ÚLTIMAS NOTÍCIAS:

Confira os especialistas da semana na Clínica Mais Vida em Brumado

Brumado: Trabalhadores da Endicon são demitidos e temem 'calote' de empresa

Brumado: Preso em flagrante tem ataque de fúria, agride policiais e quebra objetos de delegacia

PM apreende drogas e pássaros silvestres em Rio de Contas

Acesse a TV Templo dos Milagres no Youtube e seja abençoado

Brumado: Mega estrutura está sendo montada para o Verão VIP com ingressos limitados

O Tema Livre Podcast desta semana recebeu o 'MC Naip Bronka'

Brumado: Subnotificação dos casos de Covid esconde números reais da doença

Cinco morrem e mais de 70 são presas em operação da PM na Bahia

Homem mata pastora de 84 anos a pauladas na porta de igreja

Há 41 anos, mulher procura avós que possivelmente moram em Brumado ou Caetité

Operação Força Total intensifica policiamento na Bahia

Dr. Felipe Leão, médico da Clínica Mais Vida, alerta sobre a importância da realização do check-up

Operação da PF prende homem que divulgou vídeo de estupro de criança

Bradesco fecha sua agência em Brumado após funcionário testar positivo para Covid-19


Conselho de Ética da Câmara aprova perda de mandato de Natan Donadon

Preso há cerca de cinco meses, o deputado federal Natan Donadon (sem partido-RO) pode novamente enfrentar um processo de cassação no plenário da Câmara dos Deputados. Nesta quarta-feira (27), o Conselho de Ética da Casa aprovou o requerimento do deputado José Carlos Araújo (PSD-BA), por 13 votos a 0, que pede a cassação do parlamentar que está detido no presídio da Papuda. Com isso, o processo por quebra de decoro parlamentar segue para o plenário da Câmara. No dia 28 de agosto, o plenário da Câmara rejeitou cassar o mandato de Donadon. Na votação, secreta, 233 parlamentares se manifestaram a favor da cassação, mas para isso eram necessários pelo menos 257 votos. Em seu relatório no Conselho de Ética,o deputado José Carlos Araújo argumentou que a manutenção do mandato de Donadon representa uma "ferida aberta" no Legislativo. "O parlamento está com uma ferida aberta, que necessita ser urgentemente tratada, para estancar a sangria da credibilidade. Não é compatível que um presidiário recluso em casa de correção em regime fechado por mais de 13 anos continue a ostentar o diploma parlamentar", afirmou. 

G1



Comentários

    Nenhum comentário, seja o primeiro a enviar.

Deixe seu comentário