ÚLTIMAS NOTÍCIAS:

Vila Nova vence Magnesita e leva o título do Campeonato Brumadense 2022

Cresce desinteresse do eleitor brasileiro pelo voto, aponta pesquisa

Psicólogo da Clínica Mais Vida fala sobre o sentido da vida segundo Viktor Frankl

Amado Batista leva multidão em show no São Pedro de Guajeru

Avião cai e assusta moradores na Chapada Diamantina

Sessão ordinária desta segunda-feira (4/07) tem aprovação de textos importantes à comunidade brumadense

Jovem de 16 anos é morto a tiros dentro da rodoviária de Vitória da Conquista

Humorista do SBT faz piada de criança com hidrocefalia e é demitido da emissora

Prefeitos de todo o país vão a Brasília em manifestação contra propostas do governo federal

Preço do botijão de cozinha nas refinarias aumentou mais de 600% entre 2002 e 2021

Caminhão desgovernado tomba em frente a rodoviária da região e deixa motorista ferido

Tanhaçu: Homem de 38 anos morre após levar choque em freezer

Casos de Covid sobe e Brumado volta a registrar óbito por conta da doença

Guanambi: Retorno das aulas na rede municipal é adiado por causa de casos de Covid-19

PM mata irmã após discussão e é presa pelo próprio marido no RJ

Casos de varíola dos macacos chegam a 76 em todo o país, diz Ministério da Saúde

Negros são a maioria das vítimas de crimes violentos no Brasil, mostra levantamento

Bahia registra 3.480 novos casos de Covid e mais cinco mortes em 24h

Lutando pelo título do Campeonato Brumadense, Magnesita e Vila Nova se enfrentam neste domingo (3)

Anagé: Motociclista de 27 anos fica ferido após acidente na BA-262


Psicólogo da Clínica Mais Vida fala sobre a Logoterapia e a superação dos traumas emocionais

Foto: Divulgação

Os traumas estão presentes no dia a dia, são feridas e danos emocionais ou psicológicos, baseados numa experiência traumática, que afetam as nossas emoções trazendo implicações, como: medo, ansiedade, depressão, agressividade, dificuldade nos relacionamentos, baixa autoestima, passividade e isolamento. O psicólogo da Clínica Mais Vida, Dr. Rafael Lopes explica que os traumas emocionais e psicológicos podem provocar muitos efeitos colaterais na nossa psique e nos prejudicar de inúmeras formas, nos deixando vulneráveis a desenvolver transtornos e doenças psíquicas. Mas para que isso não aconteça - e se acontecer, - que você consiga sair mais rápido com essas três lições da Logoterapia, que nos ensinam a lidar com os conflitos de origem emocionais: 1ª Reconhecê-los - Eu preciso corajosamente olhar para eles e encará-los de frente. Isso nem sempre é fácil, mas é preciso. 2ª Buscar compreendê-los - A partir do momento que eu reconheço, aceito e admito que o sofrimento e a tríade trágica fazem parte da existência humana e que isso vai acontecer na minha vida, eu vou buscar compreender. Como isso aconteceu? De onde veio? Como surgiu na minha vida? Porque contextualizar, me ajuda a aceitar melhor. Mas não simplesmente para que eu encontre uma explicação, o ponto não é esse. O especialista continua observando que a chave, é que a partir dessa compreensão eu possa conferir, na medida do possível, novos significados às minhas experiências traumáticas, novos significados àquilo que me magoou e me feriu. Salienta que quando eu consigo ressignificar, estou fazendo aquilo que Frankl nos diz ser uma das saídas: conferir sentido. E ainda, estou exercendo a minha característica humana de “Homo Patiens”. Que é quando eu sou capaz de transformar a tragédia em triunfo e o sofrimento em uma conquista. 3ª Aprender a praticar o perdão - É na prática do perdão que nós encontramos uma das maiores ferramentas para a superação do sofrimento e dos traumas. Dr. Rafael Lopes salienta que o ponto mais importante aqui, não é só o perdão do outro, é o perdão de mim mesmo, porque boa parte dos nossos traumas, das nossas feridas emocionais, tem a ver com a culpa. Quando nossas feridas, tem a ver com o sofrimento que o outro nos infligiu, o perdão do outro pode nos ajudar. Mas quando é algo relacionado à culpa, algo que eu cobro de mim mesmo, eu preciso exercer o perdão a mim. E para esse contexto o processo é o mesmo: ressignificação, contextualização… entender as circunstâncias. Continua dizendo que nós mudamos constantemente, você não é mais a mesma pessoa de antigamente, você mudou e merece o perdão. Você não pode se culpar por algo que você - um você diferente, um você do passado - fez. A culpa é um privilégio, segundo Frankl, porque ela nos ajuda a refletir e a pensar na mudança, mas nós não podemos nos deter na culpa. Nós devemos usá-la como uma forma de superar aquilo que ficou no passado. Reflita sobre isso e tente praticar essas três lições, tenho certeza que lhe fará muito bem! A prevenção é a melhor forma de cuidar da sua saúde! Para maiores informações, ligue: (77) 3441-4545 / (77) 99951-4755 / (77) 9.9956-6868 (77) 3441-4500 / (77) 9.9989-6868.



Comentários

    Nenhum comentário, seja o primeiro a enviar.

Deixe seu comentário