ÚLTIMAS NOTÍCIAS:

Brumado: MP instaura inquérito para apurar supostas irregularidades em concurso público da Prefeitura

Produção industrial baiana cresceu 11,9% em junho

Leilão de quase R$ 143 milhões ofertará esgotamento sanitário para Brumado

Manutenção emergencial interrompe abastecimento em Brumado e Malhada de Pedras

ADAB identifica praga cochonilha do carmim em plantação de palma de Dom Basílio

Vitória da Conquista: Mulher é morta a tiros na frente da filha

Incra notifica assentados em situação irregular em Vitória da Conquista e mais 6 cidades

Bahia tem 20 casos confirmados da varíola dos macacos

Brumado: Agentes de saúde vão a Câmara e pedem correção de insalubridade e representação sindical

Motorista e passageira ficam feridos após picape capotar na rodovia que liga o Distrito de Sussuarana à Anagé

Votação que prevê aumento no piso salarial de agentes comunitários de Salvador gera confusão e bate boca na Câmara de Salvador

Morre aos 45 anos em Brumado, Jaqueline Santos, auxiliar de saúde bucal

Vitória da Conquista registra aumento no número de picadas de escorpiões

Maxxnet lança promoção para o Dia dos Pais

WhatsApp já permite sair de grupo sem alarde e escolher quem pode ver você online

Parque Tecnológico da Bahia irá receber mais de R$ 9 milhões de investimento

Brumado: Câmara de Vereadores promulga lei que reserva vagas de estacionamento para gestantes, lactantes e pessoas com crianças de colo

Bom Jesus da Lapa reúne 600 mil fiéis em evento religioso

Corpo de idosa chilena é encontrado em estado de decomposição no interior da Bahia

Ministério da Saúde lança Campanha Nacional de Vacinação


A VIOLÊNCIA URBANA BATE À NOSSA PORTA

Engana-se quem pensa que a violência urbana esteja circunscrita a capitais ou metrópoles.

Para nos atermos à nossa aldeia, Brumado, foi-se o tempo em que se podia apreciar, das calçadas, o nascer da lua, ou as noites em que as crianças podiam dar-se ao luxo de se divertirem com as tiradas lúdicas das cantigas de roda, aos olhares embevecidos de pais e avós. Esta cidade, a par das conquistas que o progresso traz, também vive sua via crucis, numa escalada inaceitável de mortes urbanas. Enquanto, segundo dado estatístico de O Globo, caderno País, de 22.08.2013, portanto, hoje, o Brasil continua num patamar de 20 mortes por 100 mil habitantes por ano, geradas pela violência urbana, Brumado, até 21 de agosto deste ano, já exibe uma estatística inaceitável e estarrecedora de 18 mortes. Ora, se analisarmos os números, considerando que ainda estamos em 22 de agosto, portanto a mais de 4 para o término do ano, percebemos que, proporcionalmente, a cidade já tem uma contabilidade que aponta um número de mortes por violência urbana que supera, em 70%, o nível nacional.

Causas? As mesmas questões socioeconômicas, demográficas, culturais e políticas de todo o território nacional e de países no patamar de desenvolvimento brasileiro: má distribuição de renda, educação precária, consumo incontrolável de drogas, geração de empregos em descompasso com o crescimento da população etc.

Há um dado novo em toda esta escalada, qual seja: a violência urbana não tem foco mais em cor de pele, estrato social ou pontos específicos da cidade. É um fenômeno social que tem grassado tanto nos segmentos mais pobres quanto nos mais aquinhoados.

Hoje quando os holofotes do Planalto estão voltados para o Congresso, que vota o novo Código Penal, resta-nos torcer que os mecanismos de contenção da violência e sua prevenção, com esforço do Governo e de toda a sociedade civil, possam ter êxito, e que a vida seja respeitada como bem maior, evitando-se tanta morte, muitas vezes prematura, de jovens ainda no limiar da existência.

Texto: Esechias Araújo Lima

 



Comentários

  • claudio santos

    "comentario muito bom, parabens ezequias lima"

Deixe seu comentário