integram inquérito aberto pela 3ª Delegacia de Polícia (Cruzeiro), revelaram a aproximação de cafetões e parlamentares da Câmara dos Deputados e do Senado Federal. Um dos políticos chegou a colocar parte de sua equipe, paga com dinheiro público, à disposição de uma das garotas de programa. A apuração conta com dezenas de horas de gravações feitas com autorização judicial e investiga a conexão entre agenciadores do DF e do Sul do país. O cafetão, de Porto Alegre, costuma utilizar as garotas de programa como uma espécie de “cartão de visita” para se aproximar dos políticos. Em duas interceptações telefônicas, os investigadores flagraram o agenciador conversando com dois deputados federais (um de São Paulo e outro do Rio de Janeiro) e um senador (eleito pela Região Norte). O integrante do Senado demonstra bastante intimidade com o cafetão e a prostituta, que chega a trocar algumas palavras com o político pelo telefone. Durante a conversa com a garota de programa, o senador coloca seu gabinete à disposição para ajudá-la no que for preciso até que ela se estabeleça na cidade. A mulher agradece e diz que pretende fazer faculdade no DF e se firmar. O político insiste em encontrá-la assim que ela desembarcar em Brasília. Os nomes dos parlamentares estão sendo mantidos em sigilo pela polícia para não atrapalhar a investigação. Os agentes destacam que eles não eram alvo das gravações, mas sim o cafetão. E causou surpresa o conteúdo das conversas. Como os senadores e deputados têm foro privilegiado, será necessária autorização do Supremo Tribunal Federal (STF) para investigá-los. O agenciador do Rio Grande do Sul, que costuma viajar constantemente para o DF, foi monitorado pela Polícia Civil durante a negociação de programas sexuais. Os policiais descobriram que o homem chegou a usar a própria mulher – com quem tem dois filhos – como garota de programa. A teia de captação, segundo as apurações policiais, começa em boates e casas noturnas no interior do Rio Grande do Sul, em cidades como Canoas. Jovens que estão em dificuldade financeira e faturando pouco com o mercado da prostituição são cooptadas por um dos cafetões do grupo que age no DF. O homem promete passagens aéreas, hospedagem e uma carteira de clientes. As mulheres também ganham espaço em um site adulto, para veicular anúncios e vídeos. // Metropoles.

(Fotos: Reprodução)


Malhada de Pedras: Ex-prefeito 'Ceará' continua foragido; prisão pode acontecer a qualquer momento

O ex-prefeito Ceará pode voltar à prisão a qualquer momento (Foto: Luciano Santos | 97NEWS)

O 'upgrade' que vem sendo feito na Justiça do Brasil, onde até ex-presidente é condenado em primeira instância pela Justiça, como ocorreu ontem (12) com Lula (PT) e, hoje, com o atual presidente Michel Temer (PMDB) que está passando por uma avaliação na CCJ do Senado, sobre possíveis crimes de corrupção ativa e passiva e formação de quadrilha, vem promovendo um clima de forte transformação e de resgate da seriedade de um país que se encontra num momento muito delicado, onde, infelizmente, a impunidade vinha imperando. Nesse novo cenário, políticos que lesam o erário público estão na alça de mira da Justiça e, esse é o caso do ex-prefeito de Malhada de Pedras, Valdecir Alves Bezerra, o "Ceará" que ficou confinado por meses numa cela fria do presídio em Vitória da Conquista, conseguindo a sua liberdade por meio de uma fiança fixada em R$ 150 mil em 11 de março de 2017. Ele que foi recebido com festa por seus correligionários e simpatizantes, agora, deverá voltar para atrás das grades, já que uma nova decisão da justiça publicada nesta terça-feira (11) decretou a prisão preventiva do ex-prefeito. O clima na cidade continua de forte apreensão, pois é dada como certa a prisão a qualquer momento, mesmo "Ceará" estando foragido. Há rumores que ele tenha saído do estado, para que os seus advogados possam conseguir o relaxamento da prisão, que pelos indícios, foi dada pelo fato da fiança não ter sido paga. Vários membros do seu governo estão sendo ouvidos (alguns já penalisados inclusive) pela Polícia Federal que está dando continuidade à Operação Vigilante que promete novos e estrondos desdobramentos que poderão respingar até sobre a atual gestão municipal. Confira a decisão abaixo: 

(Reprodução TRF1)


Ministério Público Federal pede nova prisão de Geddel

(Foto: Reprodução)

Um dia após o Tribunal Regional Federal da Primeira Região (TRF-1) autorizar a saída de Geddel Vieira Lima da Papuda, o Ministério Púbico Federal pede nova prisão preventiva contra o ex-ministro de Michel Temer. Para os procuradores Anselmo Lopes e Sara Moreira Leite, novos elementos colhidos na investigação mostram que Geddel cometeu os crimes de exploração de prestígio e tentou embaraçar às investigações. Os procuradores se baseiam nos depoimento do corretor Lúcio Bolonha Funaro e de sua esposa, Raquel Pitta. Os dois detalharam os contatos feitos pelo ex-ministro. Segundo o MPF, em depoimento, Funaro afirmou que Geddel "alegou exercer influência criminosa sobre o Poder Judiciário da União". O corretor narrou à PF que, após a realização de sua audiência de custódia, Geddel mandou mensagem via "WhatsApp" reclamando da troca de advogado de Funaro e disse que, com a entrada da nova defensora, tinha "ficado ruim para o juiz". No entendimento do MPF, a revelação de Funaro mostra que Geddel tentava monitorar o ânimo do corretor em fazer possível colaboração premiada e também alegava, perante ele e sua família, exercer (direta ou indiretamente) influência sobre decisões que interessariam à defesa do corretor, nos processos relacionados à Operação Sépsis, na qual este último é réu. "Observa-se, assim, que Geddel, ao protestar contra a troca do patrono de Funaro, insinua ter a capacidade de influenciar decisões do Poder Judiciário, agindo como verdadeiro vendedor de 'fumaça', indicando, inclusive, que teria, com a troca de advogados, 'ficado ruim para o Juiz", afirma o MPF. Ainda de acordo com o MPF, o "Juiz" citado por Geddel "deve ser entendido como magistrado, ou seja, membro do Poder Judiciário." "Assim, não se sabe ao certo, nesse possível contexto de tráfico de influência aplicado ao Poder Judiciário (no caso, possível conduta penal de exploração de prestígio), a qual magistrado Geddel Vieira Lima invocava exercer influência: se a magistrado da 10ª Vara Federal, se a magistrado que compõe a Turma Julgadora de processos das Operações Sépsis e Cui Bono no Tribunal Regional Federal da 1ª Região (TRF1), ou, ainda se a magistrados de Cortes Superiores", completam os procuradores.



Brumadense é preso acusado de tráfico de drogas em Ibicoara, Chapada Diamantina

Foto: Divulgação l Polícia Civil

Deflagrada na última segunda-feira (10) após intensa investigação, uma operação onde resultou na prisão de um brumadense identificado como Charles Alves Paixão, que atuava no distrito de Cascavel na cidade de Ibicoara. Investigações levaram a polícia até o "Bar Jardineira" no Bairro Renascer, onde seria um ponto de drogas, constatado o fato, os policiais verificaram que havia uma movimentação estranha e quando entrou no estabelecimento, após vistorias foi verificado que havia drogas escondida debaixo da cerâmica, vassouras e no telhado. Segundo o delegado responsável pela operação, o detido, preso em flagrante, está sendo acusado de tráfico de drogas. Durante a operação, a polícia apreendeu grande quantidade de drogas. Entre elas, 437 papelotes de Cocaína, 204 pedras de Crack, 7 buchas de Maconha,  R $ 1.134 em espécie, R $ 245,96 em moedas, recibos e anotações de depósitos bancários. No local havia até um sistema de monitoramento de filmagem para ver quem entrava e saia do estabelecimento. Após o material ser encontrado, Charles confessou ser o proprietário dos entorpecentes. O mesmo foi preso em flagrante e encaminhado à delegacia local.



Violência: Bahia registra 17 mortes de policiais civis e militares em sete meses

Foto: Conteúdo l 97News

Dezessete policiais, entre civis e militares, foram mortos na Bahia de janeiro a julho de 2017, segundo dados divulgados pela Secretaria de Segurança Pública do estado (SSP-BA). A maioria das vítimas é formada por PMs. Dos 17 mortos, 14 foram militares e 3 foram civis. O maior número de casos ocorreu no interior do estado. As ocorrêncais na capital baiana somam 5, enquanto na região metropolitana somam 2. Durante todo o ano de 2016, a SSP registrou 24 mortes de policiais na Bahia. O número computado até pouco mais da metade deste ano já representa 70,8% dos casos ocorridos no ano passado. Das mortes de policiais registradas em 2016, 13 foram em Salvador, duas nas cidades próximas a Salvador e nove no interior. A assessoria de comunicação da Secretearia informou que não disponibiliza os dados por cidade -- apenas por região. Com relação aos crimes registrados até agora em 2017, a SSP-BA informou que 13 casos já foram elucidados, com 13 inquéritos remetidos à Justiça. Dos suspeitos de envolvimento nesses crimes, nove foram presos e oito mortos em confrontos com policiais. Dos 24 crimes registrados em 2016, 21 foram elucidados. No mesmo ano, 26 pessoas suspeitas de envolvimento nas mortes de agentes foram presas e 14 morreram em confronto. Os dados relativos a policiais que foram baleados esse ano mas que conseguiram sobreviver não foram divulgados pela secretaria. A SSP disse, em nota, que as investigações de crimes cometidos contra policiais são conduzidas por uma "Força-Tarefa" que trata exclusivamente desses casos. Com relação aos registros desse ano que ainda não tiveram um desfecho, o órgão informou que continua investigando e que os crimes já possuem autorias definidas e mandados de prisão solicitados à Justiça. A SSP ressaltou, ainda, que realiza constantes investimentos em capacitação, promovidos pelas instituições policiais com o objetivo de preparar os policiais para o que chamou de "adversidades e os riscos da profissão".



Violência: Jovem de 21 anos é assassinada a tiros por criminosos de moto quando voltava da escola

Tainá Apolinário Soares, 21 anos, foi abordada por dois homens em uma moto e alvejada com 04 disparos de arma de fogo. O crime aconteceu por volta das 21h45 (Fotos: Itiruçu OnLine)

Uma jovem foi morta a tiros na noite desta terça-feira (11), em Itiruçu, no Bairro Roberto D’ Gregório, popular Agarradinho. De acordo com informações colhidas no local pela equipe do Itiruçu Online (único veículo de imprensa a ter ido ao local), Tainá Apolinário Soares, 21 anos, foi abordada por dois homens em uma moto e alvejada com 04 disparos de arma de fogo. O crime aconteceu por volta das 21h45. A Unidade médica do Hospital Pedro Pimentel Ribeiro foi acionada e esteve no local, mas a vítima não tinha mais sinais vitais. Acionada, a Polícia Militar permanece no local onde aguarda a chegada da política técnica, que deve periciar o local. O corpo será levado ao IML e posteriormente devolvido aos familiares para sepultamento. A motivação do crime será investigada pela Polícia. Os homens, que não foram identificados, fugiram em uma moto logo após o crime. // Itiruçu Onlinee.



Tecnologia: Robô chama a polícia ao ver homem batendo em namorada; ele foi preso

Foto: Reprodução

Uma assistente pessoal digital da Amazon chamou a polícia enquanto um homem batia e ameaçava sua namorada de morte nesta segunda-feira (10) no Novo México. De acordo com informações do G1, Eduardo Barros, de 28 anos, discutia com sua namorada por achar que ela o estava traindo. Barros teria sacado uma arma e perguntado se sua namorada teria chamado os policiais. A assistente pessoal, semelhante à Google Home e HomePod, entendeu a frase como uma ordem e ligou para os policiais. Barros teria ficado mais violento ao perceber que a polícia teria ligado para o celular de sua namorada. Ele, então, teria a jogado no chão e dado uma dezena de chutes no rosto e estômago dela. Uma equipe da Swat foi encaminhada ao local e libertou a namorada e sua filha.



Neto é preso suspeito de roubar R$ 6 mil do avó para pagar divida de droga em Livramento de Nossa Senhora

Foto: Divulgação l Polícia Civil

Um homem de 29 anos foi preso na tarde desta segunda-feira (10) suspeito de assaltar a loja de um idoso de 76 anos - ele é neto da vítima. O idoso foi abordado dentro da loja, e teve que passar todo o dinheiro que estava no cofre durante o assalto, cerca de R$ 6 mil. De acordo com a Polícia Civil, os policiais chegaram até os suspeitos após analisarem as imagens do circuito interno de monitoramento - isso indicou que o autor do assalto seria uma pessoa que conhecia o acesso à loja e os valores do cofre. O suspeito conhecia o local - o que levantou a suspeita de ser um parente da vítima. Segundo parentes, ele é usuário de drogas. "Quando surgiu essa hipótese, vimos as imagens, e reconhecemos como um dos autores do assalto. Ele não teve mais como negar e confessou que efetuou o roubo para quitar uma dívida com um traficante de drogas", contou um parente. De acordo com o delegado, o rapaz combinou com o traficante toda operação, tanto que alugaram uma casa no centro da cidade para monitorar a vítima. O neto foi identificado como Gilberto da Silva Meira. Na casa alugada pelo traficante foi encontrada uma pequena quantidade de "maconha".

 

O assalto

 

Em depoimento, a vítima disse que, após roubar os R$ 6 mil, ele fugiu do local juntamente com o comparsa que estava lhe esperando do lado de fora em uma moto. Após identificar o piloto da motocicleta nas imagens, a Polícia prendeu em flagrante, Gilberto (neto da vítima). Já os supostos comparsas dele, identificados por “Bananinha de Caetité” e o outro como Alberto Teixeira de Matos (Beto), conseguiram fugir do local antes que a polícia chegasse. A polícia também apreendeu a motocicleta utilizada no crime. Gilberto foi conduzido até a Delegacia de Livramento, e está a disposição da justiça.



Blogueiro de Itambé escapa do 'golpe do carro quebrado'; saiba como identificar

A tentativa de extorsão foi logo percebida pelo blogueiro, que levou à frente a conversa para mostrar aos leitores como o golpe acontece (Imagem: Reprodução)

O telefone da sua casa toca, toca…, e você de maneira ingênua atende e acaba confundindo a voz do interlocutor que está do outro lado com a de algum parente ou amigo. Pronto era tudo que os golpistas queriam. O que vem a seguir é tentativa de extorsão. Aquela pessoa que você inicialmente confundiu como sendo um parente ou amigo, alega, que estava indo visitá-lo, e acabou envolvendo-se em acidente de trânsito em alguma rodovia, vai alegar que está machucado e encontra-se com a carteira de habilitação vencida e outras mentiras mais. Na tarde de hoje, terça-feira (11), o moderador do Blog Itambé Agora recebeu uma destas ligações de golpistas que tentaram lhe aplicar o “Golpe do acidente de carro”.  A tentativa de extorsão foi logo percebida pelo blogueiro, que levou à frente a conversa para mostrar aos leitores como o golpe acontece, para que se previnam e não sejam vítimas destes farsantes. O foi observado na ligação, originada do número (062-99851-6233) é que o golpe só vai à frente se a vítima se antecipar a falar o nome do parente, que ele imagina que seja, porque a partir daí, o golpista assume essa identidade. Acompanhe até o fim da gravação para que possa entender como funciona o golpe:

 


O que você pode fazer diante de uma situação esta:


1º Desligue o telefone, tente ligar para aquele parente ou algum familiar; Não faça qualquer tipo de depósito ou transferência bancária;


2º Não forneça nome completo, número de CPF ou RG;


3º Se a pessoa voltar a ligar e insistir, pergunte por exemplo o nome da sua tia, namorada ou esposa, se for verdade certamente a pessoa não irá responder errado.



4º Se foi informado que o acidente ocorreu em alguma rodovia, ligue para a Polícia Rodoviária ou administradora da rodovia e peça orientação.


6º Se tiver condições compre um telefone com identificador de chamadas e fique atento sempre que seu telefone tocar.

CONTINUE LENDO


Caculé: Filha é presa após descumprir medida protetiva em tentar matar a própria mãe

Foto: Aloísio Costa

A Polícia Militar de Caculé prendeu neste fim de semana, Adriana Gonçalves de Oliveira, de 27 anos. De acordo com a Polícia, a filha descumpriu uma medida protetiva e invadiu a residência da própria mãe e tentou matá-la. Adriana deveria manter-se afastada da residência da mãe, mas não cumpriu a determinação do Juiz e quebrou vários móveis. Com uma faca em mãos, Adriana tentou matar sua genitora de 56 anos. A mulher foi presa em flagrante e conduzida para a delegacia de Guanambi, onde ficará à disposição da justiça. 



Itapetinga: Identificados os dois adolescentes assassinados durante festa

Guilherme Dutra Almeira e Elivelton dos Santos, foram baleados e mortos em um sítio próximo ao perímetro urbano (Foto: Reprodução)

Dois adolescentes identificados como sendo Guilherme Dutra Almeira e Elivelton dos Santos, foram baleados e mortos durante evento realizando na noite desta sábado (8) no Sitio Bela Vista Mangabeira, localizado no Bairro Vila Érica. Os adolescentes não tiveram tempo para reação e morreram no local. O adolescente Guilherme pode ter sido alvejado por engano, ou mesmo por estar próximo ao adolescente alvo dos disparos. Assim que foram informados, de imediato Policiais da 8ª CIPM saíram em diligência até o local, porém o atirador já tinha evadido do local. Ainda não se sabe a motivação do crime. A policia foi acionada e esta trabalhando no levantamento de informações que possam ajudar a elucidar o homicídio. A pericia e o Instituto Médico Legal também foram acionados para recolher os corpos para o IML de Itapetinga. // Itapetinga 24Horas.



Geddel pede clemência e cai em prantos ao saber que continuará preso; veja

Preventiva é por prazo indeterminado. Assista a íntegra do depoimento do ex-ministro dos governos Lula, Dilma e Temer, preso na Operação Cui Bono, acusado de atrapalhar os trabalhos da Justiça. (Fotos

Ao final do depoimento de 1h23 minutos que deu ao juiz Vallisney de Souza Oliveira, titular da 10ª Vara da Justiça Federal do Distrito Federal, Geddel Vieira Lima caiu no choro ao ouvir que vai permanecer na prisão por tempo indeterminado. Vallisney não deu prazo para a saída de Geddel, mas disse que vai analisar o pedido de soltura novamente na próxima semana. Conhecido pela postura rígida, ele negou ainda a aplicação de medidas alternativas pedidas pela defesa de Geddel. Entre os apelos, os advogados solicitaram a prisão domiciliar e o uso de tornozeleira eletrônica. Ex-ministro dos governos Lula e Temer, Geddel foi preso em caráter preventivo na última segunda-feira (3), acusado de obstrução de justiça. Ele é suspeito de atrapalhar investigações da Operação Cui Bono, que apura supostos esquemas de fraudes na liberação de recursos da Caixa Econômica Federal. Assista a íntegra do depoimento de Geddel:

 



Operação Cui Bono: Juiz decide manter prisão preventiva de Geddel

Geddel Vieira Lima foi fotografado com o cabelo cortado, após ser preso (Foto: Reprodução)

O juiz federal Vallisney de Souza Oliveira, titular da 10ª Vara da Justiça Federal do Distrito Federal, manteve nesta quinta-feira (6) a prisão preventiva do ex-ministro Geddel Vieira Lima, preso na última segunda (3) em Salvador. Com a decisão, não há prazo para a saída de Geddel da prisão, mas Vallisney deverá voltar a analisar o pedido na semana que vem. O magistrado também negou a aplicação de medidas alternativas, como prisão domiciliar, uso de tornozeleira eletrônica e proibição de contato com outros investigados. Um dos aliados mais próximos do presidente Michel Temer e responsável pela articulação política do Palácio do Planalto até o fim do ano passado, Geddel foi preso por suspeita de atrapalhar investigações da Operação Cui Bono, que apura supostas fraudes na liberação de crédito da Caixa Econômica Federal. O juiz federal Vallisney de Souza Oliveira, titular da 10ª Vara da Justiça Federal do Distrito Federal, manteve nesta quinta-feira (6) a prisão preventiva do ex-ministro Geddel Vieira Lima, preso na última segunda (3) em Salvador. Com a decisão, não há prazo para a saída de Geddel da prisão, mas Vallisney deverá voltar a analisar o pedido na semana que vem. O magistrado também negou a aplicação de medidas alternativas, como prisão domiciliar, uso de tornozeleira eletrônica e proibição de contato com outros investigados. Um dos aliados mais próximos do presidente Michel Temer e responsável pela articulação política do Palácio do Planalto até o fim do ano passado, Geddel foi preso por suspeita de atrapalhar investigações da Operação Cui Bono, que apura supostas fraudes na liberação de crédito da Caixa Econômica Federal.

Ele foi vice-presidente de Pessoa Jurídica do banco entre 2011 e 2013, no governo Dilma Rousseff, e, de acordo com as investigações, manteve a influência sobre a instituição desde que Temer assumiu a Presidência em maio de 2016. Durante a audiência com o juiz Vallisney, a defesa de Geddel pediu a substituição da prisão preventiva por medidas alternativas. Questionado, ele se comprometeu a seguir todas as restrições e ordens da Justiça, incluindo comparecimento periódico e entrega de documentos e telefone celular com senha. Ele também negou as acusações de ter embaraçado as investigações. “Coopero com a Justiça, como sempre cooperei. Tudo que fiz ou deixe de fazer foi sob orientação de meus advogados. Tenho crença inabalável eu não tomei nenhuma atividade de longe interpretada como embaraço à Justiça ou às investigações”, disse. Ele estava preso desde terça (4) no presídio da Papuda, no Distrito Federal. Durante a audiência, Geddel confirmou ter falado por telefone com a mulher do doleiro Lúcio Funaro, Raquel Pitta, pelo menos 10 vezes no último ano. Uma das alegações do Ministério Público para a prisão de Geddel é que ele tentava impedir uma delação de Funaro, também investigado por suspeita de envolvimento nos desvios da Caixa. Geddel disse, no entanto, que tratava somente de assuntos de família com Pitta. “Em nenhum momento, fala de pressão, de sondagem sequer”, disse, negando que tinha interesse em saber se o doleiro iria fazer delação premiada. O juiz determinou que a polícia ouça em depoimento a mulher de Funaro e faça perícia no celular dela para saber se houve algum tipo de pressão para evitar a delação do doleiro e também para verificar se Geddel realmente ligou para ela. // G1.

CONTINUE LENDO


Brumado: Guardas municipais voltam a protestar contra a administração municipal; ‘depois desse maldito projeto voltamos no tempo’

O enfrentamento entre a GCM e a administração municipal se deu devido à polêmica envolvendo o PL 05 (Foto: Daniel Simurro | 97NEWS)

Diz o ditado popular que “o povo tem memória curta”, apesar disto ter uma base muito sólida, existe um outro também que diz “para toda a regra, existe a exceção”. Usando desta base axiomática, um novo episódio envolvendo a Guarda Municipal de Brumado trouxe à tona novamente a questão PL 05, que veio no bojo dos projetos polêmicos de autoria do Executivo Municipal e que tinha em seu escopo uma possível extinção da GCM. O novo fato ocorreu durante os festejos do São Pedro dos Olhos d’Água que aconteceu no último final de semana. O mote da questão foi um pronunciamento de um dos líderes da GCM que se disse indignado com a nova desfeita feita pela gestão, que, a princípio convocou os guardas municipais para atuarem no evento, mas que, sem maiores explicações, acabaram sendo dispensados do trabalho, já que uma equipe de seguranças particulares acabou sendo contratada. “Isso foi outra grande desfeita que foi feita com a Guarda Municipal, pois além de ficar mais caro para o município, deixou a todos desmotivados, pois estamos aqui para servir a população e acabamos sendo bloqueados para sermos substituídos por uma segurança particular” alegou um dos representantes da GCM que ainda subiu o tom ao disparar que “o prefeito vive dizendo que o cobertor é curto, mas acaba se contradizendo, pois garanto que a segurança particular saiu muito mais caro para os cofres municipais”. Ele aproveitou para alfinetar ao citar que “tivemos o reconhecimento da gestão do ex-prefeito Aguiberto, com vários avanços e conquistas, mas, agora, com esse maldito projeto, infelizmente, voltamos no tempo. Só nos resta lamentar essa falta de sensibilidade com a Guarda Municipal que poderia ser um importante instrumento para fortalecer a segurança pública do município, mas que está sendo colocada de lado e enviada para o vale do esquecimento”. 



Brumado: Empresa que faz o recolhimento dos animais denuncia que os mesmos estão sendo furtados na madrugada

O recolhimento vem sendo feito de forma sistemática pela empresa, mas, agora, os animais vêm sendo furtados e voltam às ruas (Foto: Luciano Santos | 97NEWS)

Possivelmente esse será mais um episódio da série “Têm coisas que só acontecem em Brumado”, pois, além do grande problema histórico dos animais soltos nas vias públicas, agora, após uma ação mais contundente para acabar com isso por parte do poder público municipal, surge uma nova situação, a qual é, no mínimo, incomum, já que, segundo denúncias da Lulog Transportes, empresa que vem fazendo o recolhimento dos animais, os mesmos, após serem enviados para o abrigo,  são furtados durante a madrugada pelos seus proprietários, o que faz com que a situação se torne um caso de polícia. Em contato com a nossa redação, o proprietário da empresa garantiu que “é um serviço complexo e lento, pois a captura de animais obedece uma série de requisitos” e continuou argumentando que “vale ressaltar que os animais são abandonados de forma proposital nas vias e, após os animais capturados e serem levados para o local onde ficam abrigados, estão sendo furtados pelos próprios donos”. Ele continua a sua narrativa dizendo que “na última semana, por exemplo, 8 animais foram furtados e soltos novamente nas ruas da cidade”. A empresa ainda se defende declarando que “a Lulog Transportes vem realizando incansáveis apreensões, mas, infelizmente, existem meliantes que vão durante a madrugada e furtam os animais, que acabam voltando para as ruas fazendo que o problema pareça interminável”.  A empresa disponibilizou um telefone para que a população possa denunciar quem abandonar os animais nas ruas:  (77) 9.9922-3494.

(Foto: Luciano Santos | 97NEWS)


Defesa de Geddel diz que provas para prisão são frágeis e que vai recorrer

(Foto: 97NEWS Conteúdo)

O advogado Gamil Föppel, que defende o ex-ministro Geddel Vieira Lima (PMDB), disse que a prisão do político baiano feita pela Polícia Federal na operação Cui Bono foi embasada em frágeis documentos. Em nova nota divulgada na tarde desta terça-feira (4), a defesa do presidente do PMDB na Bahia reiterou que a reclusão foi uma medida cautelar desnecessária. "Com efeito, a representação formulada pela autoridade policial se limitou a exercício de infundadas conjecturas, sem elementos concretos que pudessem lastrear as suas suposições, o que apenas evidencia a fragorosa falta dos pressupostos e requisitos autorizadores da prisão preventiva. Salienta-se, inclusive, que não foi produzido absolutamente nenhum elemento de prova novo, no bojo da denominada “Operação Cui Bono”, após os quase sete meses desde a sua deflagração", afirma o advogado, frisando que vai recorrer da decisão da Justiça Federal que determinou a prisão preventiva. Geddel foi preso por obstrução da Justiça após o doleiro Lúcio Funaro ter relatado que o peemedebista teria procurado sua esposa várias vezes para saber se havia disposição do ex-deputado Eduardo Cunha para fazer acordo de delação premiada.



Geddel é transferido da superintendência da PF em Brasília para o presídio da Papuda

Ex-ministro Geddel Vieira Lima desembarcou em Brasília na madrugada desta terça (4) com uma pequena mala e foi encaminhado para a carceragem da PF (Foto: Reprodução / TV Globo)

O ex-ministro Geddel Vieira Lima (PMDB-BA) foi transferido na tarde desta terça-feira (4) da superintendência da Polícia Federal (PF), em Brasília, para o Complexo Penitenciário da Papuda, localizada a 17 quilômetros do Palácio do Planalto, onde ele despachava até novembro do ano passado. O peemedebista vai ficar detido na ala para presidiários que têm curso superior, a mesma em que o ex-deputado e ex-assessor especial do Planalto Rodrigo Rocha Loures (PMDB-PR) ficou preso. Um dos aliados mais próximos do presidente Michel Temer e responsável pela articulação política do Palácio do Planalto até o fim do ano passado, Geddel foi preso nesta segunda-feira (3), em Salvador, por ordem do juiz Vallisney de Souza Oliveira, da 10ª Vara da Justiça Federal do Distrito Federal. Ele desembarcou em Brasília, em um avião da PF, no início da madrugada desta terça. Imediatamente, ele foi conduzido pelos policiais federais para a superintendência da Polícia Federal, onde passou a noite na carceragem. O peemedebista é suspeito de agir para atrapalhar investigações da Operação Cui Bono, que apura supostas fraudes na liberação de crédito da Caixa Econômica Federal – o ex-ministro foi vice-presidente de Pessoa Jurídica da instituição financeira entre 2011 e 2013, no governo Dilma Rousseff, e, de acordo com as investigações, manteve a influência sobre o banco público desde que Temer assumiu a Presidência em maio de 2016.  A investigação se concentra no período em que Geddel ocupou o cargo de vice-presidente da Caixa. À época, ele assumiu o cargo na cúpula do banco público por indicação do PMDB, que era sócio do PT no governo federal. A apuração do envolvimento de Geddel com as irregularidades cometidas na Caixa foi motivada por mensagens de texto registradas em um aparelho de telefone celular apreendido na casa do então deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ), que está preso em Curitiba pela Operação Lava Jato.