ÚLTIMAS NOTÍCIAS:

Clínica Mais Vida informa que estará de recesso entre 22 e 25 de junho

Homens são 98% dos presos por aborto no Brasil, diz Justiça

'Rei da Seresta' é preso após show no interior da Bahia

Brumado: Paulo Henrique é encontrado morto às margens de linha férrea no bairro Dr. Juracy

Justiça mantém multa de R$ 8,6 mi a Oi por propaganda enganosa em emissora de TV

Prefeita do município de Maetinga é alvo de duas CPIs

Vídeo em que advogada aparece chorando junto aos filhos por ter passado no concurso viraliza

Salário médio dos baianos era sexto menor do Brasil em 2022, aponta IBGE

Mulher é presa ao tentar vender filhos na Bahia; uma das crianças tinha 32 dias

OMS alerta sobre lote falsificado de Ozempic encontrado no Brasil

Inverno na Bahia: Cidades baianas devem ter frio de 10ºC

Super ofertas do mês de junho da Central das Carnes; confiram


Crise financeira faz cachês dos maiores cantores despencarem. Axé foi o mais afetado

Cachê de Ivete despencou de R$500 mil para R$ 300 mil em menos de 6 meses (Foto: Reprodução)

Fim do ano é hora de fazer um balanço financeiro dos 12 meses que se passaram. E a música brasileira sofreu diretamente os efeitos da crise econômica que assola o país.Em média, segundo empresários ouvidos pela coluna, a queda foi de cerca de 30% do valor dos preços cobrados há um ano. Alguns ritmos musicais sofreram mais o efeito da crise do que outros. O axé music foi, disparado, o ritmo musical mais afetado. Ivete Sangalo é a única que ainda consegue se sobressair em meio à crise na Bahia. E o sertanejo continua tendo os cachês mais altos do mercado e levando mais público aos shows. Eles dominam as rádios e os empresários do meio sertanejo são muito unidos, o que mantém intacta a força da música do interior do país. Inevitavelmente, quem sofreu diretamente com a queda dos cachês foram os músicos e bailarinos. Todos (todos mesmo) os cantores cortaram, nos últimos meses, alguns componentes de suas bandas, até mesmo para diminuir os custos de transporte e hospedagem.



Comentários

    Nenhum comentário, seja o primeiro a enviar.

Deixe seu comentário