ÚLTIMAS NOTÍCIAS:

Bahia: Há mais de uma semana vegetação do interior sofre com incêndios

Brumado: MP pede anulação da comissão do processo de cassação do prefeito Eduardo Vasconcelos

Brumado: Venha conhecer a loja Império 10

Eleições 2020: Médico Geraldo Azevedo tem candidatura a prefeito registrada no TSE

Mais de 20 animais são envenenados e mortos na região da Feira Livre em Brumado

Ministro da Saúde reedita portaria sobre aborto legal no Brasil

Força-tarefa que investiga desvio de recursos para combate à Covid-19 cumpre mandados na Bahia

Dermatologista da Clínica Mais Vida, Dra. Stéphane Spínola, retorna destacando a importância dos cuidados com a pele

Covid-19: 136 pacientes estão em tratamento em Brumado

Guanambi: Chefe do tráfico morre em confronto com a Cipe/Sudoeste no distrito de Ceraíma

Animais de rua ganham abrigo e comedouro em quatro bairros de Vitória da Conquista

'Não quero ser responsável pela morte de alunos', afirma governador sobre volta às aulas na Bahia

Eduardo e Fabrício registram candidaturas à prefeitura de Brumado

Aracatu: Município registra primeira morte por Covid-19

Brumado: 145 pacientes estão em tratamento do coronavírus

Eleições 2020: TSE vai testar sistema que permite voto à distância

Governo rejeita sugestão do TCU para restringir concessionárias em leilão da Fiol

Brumado: TOR apreende 91 tabletes de maconha no entroncamento da BA-262 com a BR-030

Em nota, Correios diz que quase 100% do efetivo segue trabalhando

Hacker invade sistema do Detran e cancela R$ 1,3 milhão em multas no Distrito Federal


Ministério Público vai apurar gastos excessivos com micaretas e festas juninas no interior

Os gastos das prefeituras baianas com festas juninas e micaretas serão alvo de fiscalização do Ministério Público da Bahia (MP-BA). A recomendação foi feita pelo procurador-geral de Justiça Márcio Fahel em publicação divulgada nesta quarta-feira (15), no Diário da Justiça Eletrônico. Os promotores de Justiça que atuam nas diversas cidades do estado devem instaurar procedimentos para verificar gastos sem justificativa e, caso sejam detectadas irregularidades, tomar as medidas jurídicas cabíveis. A recomendação foi expedida por conta da atual queda de receita dos municípios e os elevados gastos na organização de festas, em desrespeito às normas da Lei de Licitações e Contratos Administrativos.



Comentários

    Nenhum comentário, seja o primeiro a enviar.

Deixe seu comentário