ÚLTIMAS NOTÍCIAS:

Comprovante de vacinação passa a ser exigido em delegacias da Bahia

Piloto morre após queda de avião em Luís Eduardo Magalhães

Vitória da Conquista: Terreiros de religiões de matriz africana ganham imunidade tributária

Brumado registrou 178 casos ativos de Covid-19 na sexta-feira

Família é feita refém e torturada durante assalto na zona rural de Brumado

Morre aos 94 anos, a mãe do presidente Jair Bolsonaro

Suspeito de tráfico de drogas é preso em Guanambi

Na Bahia, 283 servidores que não comprovaram vacinação serão afastados por 90 dias

Criança que teve parada cardíaca horas após se vacinar tem doença rara, diz investigação

Brumado: Ambulância atropela e mata cavalo na BA-262

36 agências bancárias da Bahia fecham temporariamente após surto de Covid-19

Ataque hacker ultrapassa 24 horas e sites do governo ainda estão fora do ar

Dr. Igor Malaquias foi o entrevistado do Tema Livre Podcast desta semana

Bahia: Governador anuncia redução de 3 mil para 1,5 mil pessoas em eventos

Brumado: Presidente da Câmara testa positivo para Covid pela 3ª vez

Policiais civis aprovam estado de greve na Bahia

Site da Secretaria de Segurança Pública da Bahia é hackeado

Prefeitura de Brumado vai iniciar reformas em casas atingidas pelas chuvas

Brasil registra 6 vezes mais casos diários de covid-19 que em dezembro

Brumado registra 36 novos casos de coronavírus em 24h


Dono de Supermercado anda na contramão da crise e diz que os impostos são os vilões da economia

O empresário Francisco Silva Santos é uma grande referência do comércio brumadense (Foto: Marcos Paulo / 97NEWS)

Em tempos onde só se fala em crise, o empresário Francisco Silva Santos, 47 anos, mostra que com criatividade é possível se vencer muito bem os períodos recessivos. O 97NEWS fez questão de veicular esse exemplo positivo, esperando que possa contagiar o empresariado local. Há 25 no comércio, o empresário, que é conhecido carinhosamente como Branco, é proprietário do Supermercado France, um dos mais movimentados de Brumado e é conhecido por ter os preços mais baixos de toda a cidade. Segundo ele “a crise acaba sendo uma ótima oportunidade para a criatividade, então, eu vejo que a melhor forma de enfrentá-la é buscando novas estratégias que atraiam os clientes, que, normalmente se sentem mais retraídos nesse período”. Ele citou que “com o aumento da gasolina e da crise hídrica em São Paulo, principal polo industrial do país, todos imaginaram que os preços iriam ter uma elevação muito grande, mas não foi isso que aconteceu, já que vários produtos, inclusive da cesta básica, tiveram uma queda, justamente por que não estavam vendendo por causa da crise, então as empresas resolveram fazer várias promoções, como a do feijão que estava custando R$ 5,00 o quilo e agora já baixou para R$ 2,95”. Questionado sobre o seu segredo, ele respondeu “não é nenhum mistério, eu tenho o lema de vender com a mínima margem de lucro e faço questão dos meus produtos terem qualidade. Às vezes chego a vender os produtos sem nenhum lucro, como uma estratégia de marketing. Tenho tido muito sucesso com essa metodologia, tanto que ultimamente tive que aumentar o quadro de funcionários”. Ele encerrou subindo o tom e foi enfático ao afirmar que “o grande vilão de toda a história são os altos impostos, eles sim são os causadores da crise. O governo teria que rever esse sistema com rapidez, porque acaba sendo uma grande injustiça com o povo brasileiro, que é o grande prejudicado no final das contas”.  

Clientes satisfeitos (Foto: Marcos Paulo / 97NEWS)


Comentários

    Nenhum comentário, seja o primeiro a enviar.

Deixe seu comentário