ÚLTIMAS NOTÍCIAS:

Agência é explodida em Iguaí, Sudoeste do Estado

Bahia recebe 150 mil doses de vacina BCG após municípios enfrentarem desabastecimento

Honestidade: Mulher que achou quase R$ 1500 em Brumado encontra a dona e devolve o valor

Criação do União Brasil deve ser oficializada em fevereiro, diz Neto

Senado aprova medida provisória que cria Auxílio Brasil

Suspeito de chefiar esquema de lavagem de dinheiro em SP é preso na Bahia

Atlético-MG vence de virada, conquista o título e complica a vida do Bahia

Conquista: Jovem de 18 anos é presa ao tentar levar cocaína, armas e munições em ônibus

Gabriel, ex-jogador do Flamengo, estará presente no Futebol Solidário 2021

Caminhão baú de Brumado tomba entre o Distrito de Cascavel e Mucugê

Brumado: Mulher encontra quase R$ 2 mil próximo a banco e procura por dono da quantia

Infectologista da Clínica Mais Vida, em entrevista a TV Sudoeste, fala sobre o Dia Internacional da Luta contra a AIDS

Empresário Emanoel Araújo participa do lançamento da pré-candidatura de ACM Neto

Tema Livre Podcast desta semana recebeu o produtor de eventos e artista plástico 'Kezinha'

Municípios relatam atraso em entrega de vacina BCG; cidades sofrem com desabastecimento

Criança morre depois que parede de casa desaba em Itapetinga

Governo da Bahia publica mudanças em mais de 50 comandos da Polícia Militar

Infectologista da Clínica Mais Vida fala sobre o Dia Mundial de Luta contra a AIDS e a importância do diagnóstico precoce

Dom Basílio: Morre o blogueiro Aderson Caires, vítima de doença neurodegenerativa

Política: Jair Bolsonaro assina filiação ao PL


PF investiga participação de coronel e tenente em golpe no desarmamento

Um tenente e um coronel da Polícia Militar são suspeitos de participar do esquema de fraude na campanha do desarmamento do Ministério da Justiça. O tenente e o coronel já foram ouvidos e liberados na quinta-feira (28).

De acordo com a investigação da Polícia Federal, o coronel, que já foi comandante do primeiro batalhão da Polícia Militar, tinha a senha para emitir as guias de pagamento do programa de desarmamento. Ele foi ouvido pela polícia e liberado após pagamento de fiança.

“Tanto o coronel como o tenente foram acusados também de crime, que é o crime de negligência, pelo fato de ter entregue a sua senha pessoal e intransferível para terceiros, mas volto a dizer, até o momento da investigação não há nada que comprove de que eles praticaram algum tipo de crime no sentido de obterem lucros dessa prática criminosa”, disse o delegado da Polícia Federal, Wal Goulart, que investiga o esquema de fraude contra o sistema nacional de desarmamento do Ministério da Justiça.

A investigação da Polícia Federal, que durou três meses, apurou que das 8.800 armas de fogo que geraram indenizações no sistema de desarmamento do ministério da Justiça, 4 mil não existiam e outras 4.400 eram de fabricação artesanal e por isso não deveriam ser indenizadas pelo programa. As indenizações variavam entre R$ 150 e R$ 400. Segundo a polícia, a fraude gerou um prejuízo de um R$ 1,3 milhões.

A operação Vulcano foi realizada durante a madrugada de quinta-feira em três cidades da Bahia, e em Fortaleza. Foram cumpridos 23 mandados, sendo seis de prisão temporária, cinco de condução coercitiva e 12 de busca e apreensão.

O coordenador nacional da ONG Mov Paz Brasil, Clóvis nunes, foi apontado como o principal chefe do esquema. Ele foi preso em Fortaleza e chegou à Feira de Santana na quinta-feira. Ele deve ser encaminhado para o presídio da cidade, segundo informações do delegado.

“Nossa divisão de armas em Brasília detectou que Feira de Santana estava arrecadando 14% de todas as armas arrecadadas no país. É algo meio ilógico porque proporcionalmente estaria se arrecadando mais de que a cidade de São Paulo e a cidade do Rio de Janeiro”, disse o delegado.

De acordo com a Polícia Federal, Clóvis Nunes é suspeito de comandar a fraude. Clóvis era o responsável pela campanha de desarmamento em Feira de Santana e em mais 27 cidades de dez estados do país.

“Não tenho nenhuma explicação ainda legal sobre o assunto porque as armas que chegam no posto de Feira de Santana são todas pagas pela polícia militar e autorizadas pelo ministério da justiça. Penso que é algum mal-entendido da campanha produziu essa ação”, disse Clóvis Nunes.

Segundo a polícia, Clóvis contava com a ajuda do irmão, Carlos Nunes, preso durante a madrugada de quinta em Feira de Santana.

Na quinta-feira, os policiais federais fizeram a apresentação de 150 armas recolhidas durante a operação Vulcano. A maioria delas foi encontrada na casa de um dos suspeitos, em Cícero Dantas, que já foi encaminhado para o Presídio Regional de Feira de Santana, juntamente com outro acusado de participar do esquema, da cidade de Antas.

G1



Comentários

    Nenhum comentário, seja o primeiro a enviar.

Deixe seu comentário