ÚLTIMAS NOTÍCIAS:

Vila Nova vence Magnesita e leva o título do Campeonato Brumadense 2022

Cresce desinteresse do eleitor brasileiro pelo voto, aponta pesquisa

Psicólogo da Clínica Mais Vida fala sobre o sentido da vida segundo Viktor Frankl

Amado Batista leva multidão em show no São Pedro de Guajeru

Avião cai e assusta moradores na Chapada Diamantina

Sessão ordinária desta segunda-feira (4/07) tem aprovação de textos importantes à comunidade brumadense

Jovem de 16 anos é morto a tiros dentro da rodoviária de Vitória da Conquista

Humorista do SBT faz piada de criança com hidrocefalia e é demitido da emissora

Prefeitos de todo o país vão a Brasília em manifestação contra propostas do governo federal

Preço do botijão de cozinha nas refinarias aumentou mais de 600% entre 2002 e 2021

Caminhão desgovernado tomba em frente a rodoviária da região e deixa motorista ferido

Tanhaçu: Homem de 38 anos morre após levar choque em freezer

Casos de Covid sobe e Brumado volta a registrar óbito por conta da doença

Guanambi: Retorno das aulas na rede municipal é adiado por causa de casos de Covid-19

PM mata irmã após discussão e é presa pelo próprio marido no RJ

Casos de varíola dos macacos chegam a 76 em todo o país, diz Ministério da Saúde

Negros são a maioria das vítimas de crimes violentos no Brasil, mostra levantamento

Bahia registra 3.480 novos casos de Covid e mais cinco mortes em 24h

Lutando pelo título do Campeonato Brumadense, Magnesita e Vila Nova se enfrentam neste domingo (3)

Anagé: Motociclista de 27 anos fica ferido após acidente na BA-262


Brumado: Mãe usa tribuna da Câmara para denunciar negligência médica no Hospital Municipal

Foto: Luciano Santos l 97NEWS

A bacharel em enfermagem, Erica Luz denunciou, em sessão plenária realizada na noite desta segunda-feira (30), uma negligência médica após seu filho de nove meses dar entrada com um quadro de convulsão no Hospital Municipal Professor Magalhães Neto, em Brumado. Segundo a mãe de Davi Meira Luz, no último dia 19 deste mês, ela deu entrada na unidade hospitalar após a criança sofrer uma crise convulsiva no período da manhã. Ao chegar no Hospital por volta de 11h, Erica disse que foi recebida por estudantes de medicina sem a supervisão de estágio. "Fui recepcionada por estudantes de medicina, ou seja, exercendo de forma ilegal a profissão por que estes estavam dentro do consultório realizando atendimento aos pacientes que ali [hospital] entravam", afirmou. De acordo com a mãe, ela fez questionamentos aos estudantes sobre a supervisão, sendo informada que eles não tinham. "Eu questionei pelo plantonista e fui informada que os estudantes assumiram o pronto-socorro. Assim eu acionei a Polícia, e então, o médico surgiu no pronto-socorro. Ele sugeriu a medicação, um antitérmico, e eu pedi uma avaliação pediátrica. Ele solicitou a avaliação e o pedido de exames laboratorial em caráter de urgência, porém o médico não comparecia no serviço de saúde quando era requisitado", acusou a mãe. Ainda no seu pronunciamento aos vereadores na Câmara Municipal, a mãe denunciou ainda a demora nos procedimentos de laboratório. "O laboratório não descia pra fazer a coleta dos exames, o pediatra não aparecia", diz. Ainda segundo a denúncia, o bebê já estava entrando em um quandro de desidratação por conta da 'morosidade' do atendimento. "Ela já estava entrando em um quadro de desidratação porque ele fez vinte e cinco evacuações no pronto-socorro, e o pediatra não ressurgia para reavaliar Davi". Erica ainda detalhou que foi necessário consultar outra médica via telemedicina, uma alternativa de amenizar sua angústia. "Fiz o contato com outra médica via celular com a pediatra de Davi que não se encontra mais nesse município, para passar o resultado dos exames. E ela me orientou que não removesse o bebê do hospital sem uma reavaliação pediátrica. Durante esse período, foi requisitado incessantemente por uma enfermeira, e constantemente ela ligava, e o médico não aparecida", disse. 

 

Foto: Luciano Santos l 97NEWS

Naquela ocasião, Davi teve novamente mais uma crise no corredor do Hospital. "Ele voltou a começar a fazer vômitos em jato, eu pedi a médica que estava no balcão para realizar uma prescrição e ela fez a que já estava no prontuário pra que ele não entrasse numa nova crise convulsiva", diz. Conforme a mãe do bebê, cerca de dez horas depois, o médico pediatra chegou à unidade hospitalar e tratou o caso com "deboche". "Sabendo que meu filho estava com uma infecção bacteriana, os exames laboratoriais comprovam isso, a enfermeira informou pra ele que os resultados estavam alterados, e ele surgiu com [ar] de deboche dizendo que iria manter a medicação via oral por conta da dificuldade do acesso venoso periférico em Davi. E eu questionei se ele não entraria com uma Terapia de Antibiótico, e ele me disse que não, que eu confiasse na colega [médica] de Guanambi, sendo que em momento algum eu questionei sobre o seu atendimento. Eu fiquei ali, esperando a reavaliação, sabendo que fui negligenciada, que meu filho estava sofrendo uma negligência", afirmou. Erica Luz também fez críticas a Secretaria Municipal de Saúde, onde segundo ela, usa as redes sociais para propagar investimentos de milhões de reais em equipamentos, mas esquece dos profissionais. "Infelizmente foi onde eu poderia procurar, porque eu achava que era uma saúde de milhões, como prega na rede social. Só que essa saúde, mães, pais, tios que tem crianças no domicílio, é uma saúde de centavos. Não adianta secretário pregar máquinas, bisturi de última geração, colchões pneumáticos e não ter um quadro de funcionários que estão satisfeitos dentro do ambiente de trabalho", explanou a bacharel de enfermagem. Por fim, a enfermeira denunciou o descaso ao Conselho Regional de Medicina do Estado da Bahia (CREMEB), na Delegacia Regional de Brumado, e também levou o caso ao Diretor do Hospital Municipal Professor Magalhães Neto. " Já fiz uma denúncia contro o profissional na CREMEB e também informei ao Diretor do Hospital no qual me ouviu e colheu informações, para segundo ele, levar o caso ao Secretário Municipal de Saúde do Município", finalizou Erica Luz, mãe de Davi Meira Luza, de apenas nove meses.



Comentários

  • Genilson Pereira

    "Meus parabéns, Erica!!! Creio que qualquer mãe vendo o filho nesta situação, faria o mesmo. Isso mesmo, precisa denunciar mesmo quantas vezes forem necessárias, pois falar é fácil, colocar equipamentos em redes sociais também é, mas gostaria se fosse o filho dele e precisasse utilizar dos atendimentos do hospital. Tens todo o meu apoio, vamos fazer o possível que as coisas mudem internamente ou mudar o secretário. "

Deixe seu comentário