ÚLTIMAS NOTÍCIAS:

Eleições 2024: MDB agenda convenção para o dia 05 de agosto em Brumado

Brumado: Eleição para escolha da nova mesa diretora do Conseg será em setembro

Casal de idosos morre em colisão de moto com carro em Caculé

Brumado: CDL realiza nesta sexta (19) o sorteio da Campanha de São João de Prêmios

Clínica Mais Vida amplia quadro de especialistas firmando nova parceria com gastroenterologista/endoscopista

Eleições 2024: PMB declara apoio à pré-candidatura de Guilherme Bonfim a Prefeito de Brumado

Brumado: Polícia Militar realiza operação no trânsito e autua 11 veículos

Servidores do INSS decidem por manutenção de greve na Bahia

TSE pode requisitar tempo de emissoras de rádio e TV para comunicados

Brumado é a 6ª cidade da Bahia com melhor qualidade de vida, diz IPS

Brasil registrou um crime de estupro a cada seis minutos em 2023

Dois celulares são roubados ou furtados por minuto no Brasil

Bahia se torna referência na produção de queijos artesanais

Líder de facção morre em ação policial no município de Capim Grosso

Federação Bahiana de Futebol escala brumadense Celijunior, que morreu há mais de um ano, para o Intermunicipal 2024

Multinacional alemã planeja investir R$ 11 bilhões em nova unidade e gerar 3 mil vagas de emprego na Bahia

Motorista perde controle da direção e carro fica a centímetros de penhasco em Conquista

Comunidade rural na Bahia espera energia elétrica há mais de 20 anos

Ex-governador Nilo Coelho é homenageado com medalha 2 de Julho

Vitor Bonfim entrega Trator para comunidade rural em Brumado


Em meio a artistas do Arrocha e Sertanejo, Forró perde espaço no São João do Nordeste

Foto: Luciano Santos l 97NEWS

Com mais de 1.200 artistas contratados, os festejos juninos já começaram com muita empolgação em mais de 300 municípios da Bahia. Apesar disso, o forró, estilo musical típico e tradicional do período, não é mais o protagonista. Apenas uma banda do gênero está entre os cinco artistas mais contratados no estado. Mastruz com Leite, banda de forró eletrônico, ficou atras dos três artistas mais contratados: Toque Dez, Devinho Novaes, Heitor Costa, de outro ritmo baiano, o Arrocha. Fecha a lista em quinto lugar Tayrone, do mesmo gênero. O cachê destinado a estes artistas também fica para trás quando comparado a outros gêneros. Neste ano, o artista com maior cachê é Gusttavo Lima, do sertanejo, com valor de contrato de R$1,1 milhão, em Luís Eduardo Magalhães. Apenas dois artistas do forró estão entre os mais bem pagos: um deles é Nattan, artista que traz o forró, mas mistura com samba, pagode, música regional brasileira e trap. Wesley Safadão, com forró eletrônico, também está entre os mais bem pagos. Os dados são do Painel Junino do Ministério Público da Bahia. A perda da tradicionalidade e a necessidade de agradar o público são apontados pelo professor Milton Moura, doutor em Comunicação e Cultura Contemporâneas pela Universidade Federal da Bahia, como uma das principais razões para a falta de protagonismo do forró. Moura avalia como um “absurdo” a hipervalorização de artistas da cultura do rodeio, tradicional do eixo Minas Gerais - São Paulo - Mato Grosso do Sul, em detrimento de artistas locais. “A intenção é conquistar grandes públicos, mas acaba estimulando os públicos de pequenas cidades ou até do campo a acharem que o que é bom é o que vem de fora”, avalia. A opinião de Milton é compartilhada pelo pesquisador e compositor Roberto Mendes, que acredita que há uma falta de compromisso no Brasil como um todo com a cultura. “Não tem um estudo, uma investigação sobre o comportamento nacional com o São João, uma das festas mais populares do país”, aponta.



Comentários

    Nenhum comentário, seja o primeiro a enviar.

Deixe seu comentário