ÚLTIMAS NOTÍCIAS:

SSP aponta que mais de 400 suspeitos de agredir mulheres foram presos nos primeiros sete meses de 2020

Hospital de Guanambi passa a contar com túnel de desinfecção

Lei Maria da Penha completa 14 anos ampliando medidas de proteção às mulheres

WSouza comemora mais de 2 mil inscritos em canal no Youtube

Carga de maconha avaliada em R$ 12 milhões é apreendida por polícia

Chegou em Brumado a loja que faltava! Império 10

Recuperação econômica global pode ser mais rápida com vacina. diz OMS

Bahia: Policiais civis anunciam paralisação de 24h na próxima terça-feira (11)

Agosto Dourado - a importância do aleitamento materno

Bahia chega a menor índice de ocupação de UTIs desde 25 de maio

Instituto Butantan diz ser possível ter vacina da Covid-19 para registro em outubro

Governador anuncia volta do transporte intermunicipal em algumas cidades da Bahia

'Prefeito de Brumado perdeu a capacidade de ouvir as pessoas', diz Fabrício Abrantes em entrevista à Brasil FM

Cinco pacientes estão internados com Covid-19 em Brumado

Morre aos 73 anos o ator Gésio Amadeu; artista foi diagnosticado com a Covid-19

Em dia de romaria, visitação à gruta de Bom Jesus da Lapa é reduzida

Comércio busca se adaptar para proteger clietes do novo coronavírus em Brumado

Bolsonaro diz que não vai continuar pagando auxílio emergencial por muito tempo

Brumado: 1.068 pacientes tiveram exames descartados e 479 estão curados da Covid-19

Operação integrada desarticula quadrilha de roubo a bancos em Juazeiro


Prefeito de Guajeru têm direitos político suspenso por abuso de poder político pela Justiça Eleitoral

Foto: Luciano Santos l 97NEWS

O prefeito do município de Guajeru, Gilmar Rocha Cangussu (PDT), O Gil Rocha, teve seu direito político suspenso, e deve deixar de concorrer a futuras eleições. A sentença proferida pelo juiz Antônio de Pádua de Alencar, da 93ª zona eleitoral da Bahia entendeu pela cassação do diploma do gestor, em decisão que o condenou por abuso de poder econômico. Segundo denúncias, Gil durante a sua campanha para reeleição teria usado de bens públicos e recursos, violando o princípio da isonomia no processo eleitoral. A investigação foi iniciada em 2016. O prefeito teria usado máquinas do PAC 2 para realização de serviços particulares, como limpeza de tanques, obras em propriedade particular e perfuração de poços artesianos. O gestor também teria promovido uma cavalgada com distribuição de prêmios e brindes. As irregularidades estão previstas pela Lei 9.504/97, que estabelece normas para as eleições, e pela Lei Complementar 64/90, alterada pela Lei da Ficha Limpa. Na decisão, o Juíz determinou a cassação do diploma do gestor e a inelegibilidade do mesmo por oito anos. Quanto ao vice-prefeito, Jilvan Ribeiro, a ação foi julgada improcedente. Ainda cabe recurso da decisão. (Veja a decisão)



Comentários

    Nenhum comentário, seja o primeiro a enviar.

Deixe seu comentário