ÚLTIMAS NOTÍCIAS:

Brumado registra 61 óbitos por conta da Covid-19; município ultrapassa 5 mil casos confirmados e 335 em tratamento

Brumado: Uma pessoa é flagrada desrespeitando toque de recolher

Confira os especialistas da semana na Clínica Mais Vida em Brumado

Restrição de atividades: Saiba o que poderá funcionar na Bahia de sexta a segunda

Bahia: Rui Costa prevê que Brasil vai ‘mergulhar no caos em duas semanas’ por causa de Covid-19

Auxílio deve voltar em março com parcelas de R$ 250, diz Governo

Dono do hit ‘Gordinho Gostoso’, Neto LX é detido com carro roubado

Vacinação contra o coronavírus é retomada nesta sexta-feira (26)

Prosel 2021: Abertas inscrições para o Processo Seletivo do Ifba/Brumado

Brumado: É Fake o vídeo que circula nas redes sociais na qual torcedores do Flamengo estariam nas ruas em comemoração ao título

Governador proíbe cirurgias eletivas em hospitais públicos e privados da BA por 7 dias

Flamengo é campeão brasileiro mesmo após perder para o São Paulo no Morumbi

Brumado: Incêndio destrói casa na Rua Nazaré no bairro Dr. Juracy; não havia ninguém na residência

Brumado: Mãe de empresário é atropelada por motocicleta na Avenida Centenário

Brumado: Jovem de 24 anos é morto a tiros na Av. Antônio Mourão Guimarães

Brumado: Município registra 59 mortes por conta da Covid-19; 30 estão hospitalizados


Fim dos tempos: Garoto de 12 anos estupra irmã de 9 após ver filme adulto sobre incesto

O garoto assumiu a culpa por seis acusações de estupro e passará cinco anos sob acompanhamento para prevenção contra crimes sexuais. Crime ocorreu no Reino Unido (Fotos: Reprodução)

Um garoto hoje com 14 anos recebe tratamento numa instituição depois de estuprar repetidas vezes sua irmã mais nova, que na época tinha 9 anos. O menino, então aos 12, teria assistido a filmes pornô com temática de incesto e usado o argumento de que os dois não seriam mais irmãos se eles não mantivessem relações sexuais. As informações são do “site” Daily mail. Segundo o promotor Ian Fenny, os atos não foram isolados e aconteceram no quarto da menina e, quando interpelado pela mãe, ele teria dito que ela consentiu. “Aconteceram em momentos em que ele sabia que não seria interrompido”, disse diante da Corte de Cheltenham (dir.), no Reino Unido. O menino, cuja identidade não pode ser revelada, teria ainda feito buscas na internet para achar conteúdos pornográficos contendo incesto.(Redação BDM)



Comentários

    Nenhum comentário, seja o primeiro a enviar.

Deixe seu comentário