ÚLTIMAS NOTÍCIAS:

Petrobras põe direitos de potássio na Amazônia à venda

MP autoriza exploração de minérios nucleares por setor privado

Psicóloga atende na Pax Nacional; agende já sua consulta

Petrobras reduz preços de venda de gasolina para as distribuidoras a partir desta terça-feira (16)

Brumado: Vitimas do grave acidente na BR-030 foram identificadas

FGTS vai distribuir R$ 13,2 bilhões em lucro aos trabalhadores

Chegou em Brumado, Auto Diesel: O melhor preço da Bahia!

Brumado: Dois jovens morrem na BR-030 após moto ser atingida por carro

Pai tenta matar o próprio filho com golpe de faca em Tanque Novo

Brumado: Professora de matemática do IFBA sofre AVC e morre cinco dias depois

RotSat: Rastreamento de veículos ou de sua frota!

Eleitor tem até quinta-feira (18) para pedir voto em trânsito

Confira os especialistas da semana na Clínica Mais Vida em Brumado

Mega-Sena sorteia prêmio de R$ 27 milhões

Universidades Estaduais Baianas apoiaram Carta Aberta à Democracia

Brumado: Duas mulheres ficam feridas em acidente na BA-148

Deputados e senadores querem aumentar os seus salários para R$ 36,8 mil


Brumado: SESOC discuti criação o Conselho Municipal dos Direitos da Mulher

Foto: Divulgação

Em 2020, cerca de 17 milhões de mulheres sofreram violência física, psicológica ou sexual no Brasil. Uma pesquisa do Instituto Datafolha, encomendada pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública (FBSP), mostra que, uma em cada quatro mulheres acima de 16 anos afirma ter sofrido algum tipo de violência. As agressões em ambiente doméstico representaram 42% em 2019 e 48,8% em 2020, enquanto as violências sofridas nas ruas foram de 29% para 19%. Assim como no Brasil, os casos de violência contra às mulheres em Brumado também vem chamando a atenção. No último dia 23, a Secretaria de Desenvolvimento Social (SESOC) realizou um evento que discutir e criar o Conselho Municipal dos Direitos da Mulher (COMDIM). Segundo a Pasta, a ideia é fiscalizar, exigir o cumprimento da legislação que assegure os direitos da mulher e da menina, implementar políticas e programas do Conselho; manter canais permanentes de diálogo, desenvolver programas e projetos em diferentes áreas de atuação e formular diretrizes e propor políticas para a Administração Pública, primando pela garantia dos direitos da mulher. Participaram do evento, representantes da Educação, Saúde e Procuradoria Jurídica, do Ministério Público, da Defensoria Pública, do Conselho de Segurança, da Polícia Militar, da Polícia Civil, do Sindicato de Agricultores Rurais, da OAB e da Câmara de Vereadores. 



Comentários

    Nenhum comentário, seja o primeiro a enviar.

Deixe seu comentário