ÚLTIMAS NOTÍCIAS:

Homem morre em confronto com policiais na Chapada Diamantina

TRE da Bahia volta exigir obrigatoriedade de uso de máscaras em suas dependências

Postos SAC na capital e interior fecham na sexta-feira (24) e sábado (25)

Bahia: Carreta pega fogo populares saqueiam carga na BR-116

Com 40 casos hospitalares em 22 dias, Sesab alerta para risco de queimaduras nos festejos juninos

Atendimento do INSS ficará suspenso durante o feriado de São João na Bahia

Receita alerta para golpes envolvendo a regularização de CPF

Tanhaçu: Motociclista fica ferido após atropelar animal na BA-142

Covid-19: Casos ativos chegam a 5,2 mil na Bahia e estado registra nove mortes em 24h

Câmara Municipal de Vereadores de Brumado recebe representante do Tiro de Guerra

Psicólogo da Clínica Mais Vida fala sobre a Logoterapia e a superação dos traumas emocionais

Bahia deve receber 69 novos parques eólicos até 2026

Brumado: Prefeitura divulga atrações para o São Pedro dos Olhos D'água

Operação prende quatro pessoas envolvidas com crimes de pirataria virtual na Bahia

Caetité: Câmara abre CPI para investigar denúncias contra o prefeito

Brumado: Decreto proíbe venda de fogos de artifício em local não autorizado

Receita Federal deixa de exigir autenticação de documentos

São João com frutas e verduras é na Bete Fruits

Após abrir processo administrativo contra colega, procuradora é agredida no interior de São Paulo


Empresa de Claudia Leitte estava inadimplente no Ministério da Cultura, mostra site

O Ministério da Cultura registra a inadimplência quando as contas e demais documentos comprobatórios do cumprimento do projeto não são apresentados no prazo estipulado.

É de conhecimento público que o projeto de lançar uma biografia de Claudia Leitte, motivo de polêmica nesta semana, não foi o primeiro da cantora a receber apoio via Lei Rouanet. O dinheiro captado destinava-se a doze shows de Claudia nas regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste (Rio Branco/AC, Macapá/AP, Belém/PA, Manaus/AM, Porto Velho/RO, Boa Vista/RR, Teresina/PI, João Pessoa/PB, São Luiz/MA, Fortaleza/CE, Goiânia/GO e Brasília/DF). Segundo o MinC, apesar de o projeto ser de 2012, o prazo para execução era até 31 de dezembro de 2015. E a prestação de contas devia ser feita até o dia 31 de janeiro de 2016, o que não aconteceu.  Em 2012, a Ciel, empresa dela, foi autorizada a captar R$ 5,8 milhões, dos quais conseguiu efetivamente R$ 1,2 milhão, para uma série de shows. Acontece que até a tarde de hoje, qualquer cidadão que buscasse no Ministério da Cultura informações sobre esse projeto encontrava-o classificado como inadimplente. Como no print abaixo (o grifo vermelho já é do próprio site do Ministério):

(Reprodução)


Comentários

    Nenhum comentário, seja o primeiro a enviar.

Deixe seu comentário