ÚLTIMAS NOTÍCIAS:

Bahia registra recorde na média móvel de casos de Covid-19

Brumado confirma a 47ª morte por conta do novo coronavírus

Caoa pode substituir Ford na fábrica de Camaçari, afirma coluna

Vacina negociada pelo Governo da Bahia é rejeitada pela Anvisa

Município de Brumado serviu como base de distribuição da Coronavac para microrregião

Brumado: Em nota, vereador denuncia que recebeu gabinete sem móveis e computadores

Mais rápida, grave e letal entre jovens: médicos relatam

Primeiras doses da vacina contra a Covid-19 chega em Brumado; imunização começou na manhã desta terça-feira (19)

Clínica Mais Vida traz para Brumado e região a médica Dra. Pâmela Araújo, que atua na área de Alergologia e Imunologia

Primeiras doses da vacina contra a Covid-19 chegam em Salvador

Nova doença pode gerar pandemia mais letal que Covid-19, alerta especialista

Bahia: Pelo menos dez cidades devem receber vacinas contra Covid-19 nesta segunda

Vacinação contra Covid-19 na Bahia deve durar 16 meses, estima Fábio Vilas-Boas

Profissionais de saúde compõem grupo da 1ª fase de vacinação contra Covid-19 em Brumado, diz secretário

Cidemar vence Covid-19 e tem reencontro emocionante com a família; vídeo

Após veículo capotar duas vezes, família sobrevive a acidente na BR-030 entre Brumado e Ibitira

Sede do Graer abrigará vacinas na Bahia; distribuição será feita com aeronaves

RotSat: Rastreamento de veículos ou de sua frota!

Enfermeira de São Paulo é 1ª vacinada contra Covid-19 no Brasil

Pax Nacional sempre ao seu lado



BUSCA PELA CATEGORIA "Brasil"

Mais rápida, grave e letal entre jovens: médicos relatam

Foto: Reprodução l UOL

A velocidade e a gravidade da evolução da covid-19 em pacientes que buscam os prontos-socorros em Manaus têm chamado a atenção dos profissionais de saúde que atuam na linha de frente. Está inclusive formando infecções mais graves e em menos tempo do que a doença vista na primeira onda. Segundo o site UOL, relatos de profissionais atestam que a nova fase da covid-19 tem maior transmissibilidade causada por mutações que geraram uma nova variante no estado. Além disso, os dados mostram que pessoas mais jovens estão morrendo agora. Segundo registros de óbitos nos últimos 30 dias, quatro em cada dez vítimas fatais tinham menos de 60 anos no estado. "Algo de muito diferente está ocorrendo em Manaus. Não sei informar se é uma cepa nova ou se é algo diferente. Mas quem está na linha de frente está vendo um aumento da gravidade dos casos", contou a reportagem o infectologista e pesquisador Noaldo Lucena, que atua em clínica popular, atendimento domiciliar e hospitais públicos. As mudanças, diz, vão além da já sabida maior contagiosidade da nova variante do vírus. "Claramente estamos diante de um ser invisível que é muito mais patogênico e transmissível. Hoje chegam famílias inteiras com os sintomas ao mesmo tempo, antes era um de cada vez", disse ao site UOL Noaldo Lucena, infectologista.



Nova doença pode gerar pandemia mais letal que Covid-19, alerta especialista

Foto: Luciano Santos l 97NEWS

O microbiologista congolês Jean-Jacques Muyembe Tamfum, alertou para uma nova pandemia que pode ser mais letal que a Covid-19. Para a CNN, o especialista contou sobre o caso de uma paciente que apresentava sintomas da ebola, mas exames deram negativo para a doença. O cientista, que é um dos médicos que ajudou a descobrir o vírus ebola, no Congo, em 1976, teme que essa seja uma “doença X”, um conceito da Organização Mundial da Saúde (OMS) para alguma efermidade inesperada ou desconhecida que ainda pode aparecer. Tamfum acredita que um novo patógeno seguirá o mesmo padrão de transmissão de outras doenças, passando de animais para seres humanos. “Estamos agora em um mundo onde novos patógenos surgirão. E é isso que constitui uma ameaça à humanidade”, afirmou o pesquisador à CNN.



Enfermeira de São Paulo é 1ª vacinada contra Covid-19 no Brasil

Foto: Reprodução l CNN Brasil

A enfermeira Mônicas Calazans, de 54 anos, foi a primeira brasileira a receber uma dose da vacina contra a Covid-19 Coronavac, no domingo (17). A profissional da Saúde atua na linha de frente do combate à Covid-19, é funcionária da ala de UTI do Hospital Emílio Ribas, em São Paulo. A aplicação da primeira dose da vacina Coronavac, desenvolvida pela Sinovac e o Instituto Butantan, ocorreu no Hospital das Clínicas de São Paulo, minutos depois do encerramento da reunião extraordinária da Anvisa que aprovou o uso emergencial da vacina Coronavac e da vacina de Oxford, desenvolvida em parceria com a Fiocruz. Mônica faz parte do grupo prioritário para a vacinação contra a Covid-19. Além de ser profissional da saúde, ela é hipertensa. Ela fez discurso emocionado agradecendo a oportunidade. 



Mais da metade dos inscritos falta ao 1º dia do Enem em meio à pandemia

Foto: Divulgação

Mais da metade dos inscritos no Enem faltou ao primeiro dia do exame, realizado no domingo (17) em meio ao avanço da pandemia de coronavírus. Dos 5,7 milhões de inscritos, 51,5% (2.842.332) não compareceram ao exame. Essa é a maior taxa de abstenção da história do exame -- na última edição, de 2019, os faltosos representaram 23,7%. Além da alta taxa de faltosos, o segundo Enem realizado sob o governo Jair Bolsonaro (sem partido) foi marcado pela superlotação de salas e o impedimento de candidatos de diversos estados do país para fazer as provas. O Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais) insistiu na realização do exame em meio ao avanço da pandemia. Defensorias e procuradorias haviam ingressado com ações judiciais para adiar a aplicação, o que ocorreu somente no Amazonas. Outras duas cidades de Rondônia decidiram pela suspensão. O argumento do Inep era de que seriam garantidos. 



Por unanimidade, Anvisa aprova uso emergencial de vacinas contra covid

Foto: Reprodução l Reuters

Por unanimidade, os cinco diretores da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovaram o uso emergencial da CoronaVac e da vacina de Oxford contra a covid-19. A decisão depende de publicação no Diário Oficial e de comunicação aos laboratórios para entrar em vigor. A maioria na direção da agência foi alcançada às 14h54 de domingo (17), quando o diretor Alex Machado Campos tornou-se o terceiro a votar favoravelmente à imunização em caráter emergencial com as duas vacinas. A recomendação, no entanto, precisava ser submetida à diretoria do órgão. A primeira diretora a ler o voto foi a relatora do caso, Meiruze Freitas. Ela aprovou o uso emergencial, mas fez ressalvas. Disse esperar que o Instituto Butantan responda, até o m  de fevereiro, sobre os resultados sobre a imunogenicidade (capacidade de produção de anticorpos) da CoronaVac, produzida pelo Butantan em parceria com o laboratório chinês Sinovac. A relatora destacou não haver alternativa terapêutica às vacinas. A diretora disse ter tomado a decisão com aval da ciência e após trabalho árduo dos técnicos da Anvisa nos últimos dias. “Guiada pela ciência e pelos dados, a equipe concluiu que os benefícios conhecidos e potenciais dessas vacinas superam seus riscos. Os servidores [da Anvisa] vêm trabalhando com dedicação integral e senso de urgência”, disse Meiruze ao ler o voto. O segundo voto foi dado pelo diretor Romilson Mota, que acompanhou a relatora. Terceiro a votar, Alex Machado Campos acompanhou os demais diretores. Ele foi seguido pela diretora Cristiane Jourdan Gomes e pelo diretor-presidente da Anvisa, Antonio Barra Torres. A votação foi concluída por volta das 15h20. O uso emergencial pode ser liberado após a publicação oficial e assim que houver comunicação formal aos laboratórios. No caso da CoronaVac, a relatora do caso pediu a assinatura de um termo de compromisso, que também precisa ser publicado em Diário Oficial. 



MPF abre procedimento para acompanhar impactos causados pela saída da Ford do Brasil

Foto: Reprodução

Ministério Público Federal, através da Câmara de Consumidor e Ordem Econômica do Ministério Público Federal (3CCR/MPF) instaurou procedimento administrativo para acompanhar os impactos socioeconômicos e concorrenciais do fechamento de fábricas de automóveis no país. A medida foi tomada depois do anúncio feito pela empresa Ford, na última segunda-feira (11), de encerramento da produção de veículos em suas fábricas no Brasil, situadas nos municípios de Camaçari (BA), Taubaté (SP) e Horizonte (CE). Na avaliação do coordenador da 3CCR, supbrocurador-geral da República Luiz Augusto Santos, o fim das atividades de fabricação de veículos no Brasil pode gerar prejuízos ao setor industrial, com impactos “capazes de provocar a redução dos níveis de renda e emprego nacionais, afetando negativamente a economia, além da potencial repercussão no nível concorrencial do mercado de veículos”. O procedimento administrativo visa a coleta, sistematização e tratamento de dados ou informações técnico-jurídicas voltadas a subsidiar eventuais medidas no âmbito do MPF.



Cidades que decidirem adiar o Enem 2020, prova será aplicada em 23 e 24 de fevereiro

Foto: Reprodução l G1

O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) afirmou, na quarta-feira (13), que o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2020 será aplicado em 23 e 24 de fevereiro, apenas nos municípios em que autoridades locais decidirem pelo adiamento da prova, por causa da pandemia. No restante do país, a prova impressa está mantida para 17 e 24 de janeiro, apesar da pressão de estudantes e entidades, de acordo com o G1. Na terça (12), a Justiça Federal de São Paulo determinou que, caso sejam necessárias "eventuais restrições mais severas de mobilidade social ou lockdown (...) que impeçam a realização" do exame em alguma região, a prova deverá ser reaplicada pelo Inep - mas apenas nestes casos específicos. A decisão foi tomada pela juíza Marisa Claudia Gonçalvez Cucio, da 12ª Vara Cível Federal de SP. Ao G1, o Inep afirmou que, "para qualquer caso dos que são passíveis de reaplicação", o exame ocorrerá em 23 e 24 de fevereiro. São as mesmas datas em que candidatos privados de liberdade ou que tiverem sintomas de Covid-19 em janeiro poderão prestar o Enem.



Com desemprego recorde, Banco do Brasil demite 5 mil funcionários

Foto: Luciano Santos l 97News

Na lista de privatizações do ministro da Economia, Paulo Guedes, o Banco do Brasil anunciou que irá fechar “361 unidades, sendo 112 agências, 7 escritórios e 242 Postos de Atendimento”. Por meio de um comunicado ao mercado assinado pelo vice-Presidente de Gestão Financeira e Relações com Investidores, Carlos José da Costa André, a instituição financeira afirma que disponibilizou planos de “demissão voluntária”, visando o desligamento de 5 mil funcionários. Segundo reportagem do jornal O Estado de S. Paulo, o “plano de reorganização” prevê  a otimização de 870 pontos de atendimento por meio do fechamento de agências, postos de atendimento e escritórios   e a conversão de 243 agências em postos. Também estão previstas a transformação de oito postos de atendimento em agências, de 145 unidades de negócios em Lojas BB, além da relocalização e 85 unidades de negócios e a criação de 28 unidades de negócios. A expectativa é que a adoção das medidas resultem em uma economia anual estimada em R$ 353 milhões ainda este ano



Ford fecha fábricas e encerra produção no Brasil; filial da Bahia também fechará

Foto: Divulgação

A Ford decidiu fechar três plantas de produção no Brasil, nesta segunda-feira (11). No país, serão mantidos apenas o Centro de Desenvolvimento de Produtos, em Camaçari, que terá sua fábrica fechada, e o Campo de Provas e sua sede regional, ambos em São Paulo. Os veículos comercializados no mercado brasileiro passam a ser produzidos nas plantas na Argentina e Uruguai, além de importações de outras regiões. “A Ford está presente há mais de um século na América do Sul e no Brasil e sabemos que essas são ações muito difíceis, mas necessárias, para a criação de um negócio saudável e sustentável”, disse Jim Farley, presidente e CEO da Ford. “Estamos mudando para um modelo de negócios ágil e enxuto ao encerrar a produção no Brasil, atendendo nossos consumidores com alguns dos produtos mais empolgantes do nosso portfólio global", disse a empresa em comunicado. A empresa também disse que atenderá a região com seu portfólio global de produtos. "A Ford mantém assistência total ao consumidor com operações de vendas, serviços, peças de reposição e garantia para seus clientes no Brasil e na América do Sul. A empresa também manterá o Centro de Desenvolvimento de Produto, na Bahia, o Campo de Provas, em Tatuí (SP), e sua sede regional em São Paulo", acrescenta.



Gás de cozinha vai ficar 6% mais caro a partir desta quinta informou a Petrobras

Foto: Luciano Santos l 97NEWS

A Petrobrás vai elevar o peço do Gás Liquefeito de Petróleo (GLP), conhecido como gás de cozinha, em 6% a partir desta quinta-feira (06), informou a petroleira. Em nota, a empresa reiterou que desde novembro de 2019 igualou os preços de GLP para os segmentos residencial e industrial/comercial, e que o produto é vendido pela Petrobras às distribuidoras a granel. "Por sua vez, as distribuidoras são as responsáveis pelo envase em diferentes tipos de botijão e, junto com as revendas, são responsáveis pelos preços ao consumidor nal", frisou a empresa. 



Morre aos 89 anos o cantor e compositor Genival Lacerda

Foto: Divulgação

Morreu, aos 89 anos, o cantor e compositor paraibano Genival Lacerda, vítima da Covid-19. O filho do cantor, Genival Lacerda Filho, escreveu nas redes sociais “Painho faleceu”. Internado desde o dia 30 de novembro após contrair o novo coronavírus, Genival Lacerda havia apresentado uma piora no último mês e o estado de saúde era considerado gravíssimo. Ainda nesta quarta-feira (7), a família chegou a pedir doação de sangue para o artista, que estava internado na UTI (Unidade de Terapia Intensiva) do Hospital Unimed 1, na Ilha do Leite, na região central do Recife. Em maio, Genival Lacerda sofreu um AVC (Acidente Vascular Cerebral) e ficou internado por três dias. O cantor tinha mais de 60 anos de carreira e dentre os principais sucessos estão “Severina Xique Xique”, “De quem é esse jegue?” e “Radinho de Pilha”.



354 milhões de doses imunizantes do coronavírus estão asseguradas em 2021, diz Pazuello

Foto: Reprodução

O ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, afirmou na quarta-feira (6), em pronunciamento em rede nacional de rádio e TV, que o Brasil tem asseguradas, para este ano, 354 milhões de doses de vacinas contra a covid-19. Do total, 254 milhões serão produzidas pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), em parceria com a AstraZenica, e 100 milhões pelo Butantan, em parceria com a empresa Sinovac. Pazuello anunciou também a edição de uma medida provisória que trata de ações excepcionais para aquisição de vacinas, insumos, bens e serviços de logística. Segundo Pazuello, estão disponíveis atualmente cerca de 60 milhões de seringas e agulhas. “Ou seja, um número suficiente para iniciar a vacinação da população ainda neste mês de janeiro”, disse o ministro. “Temos, também, a garantia da Organização Panamericana de Saúde [Opas] de que receberemos mais 8 milhões de seringas e agulhas em fevereiro, além de outras 30 milhões já requisitadas à Abimo [Associação Brasileira da Indústria de Artigos e Equipamentos Médicos e Odontológicos], a associação dos produtores de seringas”. 

 



Cientistas alertam que variantes do coronavírus podem causar onda 'muito pior'

Foto: Reprodução

As novas cepas do coronavírus descobertas na última semana, principalmente a britânica, tem assustado a população que clama pelo fim da pandemia. A inglesa é a mais preocupante e pode ser de 50% a 70% mais transmissível. Além dela, tem a sul-africana, mas sobre essa ainda não há dados suficientes para comprovar que ela oferece mais risco. “Uma preocupação é que a B.1.1.7 (variante britânica) se torne dominante globalmente, com sua alta transmissibilidade, e leve a outra onda muito, muito ruim. Acho que estamos entrando em uma fase imprevisível agora”, afirmou Jeremy Farrar, especialista em doenças infecciosas, à revista Science. Com a variante já tendo sido identificada em 30 países (inclusive no Brasil), a virologista Emma Hodcroft, da Universidade de Basel, na Suíça, acredita que este momento soa como um “alarme”, e precisamos aproveitar a chance para evitar que o vírus se espalhe ainda mais. Para tentar controlar a variante, o Reino Unido decidiu entrar em lockdown novamente. Os pesquisadores defendem que é o momento de prestar atenção no que está acontecendo no Reino Unido e se preparar para evitar mais uma onda da doença. As vacinas devem ajudar neste controle, mas podem não ser suficientes: enquanto a população vai sendo imunizada, é preciso que os grupos que não são de risco continuem seguindo as recomendações.



Mulher é mantida refém em porta-malas e braço de vítima é visto

Foto: Reprodução l Rede Social

Uma mulher foi agredida e mantida refém no porta-malas de um carro por criminosos na tarde da última terça-feira (5), em Fortaleza. Os quatro suspeitos de cometerem o crime foram detidos após o braço da vítima ser visto por um motorista que trafegava perto do carro. Três dos supostos sequestradores foram presos e levados para a Delegacia da Criança e do Adolescente (DCA) e um menor, de 17 anos, também supostamente envolvido no crime, também foi detido. Durante a ação, a polícia apreendeu um revólver e munição, que estavam dentro do carro dos criminosos. De acordo com a polícia, a garota seria levada a uma região do Bairro Pici, onde seria executada. Ela foi encontrada com lesões nas costas, pernas e braços, mas sem ferimentos graves e não corre risco de morte. Em depoimento, os suspeitos afirmaram que queriam se vingar da garota porque ela teria participado do assassinato do primo de um dos presos. A polícia, porém, não confirmou se ela é, de fato, a autora do homicídio.



Governo Federal é pressionado por reunião para definir cronograma nacional de vacinação

Foto: Reprodução

O piauiense Wellington Dias (PT-PI), que preside o consórcio dos governadores do Nordeste e lidera os estados no tema da vacina contra a Covid-19, afirma que pretende reunir representantes da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), e também integrantes do STF (Supremo Tribunal Federal) na próxima segunda (11) para finalmente definir um cronograma nacional de vacinação. Ele se queixa que milhões de doses de imunizante já chegaram ao país (da Coronavac), mas mesmo assim ainda não foi traçado um plano para o início do processo de vacinação. O Instituto Butantan prevê entregar nesta quinta (7) a documentação para solicitar o registro de aplicação da Coronavac no Brasil, e a expectativa do governo paulista é iniciar a vacinação no estado em 25 de janeiro. A Fiocruz anunciou a compra excepcional de 2 milhões de doses da vacina de Oxford produzida na Índia. A encomenda deve chegar ainda este mês, segundo prevê o governo federal. Não há data, porém, para o início da vacinação nacional.



Governo manda restringir exportação de seringas e agulhas

Foto: Reprodução l Agência Brasil

O governo federal restringiu a exportação de seringas e agulhas. Desde 1º de janeiro, a Secretaria de Comércio Exterior (Secex), órgão ligado ao Ministério da Economia, passou a exigir uma licença especial para autorizar a venda dos produtos ao exterior. A medida foi determinada através da portaria nº 19, que dispõe sobre a emissão de licenças, autorizações, certificados e outros documentos públicos de exportação. O Ministério da Saúde confirmou no domingo (3), que pediu à Economia a interrupção “provisória” da exportação das seringas e agulhas. Em nota, a pasta informou que o objetivo é garantir “os insumos necessários para, somando às necessidades habituais do SUS, viabilizar a ampliação da oferta de seringas e agulhas para atender ao Plano Nacional de Operacionalização da Vacinação contra a covid-19”.



Anvisa aprova importação de 2 milhões de doses de vacinas da Fiocruz

Foto: Divulgação

Dois milhões de doses da vacina contra a Covid-19, produzidas pela Fundação Oswaldo Cruz serão importadas após autorização da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). A importação é considerada excepcional porque o imunizante ainda não foi submetido à autorização de uso emergencial ou registro sanitário. A aprovação ocorreu no dia 31 de dezembro de 2020, mesmo dia em que o pedido de importação foi protocolado pela Fiocruz. A indicação é que as vacinas cheguem ao país ainda neste mês de janeiro. No Brasil, a Fiocruz é responsável por produzir a vacina desenvolvida pela AstraZeneca em parceria com a Universidade de Oxford.



Donos de veículos não vão pagar Seguro DPVAT em 2021

Foto: Luciano Santos l 97News

Os proprietários de veículos não terão que pagar o Seguro Obrigatório de Danos Pessoais Causados por Veículos Automotores (Seguro DPVAT), em 2021. A decisão foi divulgada após o Conselho Nacional de Seguros Privados (CNSP) aprovar, em reunião extraordinária realizada na última terça-feira (29), prêmio zero para o DPVAT em 2021 e autorizou a contratação de novo operador pela Superintendência de Seguros Privados (Susep), em caráter emergencial e temporário. As resoluções do CNSP foram publicadas na quarta-feira (30) no Diário Oficial da União. No final de novembro, foi anunciada a dissolução da Consórcio do Seguro DPVAT a partir de 1° de janeiro de 2021, após decisão de assembleia de seguradoras consorciadas. A partir desta data, a Seguradora Líder não poderá operar o Seguro DPVAT em nome das consorciadas, mas tão somente administrar os ativos, passivos e negócios do Consórcio realizados até 31 de dezembro de 2020. No mês passado, a Susep notificou a Seguradora Líder a recolher ao caixa dos recursos do Seguro DPVAT a quantia de R$ 2,257 bilhões, referente a 2.119 despesas consideradas irregulares pela fiscalização da superintendência, que foram executadas com recursos públicos do seguro DPVAT entre os anos de 2008 e 2020, de acordo com a Agência Brasil. O Seguro DPVAT foi criado pela Lei n° 6.194 de 1974 e tem como finalidade o amparo às vítimas de acidentes de trânsito em todo o país, não importando de quem seja a culpa dos acidentes.



Ministério faz pregão, mas consegue apenas 2,4% das seringas necessárias para vacinação

Foto: Reprodução

O Ministério da Saúde garantiu até o momento apenas 2,4% do total de seringas e agulhas que pretende adquirir para a vacinação contra a Covid-19. Empresas que participaram de um pregão na terça-feira (29) ofertaram 7,9 milhões de seringas e agulhas, e o governo previa a compra de 331 milhões. As informações são do jornal Estadão. Com a tentativa frustrada, o Ministério da Saúde deve realizar um novo pregão. As empresas participantes reclamaram que o edital do Ministério encomendava seringas e agulhas como um só produto, e que os preços estavam abaixo dos praticados. O Ministério da Saúde informou que planeja iniciar a estratégia no país entre os dias 20 de janeiro e 10 de fevereiro. Segundo o secretário-executivo da pasta, Elcio Franco, a previsão considera três margens de datas. A reportagem do Estadão lembra que Franco deu as declarações após a Pfizer, laboratório que fabrica uma das vacinas que já vêm sendo aplicadas em outros países, informar que o Brasil exige "análises específicas" que deixam mais lento o processo para a aprovação do imunizante da empresa. No Brasil nenhum imunizante foi aprovado pela Anvisa ainda. 



Pazuello diz que estados receberão vacina da Covid-19 simultaneamente

Foto: Reprodução l Agência Brasil

O ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, disse, durante entrevista ao programa Brasil em Pauta, da TV Brasil, que todos os estados receberão a vacina simultaneamente. “Independentemente da quantidade da vacina, ela será distribuída igualitariamente dentro da proporcionalidade dos estados”. A entrevista com Pazuello vai ao ar neste domingo (27), às 19h30. A previsão do Ministério da Saúde é que 24,7 milhões de doses de vacinas estejam disponíveis em janeiro. “O cronograma de distribuição e imunização é um anexo do nosso plano de imunização”, disse Pazuello, ao acrescentar que o cronograma pode sofrer mudanças. “Você faz a previsão quando contrata, mas às vezes adianta, às vezes atrasa, e a gente vai atualizando esse cronograma.” A expectativa de Pazuello é que alguns grupos prioritários comecem a receber a primeira dose da vacina contra a covid-19 no final de janeiro. A vacinação em massa deve começar a partir de fevereiro. Segundo o ministro, a vacinação da população em geral deve começar cerca de quatro meses após o término da imunização dos grupos prioritários. “São quatro grandes grupos prioritários e, após esses grupos prioritários, que a gente visualiza 30 dias para cada grupo prioritário, a gente começa a vacinar a população dentro das faixas etárias”, disse Pazzuelo. Segundo o ministro, esses 30 dias seriam suficientes para aplicar as duas doses da vacina. 

 

Segundo o Plano Nacional de Imunização, nas primeiras fases serão vacinados grupos específicos, como trabalhadores da saúde, idosos, pessoas com comorbidades, profissionais de segurança, indígenas e quilombolas. “Nós temos contratos firmados com quatro a cinco laboratórios, e eles vão nos dando toda essa cronologia, atualizando nosso cronograma, mas o principal número, a principal data é que até o final de janeiro nós teremos vacinas iniciais, algumas em caráter emergencial, e a vacinação em massa, já com registro, a partir de fevereiro”, disse o ministro. Pazuello explicou que o ministério provavelmente vai receber mais de um tipo de imunizante, mas as pessoas receberão as duas doses da vacina de um mesmo laboratório, até porque são de tecnologias diferentes. “Nós vamos monitorar todas essas aplicações para que a segunda dose seja dada efetivamente de um mesmo laboratório que aquela pessoa tomou. Isso é um grande processo de controle e monitoramento.” O ministro garantiu que a vacina será voluntária e disponibilizada, de forma gratuita, nas salas de vacinação em cada município. “Nós vacinaremos todos os brasileiros de forma igualitária, de forma proporcional ao número de pessoas por estado e de graça. Confiem nisso, confiem na estrutura do SUS [Sistema Único de Saúde], confiem de que aqui existem pessoas que estão realmente trabalhando diuturnamente para que a gente tenha a vacina distribuída o mais rápido possível e a todos os brasileiros.”

CONTINUE LENDO