ÚLTIMAS NOTÍCIAS:

Rio de Contas: Caminhão carregado de lonas cai em ribanceira em curva da BA-148

Brumado: Uneb disponibilizará monitores para melhorar atendimento na pediatria do Hospital Municipal

Jovem acusa ter sido agredido por homofobia após descer de ônibus em Conquista

Alunos envenenam professora em sala de aula

Jovem de 20 anos é encontrado morto dentro de casa em Brumado

Confira os especialistas da semana na Clínica Mais Vida em Brumado

Brumado: Tratamento do glaucoma e catarata deve retornar a partir de março, diz Sesau

Brumado: IBGE convida população para segunda reunião de planejamento e acompanhamento do Censo 2020

Ortopedia na Clínica Mais Vida com o especialista Dr. Ricardo Amâncio

Escolas de Brumado aderem a campanha contra desafio da rasteira

IBGE prevê safra na Bahia de 8,6 milhões de toneladas de grãos em 2020


Secretária de Educação diz que denúncia da farofa e da água no Caic foi um mal entendido

A secretária Acácia Gondim disse que tudo não passou de um mal entendido (Foto: Marcos Paulo / 97NEWS)

A denúncia feita por uma mãe de um aluno da creche do Caic, na qual ela disse que o seu filho tinha sido vítima de um mal estar por ter comido farofa de fígado por dois dias seguidos acabou repercutindo na comunidade escolar e visando esclarecer a questão, a reportagem do 97NEWS falou na tarde desta terça-feira (29) com a secretária de Educação, Acácia Ribeiro que explicou a sua versão do fato. Segundo ela tudo não passou de um mal entendido, já que, primeiramente, a farofa não é servida sozinha e sempre vem como acompanhamento das refeições e que todos os dias é oferecida uma farofa diferente (ovo, carne, couve, cenoura, fígado, etc). Ela também disse que falou com a diretora do Caic que negou as afirmações da mãe do aluno. “Não há falta de recursos para a compra do material, graças a Deus existe até fartura, pois o nosso planejamento se mostrou muito eficaz, além do que temos acompanhamento de nutricionistas, então, podemos garantir que os alunos não saíram da escola mais cedo por falta de merenda”. Sobre a questão da denúncia da má qualidade da água oferecida aos alunos, ela respondeu que “posso afirmar que o nosso poço está desativado há 4 meses, pois houve um problema que até agora não pode ser solucionado, então, a água servida é a da Embasa, que todos sabem que é de ótima qualidade” e complementou relatando que “quando o poço estava funcionando a água só era destinada à limpeza e aos banheiros, nunca para fazer comida ou ser consumida in natura pelos alunos”. 



Comentários

    Nenhum comentário, seja o primeiro a enviar.

Deixe seu comentário