ÚLTIMAS NOTÍCIAS:

Confira os especialistas da semana na Clínica Mais Vida em Brumado

Brumado: Trabalhadores da Endicon são demitidos e temem 'calote' de empresa

Brumado: Preso em flagrante tem ataque de fúria, agride policiais e quebra objetos de delegacia

PM apreende drogas e pássaros silvestres em Rio de Contas

Acesse a TV Templo dos Milagres no Youtube e seja abençoado

Brumado: Mega estrutura está sendo montada para o Verão VIP com ingressos limitados

O Tema Livre Podcast desta semana recebeu o 'MC Naip Bronka'

Brumado: Subnotificação dos casos de Covid esconde números reais da doença

Cinco morrem e mais de 70 são presas em operação da PM na Bahia

Homem mata pastora de 84 anos a pauladas na porta de igreja

Há 41 anos, mulher procura avós que possivelmente moram em Brumado ou Caetité

Operação Força Total intensifica policiamento na Bahia

Dr. Felipe Leão, médico da Clínica Mais Vida, alerta sobre a importância da realização do check-up

Operação da PF prende homem que divulgou vídeo de estupro de criança


Brumado: Aline Meira, advogada do CREAS Chico Xavier fala do Dia Internacional de Defesa da Mulher

Foto: Marcos Paulo/97NEWS

Na sessão da Câmara de Vereadores da noite de segunda-feira (25/11), a advogada do Centro de Referência Especializado de Assistência Social- Creas Chico Xavier, Aline Meira usou a tribuna livre para falar sobre a campanha do Dia Internacional de Combate a Violência Contra a Mulher.

Durante a sua fala a advogada falou do trabalho do Creas no sentido de atender às mulheres vítimas de violência, atendimento este psicossocial e jurídico, além de acompanhar, executar e monitorar o cumprimento de medidas socioeducativas no município de Brumado. “A agressão à mulher não se resume somente à violência física, como muitos pensam, mas também a violência psicológica ou emocional, violência econômica, patrimonial e também a violência de âmbito sexual”, esclareceu em seu pronunciamento.

Aline revelou que os números de violência registrados neste ano chegam a 265 queixas, o que é um número significativo, mas não é real, pois muitos casos ficam subnotificados, não chegando às autoridades competentes e acabam sem a devida providência, ficando assim, estes agressores impunes.

“Ações como a dos 16 dias de ativismo visam a refrescar a memória de toda uma sociedade que deve sim participar no enfrentamento e pelo fim da violência contra a mulher” concluiu.



Comentários

    Nenhum comentário, seja o primeiro a enviar.

Deixe seu comentário