ÚLTIMAS NOTÍCIAS:

Família é feita refém e torturada durante assalto na zona rural de Brumado

Morre aos 94 anos, a mãe do presidente Jair Bolsonaro

Suspeito de tráfico de drogas é preso em Guanambi

Na Bahia, 283 servidores que não comprovaram vacinação serão afastados por 90 dias

Criança que teve parada cardíaca horas após se vacinar tem doença rara, diz investigação

Brumado: Ambulância atropela e mata cavalo na BA-262

36 agências bancárias da Bahia fecham temporariamente após surto de Covid-19

Ataque hacker ultrapassa 24 horas e sites do governo ainda estão fora do ar

Dr. Igor Malaquias foi o entrevistado do Tema Livre Podcast desta semana

Bahia: Governador anuncia redução de 3 mil para 1,5 mil pessoas em eventos

Brumado: Presidente da Câmara testa positivo para Covid pela 3ª vez

Policiais civis aprovam estado de greve na Bahia

Site da Secretaria de Segurança Pública da Bahia é hackeado

Prefeitura de Brumado vai iniciar reformas em casas atingidas pelas chuvas

Brasil registra 6 vezes mais casos diários de covid-19 que em dezembro

Brumado registra 36 novos casos de coronavírus em 24h

Homem é preso suspeito de tráfico de drogas em Rio do Pires

Turismo nacional fechou novembro com faturamento de R$ 14,7 bilhões

Casal com criança de colo é flagrado com 14 kg de maconha e cocaína na Bahia

Matrícula na rede estadual de ensino começa na próxima segunda


Pesquisa aponta Viagra como medicamento candidato a prevenir Alzheimer

Foto: Reprodução

Simulações de computador tocadas por cientistas que investigam se o sildenafil, princípio ativo do Viagra, identificaram que a substância tem uma chance razoável de ajudar a previnir o mal de Alzheimer. Os pesquisadores tiveram acesso a dados de planos de saúde dos Estados Unidos e perceberam que a incidência da doença foi 69% dos pacientes que utilizam o medicamento como tratamento para a disfunção erétil ao longo de 6 anos. O resultado foi publicado na segunda-feira (6) na revista Nature Ageing. O grupo responsável, porém, pede que a ideia seja levada adiante com cautela, porque a correlação vista no estudo ainda não é resultado de um teste clínico com aplicação direta do sildenafil em voluntários. Mais de 1600 drogas disponíveis comercialmente para tratar outras doenças foram simuladas. "Baseados nessas análises farmacoepidemiológicas retrospectivas de caso-controle com pedidos de reembolso de seguros de saúde para 7,23 milhões de indivíduos, nós descobrimos que o uso deo sildenafil era signficativamente associado com uma redução de 69% na doença de Alzheimer", escreveram os cientistas no artigo. Conforme noticiou o jornal O Globo, os cientistas afirmam que testes planejados para isso podem confirmar se a descoberta pode mesmo representar um potencial tratamento. "A associação entre o uso do sildenafil e a diminuição da incidência da doença de Alzheimer não estabelece uma causalidade, e isso vai requerer um teste clínico controlado", diz o grupo liderado pelo bioestatístico Jiansong Fang.



Comentários

    Nenhum comentário, seja o primeiro a enviar.

Deixe seu comentário