ÚLTIMAS NOTÍCIAS:

Brumado registra 61 óbitos por conta da Covid-19; município ultrapassa 5 mil casos confirmados e 335 em tratamento

Brumado: Uma pessoa é flagrada desrespeitando toque de recolher

Confira os especialistas da semana na Clínica Mais Vida em Brumado

Restrição de atividades: Saiba o que poderá funcionar na Bahia de sexta a segunda

Bahia: Rui Costa prevê que Brasil vai ‘mergulhar no caos em duas semanas’ por causa de Covid-19

Auxílio deve voltar em março com parcelas de R$ 250, diz Governo

Dono do hit ‘Gordinho Gostoso’, Neto LX é detido com carro roubado

Vacinação contra o coronavírus é retomada nesta sexta-feira (26)

Prosel 2021: Abertas inscrições para o Processo Seletivo do Ifba/Brumado

Brumado: É Fake o vídeo que circula nas redes sociais na qual torcedores do Flamengo estariam nas ruas em comemoração ao título

Governador proíbe cirurgias eletivas em hospitais públicos e privados da BA por 7 dias

Flamengo é campeão brasileiro mesmo após perder para o São Paulo no Morumbi

Brumado: Incêndio destrói casa na Rua Nazaré no bairro Dr. Juracy; não havia ninguém na residência

Brumado: Mãe de empresário é atropelada por motocicleta na Avenida Centenário

Brumado: Jovem de 24 anos é morto a tiros na Av. Antônio Mourão Guimarães

Brumado: Município registra 59 mortes por conta da Covid-19; 30 estão hospitalizados


Brumado: Vereadores de oposição, Nem e Palito votam em 'Palta Bomba' do Executivo

Foto: Composição l 97NEWS

Na noite da última segunda-feira (15), o que chamou a atenção da população não foi apenas os votos contrários aos projetos intitulados de “Pauta Bomba” dos vereadores Amarildo Bomfim (PSB) e Beto Bonelly (PSB), aliados do prefeito Eduardo Lima Vasconcelos (PSB). Para a surpresa daqueles que acompanhavam as discussões, dois vereadores de oposição, Wanderley Amorim da Silva, o Nem (DEM) e Luís Carlos Caíres da Silva, o Palito (PP), indo na contramão da bancada,  foram a favor dos projetos de lei enviados pelo Executivo. Ambos foram a favor dos projetos de redução da licença maternidade; revogação do dispositivo da Lei Municipal nº 1.780 de 22 de Setembro de 2016, que instituiu o novo Plano de Carreira, Cargos e Salários dos Profissionais da Educação Pública Municipal;  concessão dos serviços de gestão, operação, manutenção, exploração, revitalização e expansão dos cemitérios públicos e bem como da prestação dos respectivos serviços funerários. Sobre a atualização e criação de Imposto sobre a Propriedade Predial e Territorial Urbana (IPTU) para a zona rural o vereador Palito não votou a favor. Além disso, os edis não entraram nas discussões entre oposição e situação. Além de Nem e Palito foram favoráveis os vereadores Tiago Amorim (PP), Renato Santos (Podemos), Lia Teixeira (PCdoB) e César Bar (PCdoB).



Comentários

  • J. Cícero Costa

    "Infelizmente, na seara política nacional, são poucos os parlamentares que honram seus mandatos e pouquíssimos os que prestigiam seus eleitores. A maioria atua quase sempre na defesa de interesses privados, em detrimento do interesse público, transformando o parlamento em um verdadeiro balcão de negócios, onde prevalece o fisiologismo e se negociam votos em troca de vantagens pessoais ou faccionais, reduzindo os debates a um autêntico mercado a céu aberto, que funciona na base do "toma lá, dá cá", visando unicamente benefícios próprios sem qualquer compromisso com o povo e em prejuízo de toda a Nação. Não se pode dizer categoricamente que os dois vereadores de oposição (Nem e Palito) agiram assim, mas - via de regra -, quando um parlamentar vota matéria desfavorável ao povo, sobretudo ao trabalhador, provavelmente alguma boa vantagem ele receberá em troca. "

Deixe seu comentário