ÚLTIMAS NOTÍCIAS:

'Brumadinho de açúcar': Buracos em ruas causam prejuízos e acidentes de trânsito

Brumado: Mais uma terceirizada da Coelba é acusada de atrasar salários de colaboradores

Variante Ômicron representa risco global muito alto, alerta OMS

Prefeito de Brumado anuncia antecipação da 2ª parcela do 13º salário

Campanha 'Natal solidário - Convida 20 Sem Fome' arrecada alimentos para famílias carentes

Brumado: Aluga-se galpão de 466 m² no bairro Malhada Branca

Chuvas deixam 50 pessoas desabrigadas e causam transtornos em Anagé

Carro é danificado e motorista por pouco não é linchado em Brumado

Tem novidade na Gel Sol, sua representante Intelbras na Bahia

Brumado: Sem pneus, carro é incendiado no bairro Dr. Juracy

Os melhores aromatizantes para ambientes você encontra na Império Utilidades

Após tentar por 27 vezes, vendedor ambulante passa em concurso da Polícia Militar da Bahia

Após fortes chuvas, lama invade casas em Itacaré

RotSat: Conheça o nosso site com 'Menu' de acesso rápido

Brumado: Modelo de escolas em Tempo Integral chamam a atenção de municípios da Região

Homem é condenado a mais de 20 anos por feminicídio de servidora do Detran-BA

Confira os especialistas da semana na Clínica Mais Vida em Brumado

Palmeiras vence Flamengo na prorrogação e conquista 3º título da Libertadores

Caso Ariane: Acusado de feminicídio em 2019 é absolvido pelo júri e tem pena de 1 ano e meio

Brumado: Calçamento cede e caminhão fica com a roda presa no buraco no bairro Baraúnas


2017: Agressões contra mulher brumadense crescem 130% ao ano, diz coordenadora do Creas

Os casos de violência contra a mulher no país cresceram a cada ano, e em Brumado, a situação infelismente não é diferente. Dados do Centro de Referência Especialização de Assistência Social (Creas) indicam que os casos de violência contra a mulher tiveram aumento de mais de 130%, este ano em Brumado. Os casos mais registrados são: violência física, psicológica e moral. Os dados foram divulgados pela coordenadora do Creas, Janine Caldeira. A também assistente social disse que desde a instalação do Creas em 2009, este ano, que nem terminou, já é considerado o mais violento contra a mulher. Janine considera que o aumento nos números é reflexo da força que as mulheres ganham na sociedade. "Com vários mecanismos governamentais e ação feminista nas ruas e em redes sociais, nós nos sentimos mais seguras e fortalecidas para registrar as ocorrências. Porém ainda há culpabilização da vítima e minimização da agressão durante o relato nas delegacias", afirmou. 

Foto: Luciano Santos l Conteúdo 97NEWS

Outro fator que agrava ainda mais, é que, o fato de não possuir uma Delegacia da Mulher, em Brumado, muitas delas, acabam não registrando, por medo ou vergonha. "Grande parte das agressões físicas está ligada ao alcoolismo e uso de drogas, e a maior incidência é nos finais de semana", declarou. O não registro das ocorrências se devem a ao fato de as vítimas terem medo dos agressores. Ainda segundo a assistente, o que mais preocupa é pelo fato de a grande maioria das ocorrências ocorrem dentro da família. As agressões partem de maridos, companheiros e até filhos e netos das vítimas. Por conta dos dados coletados, o quadro para a mulher na cidade é considerado emergencial. Caldeira disse ainda que os casos de violência se dão tanto em famílias carentes como em pessoas de maior renda financeira. Para se combater a violência contra a mulher a atenção afetiva é fundamental. "O papel da mulher na sociedade, hoje, é de luta pelos seus direitos e para desconstruir o machismo. Falta um caminho tenso e extenso, mas é a única saída para mudar realidade do Brasil", disse.



Comentários

    Nenhum comentário, seja o primeiro a enviar.

Deixe seu comentário