ÚLTIMAS NOTÍCIAS:

Sindicato dos Comerciários conquista vários benefícios para todos os trabalhadores e trabalhadoras do comércio de Brumado e Região

Google Tradutor adiciona Guarani e outros idiomas da África, Ásia e América do Sul

Polícia Rodoviária Federal registra apreensão recorde de cocaína em 2021

Mãe tenta vender filho por R$ 400 e foge do hospital após parto

Brumado: Homem é preso após matar companheiro da ex-namorada com golpes de faca no bairro do Mercado

Planejamento das Eleições Gerais 2022 é debatido na sede do TRE-BA

Barra da Estiva: PM apreende seis carros com suspeita de serem clonados

CGU aponta R$ 2,6 bi em desvios do Farmácia Popular

Eleições no Clube Social de Brumado: Chapa 2 quer renovação e inclusão das mulheres na gestão

Estados dizem que cumpriram lei e vão recorrer no STF sobre ICMS no diesel

Em mais uma decisão, justiça suspende licitação que pretendia privatizar serviços de água e esgoto em Brumado

Confira os especialistas da semana na Clínica Mais Vida em Brumado

Neste domingo (15) haverá o fenômeno 'Lua de Sangue' triplamente especial

Sabadão! Tudo pronto para a festa 'Apaixona Brumado' no espaço Popeye Prime

STF suspende políticas estaduais sobre o ICMS do diesel a pedido do Governo Federal

Anvisa e Butantan se reúnem para tratar da CoronaVac para crianças


Brumado: Diretor do INEB afirma que colaboradores não estão com férias e décimo terceiro atrasados

Foto: Luciano Santos l 97NEWS

No último sábado, dia 09 de janeiro, técnicos de enfermagem do Instituto de Nefrologia da Bahia (INEB), localizado na Avenida João Paulo I, em Brumado, fizeram uma pequena manifestação em frente a clínica, numa forma de chamar a atenção dos diretores do órgão para melhorias no salário da categoria e, além disso, pagamento de décimo terceiro referentes à 2015 e 2020 e férias atrasadas. Ainda segundo a categoria, eles estariam trabalhando com sobrecarga de pacientes, na qual, segundo eles, um enfermeiro chega a atender cerca de seis pacientes por turno. Outras demandas foram cobradas como: falta de climatização adequada e máquinas de hemodialise com defeito. Na última terça-feira (12), em entrevista ao site 97NEWS, o diretor do INEB rebateu as acusações dos funcionários e esclareceu alguns pontos. Segundo o Dr. Paulo Roberto, nefrologista e diretor clínico do instituto ouve um equívoco por parte dos funcionários com relação à alguns assuntos citados, à exemplo: salário atrasados. "De forma alguma, a gente tem apenas a segunda parcela do décimo terceiro que está em aberto por conta de um repasse que ainda não recebemos, mas vamos resolver o quanto antes. A gente não tem essa conduta de salário atrasado", afirma o diretor. Sobre a carga horária de trabalho, o coordenador de enfermagem, Dieslei esclareceu que cada técnico tem apenas seis horas de trabalho. "Cada enfermeiro assume um plantão de seis horas", disse. 

Foto: Luciano Santos l 97NEWS

Questionado sobre a quantidade de pacientes para apenas um técnico, o coordenador de enfermagem afirmou que a clínica segue o que recomenda o Ministério da Saúde. "O Ministério em 2014, por meio da abordagem DC nº 11 de 13 de março do mesmo ano, estabeleceu que um técnico teria capacidade para assumir seis pacientes, um enfermeiro cinquenta pacientes e um médico cinquenta pacientes. Antigamente, era um para quatro, então o Ministério da Saúde fez essa ampliação", afirma Dieslei que ainda completou dizendo que todos os pacientes do INEB são assistidos por uma equipe multidisciplinar. "São médicos, enfermeiros, assistentes social e nutricionistas, então ao longo do período eles são assistidos para garantir à estabilidade deles. Já os pacientes graves que não tem condições de serem atendidos aqui, eles são direcionados pela equipe médica à um hospital de referência", disse. Conforme Dr. Paulo, referente à ausência de médicos na clínica no primeiro horário de atendimento, ele afirmou que uma vez ou outra, pode sim não haver um profissional no momento, mas o procedimento só recomeça com a sua presença. "Já aconteceu que, por conta dos médicos na sua maioria não morar na cidade, ou em ocorrências na estrada, a equipe ter que aguardar a chegada do profissional, porque só pode ser instalado os equipamentos nos pacientes após o médico está presente na unidade dialítica", esclareceu. Por fim, indagado pela falta de climatização no local, Dr. Paulo disse que um equipamento chegou a ser comprado pela empresa, mas por conta da pandemia, a contratada decretou falência. "Tivemos esse empecilho, mas já adquirimos outro equipamento e já vai ser instalado. Mas é bom ressaltar que um decreto municipal determina que todos os ambientes devem permanecer arejados, ou seja, devemos permitir a circulação de ar, e por isso a climatização acaba não funcionando de maneira correta", argumentou o coordenado do INEB.

 



Comentários

    Nenhum comentário, seja o primeiro a enviar.

Deixe seu comentário