ÚLTIMAS NOTÍCIAS:

Aracatu: Coelba desativa gatos de energia no município

Bahia: Detran capacita novos coordenadores de unidades de trânsito da capital e do interior

Brumado: Jovem tem bicicleta furtada dentro de casa no distrito de Lagoa Funda

Brumado: Clientes da Oi reclamam que telefones fixo e internet não funcionam

Tremor de terra é registrado em Jacobina

Faustão quebra o silêncio, confirma saída da Globo e não descarta deixar o país

Covid-19: Bahia já recebeu mais de meio milhão de vacinas imunizantes

Brumado confirma 27 novos casos de coronavírus nas últimas 24h

Jogador brumadense assina contrato com o Palmeiras por quatro anos

ONU defende que licenças para produção de vacinas sejam dadas ao Brasil e Índia

Bahia ultrapassa 84 mil pessoas que tomaram 1ª dose de vacina contra a Covid-19

Fura-filas da vacinação não terão direito à segunda dose e poderão ser presos

Morre em decorrência da Covid-19 o médico de 44 anos, Dr. Lívio

New Kenko Purificadores: Beba água de qualidade e garanta a saúde para sua família

Brumado: Sem espetáculos há quase oito meses, circo volta a realizar apresentações ao público

Justiça Federal nega liminar contra prefeito de Candiba que furou fila de vacinação

Falso policial civil é preso por aplicar golpe em Livramento de Nossa Senhora

Super promoção da Loja Império 10: duas peças por somente R$ 15

Brumado: Município recebe 480 doses do imunizante desenvolvido pela universidade de Oxford

RotSat: Rastreamento de veículos ou de sua frota!


Dono de cão com suspeita de Calazar acusa agente de endemias por cobrar exame; setor se defende

(Fotomontagem: 97NEWS)

O mototaxista Fábio Oliveira de Azevedo procurou o Grupo Alternativa de Comunicação para apresentar uma denúncia contra um agende de endemias, o qual, segundo ele, cobrou para a realização do exame de constatação do Leschimaniose Visceral, o popular Calazar. “O meu cão apresenta muitos sintomas que indicam ser Calazar e os agentes foram em casa e se recusaram a fazer o exame e, depois que fui ao setor novamente, me informaram que somente pagando que poderia realizar o procedimento confirmatório”, relatou e ainda indagou que “pagar por um exame que é de responsabilidade do estado é uma afronta, já que pagamos os impostos, além do que é um caso de saúde pública, pois caso o cão esteja mesmo infectado ele está colocando a vida da minha família e da vizinhança em risco. Não temos coragem para sacrificar o animal, então somente o setor de endemias para resolver o problema”.  Nossa equipe falou com o coordenador do setor de endemias, Fábio Azevedo que explicou que “realmente não temos o exame Elisa, que é o confirmatório, mas temos o kit de triagem, que mostra a suspeita. O Lacen também está sem o kit, então o único jeito é retirar o sangue e entregar para os proprietários para fazerem o exame num laboratório particular”. Questionado sobre os números do Calazar em Brumado, ele respondeu que “temos 3 casos suspeitos, os quais estão sendo monitorados”. 



Comentários

    Nenhum comentário, seja o primeiro a enviar.

Deixe seu comentário