ÚLTIMAS NOTÍCIAS:

Brumado: Empresas se unem e realizam a maior confraternização entre funcionários

WhatsApp libera função para mensagens que desaparecerem automaticamente

Pesquisa aponta Viagra como medicamento candidato a prevenir Alzheimer

Foragidos de SP, MG e DF são alvos de operação em 5 cidades da Chapada

Caculé: Polícia prende homem que ajudou na ocultação do corpo de advogado

Atletas de Caetité conquistam quatro medalhas no Campeonato Mundial de Jiu-jitsu em São Paulo

Corpo em estado avançado de decomposição é encontrado na zona rural de Malhada de Pedras

Corpo de advogado desaparecido é encontrado na zona rural de Caculé

Gabinete de Segurança Institucional autoriza avanço de projetos de exploração de ouro na Amazônia

Morre Mila Moreira, 72, uma das primeiras modelos a se tornar atriz no Brasil

Encanador acha milhões em parede de igreja no Texas

'Entre o Carnaval e a vida dos baianos, eu fico com a vida e saúde dos baianos' diz Rui Costa

Vereadora Verimar do Sindicato, em audiência com o secretário da SERIN, discute proposta para asfalto que liga Brumado ao Distrito de Terra Vermelha

Os melhores aromatizantes para ambientes você encontra na Império Utilidades

Brasil: 75% das famílias têm dívidas, aponta Mapa do endividamento

Tem novidade na Gel Sol, sua representante Intelbras na Bahia

Brumado: Vida saudável é na Bete Fruits, venha conferir

Ministério da Saúde oferece mais de 21 mil vagas para Médicos pelo Brasil

Conheça o kit 'Barriga Tanquinho' de Marcelo Esportes

Judiciário da Bahia inaugura varas em duas cidades baianas


Ministério faz pregão, mas consegue apenas 2,4% das seringas necessárias para vacinação

Foto: Reprodução

O Ministério da Saúde garantiu até o momento apenas 2,4% do total de seringas e agulhas que pretende adquirir para a vacinação contra a Covid-19. Empresas que participaram de um pregão na terça-feira (29) ofertaram 7,9 milhões de seringas e agulhas, e o governo previa a compra de 331 milhões. As informações são do jornal Estadão. Com a tentativa frustrada, o Ministério da Saúde deve realizar um novo pregão. As empresas participantes reclamaram que o edital do Ministério encomendava seringas e agulhas como um só produto, e que os preços estavam abaixo dos praticados. O Ministério da Saúde informou que planeja iniciar a estratégia no país entre os dias 20 de janeiro e 10 de fevereiro. Segundo o secretário-executivo da pasta, Elcio Franco, a previsão considera três margens de datas. A reportagem do Estadão lembra que Franco deu as declarações após a Pfizer, laboratório que fabrica uma das vacinas que já vêm sendo aplicadas em outros países, informar que o Brasil exige "análises específicas" que deixam mais lento o processo para a aprovação do imunizante da empresa. No Brasil nenhum imunizante foi aprovado pela Anvisa ainda. 



Comentários

    Nenhum comentário, seja o primeiro a enviar.

Deixe seu comentário