ÚLTIMAS NOTÍCIAS:

Aracatu: Coelba desativa gatos de energia no município

Bahia: Detran capacita novos coordenadores de unidades de trânsito da capital e do interior

Brumado: Jovem tem bicicleta furtada dentro de casa no distrito de Lagoa Funda

Brumado: Clientes da Oi reclamam que telefones fixo e internet não funcionam

Tremor de terra é registrado em Jacobina

Faustão quebra o silêncio, confirma saída da Globo e não descarta deixar o país

Covid-19: Bahia já recebeu mais de meio milhão de vacinas imunizantes

Brumado confirma 27 novos casos de coronavírus nas últimas 24h

Jogador brumadense assina contrato com o Palmeiras por quatro anos

ONU defende que licenças para produção de vacinas sejam dadas ao Brasil e Índia

Bahia ultrapassa 84 mil pessoas que tomaram 1ª dose de vacina contra a Covid-19

Fura-filas da vacinação não terão direito à segunda dose e poderão ser presos

Morre em decorrência da Covid-19 o médico de 44 anos, Dr. Lívio

New Kenko Purificadores: Beba água de qualidade e garanta a saúde para sua família

Brumado: Sem espetáculos há quase oito meses, circo volta a realizar apresentações ao público

Justiça Federal nega liminar contra prefeito de Candiba que furou fila de vacinação

Falso policial civil é preso por aplicar golpe em Livramento de Nossa Senhora

Super promoção da Loja Império 10: duas peças por somente R$ 15

Brumado: Município recebe 480 doses do imunizante desenvolvido pela universidade de Oxford

RotSat: Rastreamento de veículos ou de sua frota!


UFBA e mais 15 universidades entram em greve

(Foto: Reprodução)

Aderindo à greve nacional decretada por professores e funcionários de universidades federais de 16 estados, os docentes da Universidade Federal da Bahia (UFBA) decidiram no fim da tarde de ontem (28), em assembleia, parar as atividades de imediato. Com uma votação que teve 212 a favor da greve e 82 contra, os servidores iniciam a sexta-feira de “braços cruzados”. Após decretar adesão ao movimento nacional, os docentes da universidade baiana fizeram outra votação para decidir a data de início da greve. Por contraste, foi decidido que as aulas seriam suspensas já na noite de ontem. No entanto, professores de algumas faculdades, como a Faculdade de Comunicação, devem manter as aulas até o fim do semestre, previsto para o dia 11 de julho. Alunos e professores lotaram a reunião que aconteceu no Pavilhão 1, em Ondina. A assembleia precisou ser realizada na área externa, com quase duas horas de atraso, devido à grande quantidade de pessoas. Docentes tiveram cerca de três minutos para discursar, e a greve foi decretada como forma de pressionar o governo a ampliar o repasse às universidades federais, mesmo com o corte de R$ 9,42 bilhões no orçamento do Ministério da Educação.  Assuntos como a falta de assistentes na Faculdade de Odontologia da UFBA foram destacados. A pauta de reivindicações também inclui reestruturação da carreira e aumento de investimentos nas universidades federais. Na assembleia realizada na última quinta-feira (21), o reitor João Carlos Salles assumiu que a UFBA tem uma dívida de R$ 28 milhões, referente ao ano de 2014. Também decretaram greve as universidades federais de Alagoas, Amapá, Espírito Santo, Goiás, Mato Grosso, Minas Gerais, Pará, Paraíba, Piauí, Pernambuco, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte,  Rondônia, Sergipe e Tocantins.  Docentes e funcionários de universidades de outros estados devem realizar assembleias nos próximos dias para decidir se participam ou não do movimento nacional, que já havia sido anunciado pelo Sindicato Nacional dos Docentes das Instituições de Ensino Superior (Andes-SN), após decisão em 16 do mês corrente.



Comentários

    Nenhum comentário, seja o primeiro a enviar.

Deixe seu comentário