ÚLTIMAS NOTÍCIAS:

Casos ativos da Covid-19 voltam a cair após 4 dias na Bahia; estado registra 9 óbitos em 24h

Embasa é acionada por descarte irregular de resíduos em Morro do Chapéu

Brumado: Terminal Rodoviário passa por manutenção e conservação

Conquista: Comerciante é preso vendendo celulares com restrição de roubo

Bahia receberá primeira Copa Indígena de Futebol

Empresa brumadense está entre as classificadas para o Prêmio BBM de Logística 2021

Caminhoneiros acusam ministro de se empenhar para desarticular greve

Itapetinga: Homem é preso suspeito de se passar por funcionário de bancos e aplicar golpes de mais de R$ 50 mil

Brumado: Moradores da rua Bocaiuva reclamam que coleta não está sendo realizada e lixo se acumula pela rua

Novo decreto que vai liberar 50% da capacidade dos estádios na Bahia

Brumado: Moradores da Rua Princesa Leopoldina rompem manilha de esgoto após alagamento de casas

Brumado: Moradores reclamam de criação de porcos perto de residências no bairro São Felix

Brumado: Câmara recua e não vota proposta para volta das máscaras de proteção

Conquista: Acidente entre carro de passeio e carreta deixa quatro mortos

Senhor do Bonfim: Operação prende empresário considerado 'príncipe do tráfico'

Após reivindicação da vereadora Verimar, operação 'Água Potável' é iniciada em Brumado

Petrobras sobe novamente preços da gasolina e do diesel

Brumado: OAB vai acionar prefeito na Justiça após decreto que liberou uso de máscaras

Brumado: Colisão lateral entre veículo de passeio e moto deixa dois feridos na BA-148

Motociclista de 42 anos morre em acidente na BA-148


Conselheiro do CNJ teve assinatura fraudada para criação do Sustentabilidade

As fraudes nas assinaturas de apoio à criação do partido Solidariedade, liderado pelo deputado Paulinho da Força (PDT-SP), atingiram uma autoridade do Conselho Nacional de Justiça (CNJ). A vítima foi Bruno Dantas, conselheiro até agosto deste ano. Como a ficha foi apresentada ao cartório em julho, Bruno ainda exercia a função no CNJ. Bruno é servidor do Senado e acabou com a sua assinatura falsificada pela equipe recrutada pelo Solidariedade para alcançar as 492 mil rubricas de apoio necessárias à criação da legenda. A falsificação tenta se aproximar à assinatura original. Ao averiguar a ficha de apoio à criação do partido Solidariedade, o conselheiro confirmou ser vítima da fraude. O promotor Mauro Faria pediu à Polícia Federal, em setembro, abertura de inquérito para apuração das fraudes na formação do projeto de partido. Uma denúncia apontou o uso de assinaturas falsas, já certificadas, nas fichas de adesão. A suspeita da PF é de que cerca de dois mil cidadãos, do cadastro de sócios do Sindicato dos Servidores do Poder Legislativo (Sindilegis), foram parar na lista de “fundadores” do partido. 

Por: O Globo



Comentários

    Nenhum comentário, seja o primeiro a enviar.

Deixe seu comentário