ÚLTIMAS NOTÍCIAS:

Confira os especialistas da semana na Clínica Mais Vida em Brumado

Brumado: Trabalhadores da Endicon são demitidos e temem 'calote' de empresa

Brumado: Preso em flagrante tem ataque de fúria, agride policiais e quebra objetos de delegacia

PM apreende drogas e pássaros silvestres em Rio de Contas

Acesse a TV Templo dos Milagres no Youtube e seja abençoado

Brumado: Mega estrutura está sendo montada para o Verão VIP com ingressos limitados

O Tema Livre Podcast desta semana recebeu o 'MC Naip Bronka'

Brumado: Subnotificação dos casos de Covid esconde números reais da doença

Cinco morrem e mais de 70 são presas em operação da PM na Bahia

Homem mata pastora de 84 anos a pauladas na porta de igreja

Há 41 anos, mulher procura avós que possivelmente moram em Brumado ou Caetité

Operação Força Total intensifica policiamento na Bahia

Dr. Felipe Leão, médico da Clínica Mais Vida, alerta sobre a importância da realização do check-up

Operação da PF prende homem que divulgou vídeo de estupro de criança


Material escolar fica até 30% mais caro em 2016

Segundo Rosana Carvalho, vendedora da Papelaria Monteiro, os produtos de personagens licenciados estão ainda mais caros (Foto: Marina Silva/CORREIO)

O ano nem começou ainda, mas 2016 promete fortes emoções para o bolso dos pais. Isso porque o preço do material escolar deve ficar até  30% mais caro. A estimativa da Associação Brasileira dos Fabricantes e Importadores de Artigos Escolares (Abfiae) é que o reajuste seja de pelo menos 10%. Porém, o Correio foi às ruas esta semana e constatou que o reajuste dos produtos já alcança a casa dos 30% na comparação com o ano passado. “Os artigos de papelaria estão mais caros por conta da desvalorização do real, alta do dólar, do aumento dos insumos e da mão de obra”, explica o presidente da Abfiae, Rubens Passos.  O ano nem começou ainda, mas 2016 promete fortes emoções para o bolso dos pais. Isso porque o preço do material escolar deve ficar até  30% mais caro. A estimativa da Associação Brasileira dos Fabricantes e Importadores de Artigos Escolares (Abfiae) é que o reajuste seja de pelo menos 10%. Porém, o CORREIO foi às ruas esta semana e constatou que o reajuste dos produtos já alcança a casa dos 30% na comparação com o ano passado. “Os artigos de papelaria estão mais caros por conta da desvalorização do real, alta do dólar, do aumento dos insumos e da mão de obra”, explica o presidente da Abfiae, Rubens Passos. Na hora da compra, além da negociação com a criança, o economista Antonio De Julio recomenda que os pais tenham um diálogo com seus filhos, explicando o real motivo de adquirirem ou não uma coisa. “A criança precisa fazer parte do ritual da compra e entender que ela pode ajudar os pais dela a pagar menos”, diz. É isso que faz a fisioterapeuta Adriana Barbosa, 37 anos. Com duas filhas, Mariana Barbosa, 4 anos, e Beatriz Barbosa, 8 anos, ela conta que prefere não levá-las na compra do material escolar. A fisioterapeuta conta que sempre conversa com as filhas para ter um direcionamento do que elas querem. “Pergunto a cor de estojo que preferem, o estilo da capa de caderno, etc. Além disso, dou a opção delas escolherem um item que tenha o personagem que elas querem. Sempre tem um personagem que é o da moda, se eu for comprar tudo, sai muito mais caro”, diz. 



Comentários

    Nenhum comentário, seja o primeiro a enviar.

Deixe seu comentário