ÚLTIMAS NOTÍCIAS:

Brumado: Adolescente de 13 anos diagnosticada com tumor no cérebro aguarda por uma vaga em uma UTI avançada

Novo carregamento da vacina pediátrica da Pfizer chega ao Brasil

Mulher doa rim para namorado e homem acaba relacionamento após traí-la

Guanambi: Duas pessoas são conduzidas à delegacia por furto de energia

Euclides da Cunha: Mulher é achada morta dentro de imóvel com sinais de enforcamento

Brasil registra 84 mil casos de Covid e cerca de 1 milhão em uma semana

Guanambi: Prefeitura habilita 10 leitos clínicos para tratamento da Covid-19 e mais 10 leitos de suporte à UPA

Bahia atinge 18.314 casos ativos de Covid-19 e registra 18 mortes pela doença

Confira os especialistas da semana na Clínica Mais Vida em Brumado

Comprovante de vacinação passa a ser exigido em delegacias da Bahia

Piloto morre após queda de avião em Luís Eduardo Magalhães

Vitória da Conquista: Terreiros de religiões de matriz africana ganham imunidade tributária

Brumado registrou 178 casos ativos de Covid-19 na sexta-feira


Medina se vinga de Julian Wilson, é campeão em Portugal e briga pelo bi mundial no Havaí

Medina vence a segunda seguida e faz uma perna europeia espetacular e agora vai rumo ao título (Foto: Reprodução ESPN)

Há cinco anos, Gabriel Medina e Julian Wilson se enfrentaram pela primeira vez em uma final na elite nas ondas de Peniche, em Portugal. A lembrança da final polêmica em 2012, vencida pelo australiano, segue cristalina na memória. Os dois se encontraram novamente nas decisões de Pipeline 2014 e Teahupoo 2017, e o surfista de Coolum Beach, Queensland, levou as duas taças, tornando-se a pedra no sapato de Medina nos últimos anos. Desta vez, o primeiro brasileiro campeão mundial não deu espaço para o rival. Precisando da vitória para manter vivo o sonho do bicampeonato no Pipeline Masters, no Havaí, Gabriel apostou no jogo aéreo e se vingou finalmente de seu algoz para conquistar o título nas ondas fortes e tubulares de Supertubos. Com as vitórias em Portugal e na França, Medina chegará à derradeira de 11 etapas do Circuito Mundial 2017 na vice-liderança do ranking mundial, com 50,250 pontos, a apenas 3.100 de distância do líder John John Florence (53.350). Vencer em Portugal era a sua última chance de brigar pelo caneco nesta temporada. Julian Wilson (45.200) pulou de sexto para o quarto lugar com o vice em Peniche, Jordy Smith (47.600) caiu de segundo para terceiro com a precoce eliminação no round 3, e O havaiano defenderá a ponta e o caneco no North Shore de Oahu, o seu quintal de casa. O retrospecto conta a favor de Medina em Pipeline. Foi ali onde ele conquistar o inédito troféu para o Brasil no surfe em 2014. Na ocasião, ele ficou com vice mesmo com um tubo nota 10 de backside, sendo barrado por Julian Wilson. Em 2015, o local de Maresias fez outra final no Havaí. Gabriel perdeu uma disputa equilibrada para Adriano de Souza, que sagrou-se campeão mundial naquele ano, mas ficou com a Tríplice Coroa Havaiana.



Comentários

    Nenhum comentário, seja o primeiro a enviar.

Deixe seu comentário