ÚLTIMAS NOTÍCIAS:

Brumado: Homem é preso por tentativa de feminicídio contra a companheira no residencial Brisas II

Brumado: Major PM Leila Silva realiza sua primeira visita institucional à 20ª Coorpin

Brumado: Com redução de casos, Sesau encerra atividades de UTIs Covid

Mãe e filho morrem após casa onde moravam pegar fogo em Vitória da Conquista

Governo da Bahia aumenta público de eventos para 1,1 mil pessoas

Brumado: SMTT realiza ações na 'Semana Nacional de Trânsito 2021'

Números de Covid na Bahia não são divulgados por falha no sistema do governo federal

Município de Guanambi é condenado a indenizar donos de carro atingidos por queda de árvore

Vereadora Verimar solicita instalação de equipamentos adaptados em praça pública para crianças com deficiência física

Foi preso em SP o suspeito de cometer latrocínio em Paramirim

Brumado: Parentes, amigos e colegas dão último adeus a Daniel Simurro

Osmar Botelho é o novo presidente da Auditoria Pública Cidadã Baiana

Mais de 600 mil doses de vacinas serão distribuídas na Bahia nesta terça

Brumado: Venha conhecer a loja Império Utilidades

Jornalista Daniel Simurro morre aos 58 anos em Brumado

Brumado: Há 19 dias município não registra morte por Covid-19

Guanambi: Rui entrega reforma de estrada e autoriza R$ 35 milhões em ações

Brumado: Blogueiro Daniel Simurro é internado após mal súbito em sua residência

Brumado: Sindicato dos Mineradores denuncia assédio moral em empresa de refino de talco

Brumado retoma vacinação de adolescentes com 16 e 17 anos nesta terça-feira (21)


Caiu em si: Governo recua e desiste de criar a nova CPMF

(Foto: Reprodução)

Em decisão na tarde deste sábado (29), o governo federal decidiu sepultar, temporariamente, a recriação da CPMF. De acordo com a Folha de S. Paulo, a cúpula do Palácio do Planalto recuou após o posicionamento contrário de setores empresariais e até do vice-presidente da República, Michel Temer, que demonstrou insatisfação ao ser instado a defender a medida. O encontro que resultou na retirada da proposta reuniu a presidente Dilma Rousseff e os ministros da Casa Civil, Aloizio Mercadante, e do Planejamento, Nelson Barbosa. No entendimento original, o retorno do imposto tentava cobrir um rombo de R$ 80 milhões no orçamento federal. Apesar da retração, o governo não descarta retomar a discussão sobre financiamentos da área de saúde.



Comentários

    Nenhum comentário, seja o primeiro a enviar.

Deixe seu comentário