ÚLTIMAS NOTÍCIAS:

PM acaba com festa de 'paredão' e apreende equipamento de som em Brumado

SSP-BA aponta queda de 62,5% de número de latrocínios em agosto

Brumado: Jovem morre em colisão entre moto e carro no bairro Santa Tereza

Brumado confirma 16º óbito por coronavírus e quase 200 casos ativos da doença

Bahia: PRF apreende tabletes de cocaína estampados com foto de Pablo Escobar

Brumado: Município registra 34 novos casos de Covid-19 nas últimas 24h

Brasil chega a 140 mil mortes e casos da Covid-19 em 24h tem leve queda

Confira os especialistas da semana na Clínica Mais Vida em Brumado

LAB: Vamos cuidar daqueles que amamos

Rui autoriza retomada do transporte coletivo intermunicipal em toda a Bahia

Covid-19: Pandemia não impede campanha 'corpo a corpo' entre candidatos em Brumado

Brumado: Há 14 anos filha procura por mãe que separou do pai quando ela ainda tinha 12 anos

BA-148: Motorista fica ferido após colisão entre carro e caminhão em Livramento de Nossa Senhora


Guajeru: Prefeito Gil Rocha esclarece que não houve decisão judicial determinando seu afastamento

Foto: Divulgação

O Prefeito de Guajeru, Gilmar Rocha Cangussu (PDT), Gil Rocha, emitiu uma nota oficial para esclarecer seu afastamento do atual cargo de Prefeito. Segundo ele, ocorre que, desde 2016, há contra ele uma ação eleitoral com o número 0442-72.2016.6.05.0093, e que lhe cabe o direito de recurso. A nota foi divulgada após a imprensa regional relatar que o prefeito teve seu diploma eleitoral cassado. De acordo com a sentença proferida pelo juiz Antônio de Pádua de Alencar, da 93ª zona eleitoral da Bahia, ele entendeu pela cassação do diploma do gestor, que teve seu direito político suspenso em decisão que o condenou por abuso de poder econômico. Em nota Gil Rocha esclareceu que, "adversários políticos estão mentindo em relação à suposta condenação, vez que a mesma apenas está limitada à suspensão dos seus direitos políticos, sem nenhuma repercussão sobre seu mandato. Com certeza, ao final a verdade dos fatos vai prevalecer, e a decisão do Juiz de primeiro grau será cassada pela instância superior", diz. De acordo com o prefeito de Guajeru, o Juiz da Zona Eleitoral aplicou sanção por causa da alegação dos adversários políticos, de que abertura de poços artesianos, limpeza de aguadas e feijoada distribuída na cavalgada do São Pedro, teriam causado desequilíbrio na campanha eleitoral de 2016. "Tudo foi alegado com base no depoimento da testemunhas. Obviamente qualquer afirmação de testemunhas perante a Justiça não tem validade, em função do seu interesse em prejudicar o prefeito e recuperar seu prejuízo", relata. Ainda conforme a nota, "desde que tomou posse no ano 2013, o prefeito Gil Rocha iniciou abertura de poços artesianos na Zona Rural para amenizar o sofrimento dos pequenos produtores, flagelados pela seca há muitos anos. Portanto, essa ação de combate aos efeitos da seca sempre foi parte do programa de governo". Ainda segundo a nota, "a limpeza de aguadas com uso das máquinas do programa PAC 2, é expressamente autorizado pelo Governo Federal. Assim, esse benefício para o pequeno produtor rural é, antes de tudo, um direito garantido". Por fim, a nota destaca ainda que a cavalgada realizada nas comemorações do São Pedro é festa folclórica financiada com recursos do Governo do Estado através da Bahiatursa. "Em 2016 estava na nona edição. Não foi uma festa inventada para fins eleitorais e até hoje é realizada", esclarece. Conforme o prefeito Gil Rocha, "os ataques difamatórios e caluniosos que vêm sendo lançados contra sua pessoa serão mais uma vez desmascarados, como tantas outras vezes o foram no passado".



Comentários

    Nenhum comentário, seja o primeiro a enviar.

Deixe seu comentário