ÚLTIMAS NOTÍCIAS:

Clínica Mais Vida informa que estará de recesso entre 22 e 25 de junho

Homens são 98% dos presos por aborto no Brasil, diz Justiça

'Rei da Seresta' é preso após show no interior da Bahia

Brumado: Paulo Henrique é encontrado morto às margens de linha férrea no bairro Dr. Juracy

Justiça mantém multa de R$ 8,6 mi a Oi por propaganda enganosa em emissora de TV

Prefeita do município de Maetinga é alvo de duas CPIs

Vídeo em que advogada aparece chorando junto aos filhos por ter passado no concurso viraliza

Salário médio dos baianos era sexto menor do Brasil em 2022, aponta IBGE

Mulher é presa ao tentar vender filhos na Bahia; uma das crianças tinha 32 dias

OMS alerta sobre lote falsificado de Ozempic encontrado no Brasil

Inverno na Bahia: Cidades baianas devem ter frio de 10ºC

Super ofertas do mês de junho da Central das Carnes; confiram


Cuidadora de Zagallo processa filho de ex-técnico por assédio moral e pede R$ 330 mil

Foto: Reprodução

A enfermeira responsável por cuidar do ex-técnico Zagallo em seus momentos finais abriu uma ação por assédio moral contra o filho caçula do ídolo. No processo, ela pede R$ 328.115,27 da Justiça. Zagallo morreu em janeiro deste ano, aos 93 anos de idade. A enfermeira diz que estava no hospital cuidando dele até o dia da morte. Ela ingressou com a ação em abril, cobrando FGTS, multa, 13º, férias proporcionais e vencidas, diferenças salariais, verbas rescisórias, horas extras e indenização por assédio moral. Segundo a enfermeira ao UOL, durante a pandemia, a funcionária da limpeza deixou de ir ao apartamento. Então, ela passou a ter que realizar serviços além do seu escopo, como limpeza do banheiro, passar roupas e preparo das refeições de Zagallo. Tudo isso diante de um ambiente de trabalho “hostil e humilhante”. Em sua versão, o filho de Zagallo dava “ordens agressivas” para o cumprimento das novas obrigações, “muitas vezes acompanhadas de gritos”. Ela mencionou que, em um grupo de WhatsApp feito pelo empregador, Mario Cesar passou a fazer comentários depreciativos. Começou a sugerir que a enfermeira deveria realizar tarefas extras enquanto Zagallo dormia, além de expor vídeos de sujeira no banheiro com acusações de má higienização. Isso aconteceu em um dia em que a profissional precisou levar o idoso, com suspeita de infecção, às pressas ao hospital. A enfermeira afirma que, quando passou por entrevista de emprego para a vaga de cuidadora de idoso, em julho de 2017, Zagallo estava lúcido, mas dependia de auxílio para serviços básicos de locomoção, alimentação e higiene pessoal. O salário era de R$ 2.400, com 6 plantões por mês de 24 horas realizados na casa de Zagallo, mais um acréscimo de R$ 400 por plantão emergencial ou excedente. A enfermeira diz que foi dispensada em 5 de janeiro deste ano, por ocasião da morte do ex-jogador. As informações são do site UOL.



Comentários

    Nenhum comentário, seja o primeiro a enviar.

Deixe seu comentário