ÚLTIMAS NOTÍCIAS:

Clínica Mais Vida informa que estará de recesso entre 22 e 25 de junho

Homens são 98% dos presos por aborto no Brasil, diz Justiça

'Rei da Seresta' é preso após show no interior da Bahia

Brumado: Paulo Henrique é encontrado morto às margens de linha férrea no bairro Dr. Juracy

Justiça mantém multa de R$ 8,6 mi a Oi por propaganda enganosa em emissora de TV

Prefeita do município de Maetinga é alvo de duas CPIs

Vídeo em que advogada aparece chorando junto aos filhos por ter passado no concurso viraliza

Salário médio dos baianos era sexto menor do Brasil em 2022, aponta IBGE

Mulher é presa ao tentar vender filhos na Bahia; uma das crianças tinha 32 dias

OMS alerta sobre lote falsificado de Ozempic encontrado no Brasil

Inverno na Bahia: Cidades baianas devem ter frio de 10ºC

Super ofertas do mês de junho da Central das Carnes; confiram


Bahia mantém maior número de não alfabetizados e 9ª maior taxa de analfabetismo do Brasil

Foto: Luciano Santos l 97NEWS

A Bahia registrou em 2022 cerca de 1.420.947 pessoas de 15 anos ou mais de idade que não eram alfabetizadas. Segundo o Censo Demográfico, a taxa de analfabetismo era 12,6%, o que representa que 1 em cada 10 habitantes de 15 anos ou mais, no estado, não havia dado nem o primeiro passo para o acesso à educação, um direito básico de todas as pessoas. Os Censos revelam ainda que, apesar de ter visto sua população não alfabetizada diminuir 17,8% entre 2010 e 2022, com menos 308.350 pessoas nessa condição, a Bahia não teve, nesse período, nenhum avanço na lista nacional do analfabetismo, mantendo-se nas mesmas posições de 12 anos atrás. Assim como ocorre há pelo menos 31 anos, desde o Censo de 1991, a Bahia continuava, em 2022, com o maior número de pessoas de 15 anos ou mais de idade analfabetas do Brasil. Além disso, repetindo 2010, o estado continuou com a 9ª maior taxa de analfabetismo entre os estados. A taxa de analfabetismo baiana em 2022 (12,6%) ainda não havia alcançado a taxa brasileira de 2010 (9,6%), ficando mais próxima do indicador nacional de 22 anos atrás, no Censo 2000 (que havia sido 13,6%). A Bahia teve o maior recuo absoluto da população não alfabetizada (menos 308.350 pessoas) porque tem o maior número de habitantes nessa condição, mas a queda proporcional (-17,8%) foi só a 15ª entre as 27 unidades da Federação, num ranking liderado por Rio Grande do Sul (-27,3%), Minas Gerais (-22,1%) e Paraná (-21,3%). Por sua vez, os estados onde a taxa de analfabetismo mais diminuiu foram Alagoas (menos 6,7 pontos percentuais), Paraíba (-6,0 pp) e Maranhão (-5,8 pp). A queda na Bahia (menos 4,0 pontos percentuais) foi a 11ª mais intensa. Ainda assim, frente a 2010, a taxa de analfabetismo na Bahia, e no Brasil como um todo, diminuiu em todos os grupos de idade, com mais intensidade justamente entre as pessoas de 65 anos ou mais.



Comentários

    Nenhum comentário, seja o primeiro a enviar.

Deixe seu comentário