ÚLTIMAS NOTÍCIAS:

Cerca de 50% da juventude pobre não trabalha nem estuda no Brasil, diz IBGE

Reconhecimento Facial chega à marca de 1.213 foragidos da Justiça localizados

Procon abre inscrições para seleção com 25 vagas na Bahia

Medicamentos indicados nas redes sociais têm causado doenças em pacientes

Zona rural de Brumado convive com 4 meses de estiagem e mortes de animais

Operação é deflagrada contra deputado estadual acusado de liderar grupo miliciano na Bahia

Mais de 40% dos brasileiros entre 25 e 64 anos não têm ensino médio completo

Amigo secreto: 70 milhões de consumidores participarão da brincadeira de fim de ano

Idoso morre após colidir moto com veículo pilotado pelo neto em Tanque Novo

Brumado: Obras de macrodrenagem visa combater impactos das chuvas na região do Terminal Rodoviário

Clínica Luíza Feres: A estética pode ser uma aliada da autoestima

Clínica Santa Clara firma parceria com a Rede Bahia na Campanha Natal do Bem

Cantor Zé Neto sofre acidente de carro no interior de São Paulo

Botuporã: Vereador é suspeito de jogar gasolina a ameaçar atear fogo na companheira

8 em cada 10 pessoas assassinadas no Brasil são negras, diz estudo

Brumado: Homem invade casa da ex-companheira e se masturba em calcinha

Ypê vira alvo de críticas após expor peça promocional de mão negra segurando produto de limpeza

Brumado: Homem cai em golpe e perde cerca de R$1200 ao receber mensagem de suposto cunhado

Quarta-feira é dia de frutas, verduras e legumes em Bete Fruits

Brumado: Descumprindo medida protetiva, homem tenta matar ex-mulher com uma faca


Homem passa quase 20 anos usando nome do irmão morto e só é descoberto após sua morte

Foto: Divulgação

O corpo de um homem foi encontrado na cidade de Mucuri, na divisa entre Bahia, Minas Gerais e Espírito Santo, e logo foi reconhecido pela identidade que levava no bolso. O problema é que aquele homem já tinha morrido.  O caso de fraude documental foi descoberto após a Coordenadoria Regional de Polícia Técnica (CRPT) de Teixeira de Freitas realizar a identificação necropapiloscópica (confronto pelas impressões digitais). Logo após a entrada do corpo no IML, a equipe da CRPT foi informada da possibilidade do falecido estar usando o nome de outro familiar, desta forma, foram solicitadas também as fichas dos irmãos. “Recebemos este corpo com uma identidade do Estado do Rio de Janeiro e, imediatamente, solicitamos do Instituto de Identificação Afrânio Peixoto/RJ o envio da ficha papiloscópica do indivíduo para compararmos com as digitais do corpo”, explicou Elson Gonçalves Oliveira Jr, Perito Técnico responsável pela identificação. Na análise, foi confirmado que o morto em Mucuri utilizava há quase 20 anos o nome de um de seus irmãos.“Temos por protocolo o processo de identificação biométrica de todos os corpos que dão entrada na nossa regional”, pontuou o Coordenador Eder Amorim. Mesmo quando não é possível a identificação pelas impressões digitais, os peritos optam pela arcada dentária ou ainda o DNA. A finalidade de trocar de nome ainda não foi descoberta, visto que os principais envolvidos morreram. “Declarar o óbito de um indivíduo traz grandes repercussões, envolvendo seguro, pensões e aposentadorias, por exemplo. Portanto, é muito importante confirmar a identidade dos corpos que dão entrada na Polícia Técnica”, finalizou Eder. O processo de identificação civil, criminal e da necropapiloscopia são atribuições dos profissionais Peritos Técnicos, que constituem parte das atividades fundamentais para o Departamento de Polícia Técnica ao cumprimento de sua missão institucional.



Comentários

    Nenhum comentário, seja o primeiro a enviar.

Deixe seu comentário