ÚLTIMAS NOTÍCIAS:

Comprovante de vacinação passa a ser exigido em delegacias da Bahia

Piloto morre após queda de avião em Luís Eduardo Magalhães

Vitória da Conquista: Terreiros de religiões de matriz africana ganham imunidade tributária

Brumado registrou 178 casos ativos de Covid-19 na sexta-feira

Família é feita refém e torturada durante assalto na zona rural de Brumado

Morre aos 94 anos, a mãe do presidente Jair Bolsonaro

Suspeito de tráfico de drogas é preso em Guanambi

Na Bahia, 283 servidores que não comprovaram vacinação serão afastados por 90 dias

Criança que teve parada cardíaca horas após se vacinar tem doença rara, diz investigação

Brumado: Ambulância atropela e mata cavalo na BA-262

36 agências bancárias da Bahia fecham temporariamente após surto de Covid-19

Ataque hacker ultrapassa 24 horas e sites do governo ainda estão fora do ar

Dr. Igor Malaquias foi o entrevistado do Tema Livre Podcast desta semana

Bahia: Governador anuncia redução de 3 mil para 1,5 mil pessoas em eventos

Brumado: Presidente da Câmara testa positivo para Covid pela 3ª vez

Policiais civis aprovam estado de greve na Bahia

Site da Secretaria de Segurança Pública da Bahia é hackeado

Prefeitura de Brumado vai iniciar reformas em casas atingidas pelas chuvas

Brasil registra 6 vezes mais casos diários de covid-19 que em dezembro

Brumado registra 36 novos casos de coronavírus em 24h


Brumado: SESOC discuti criação o Conselho Municipal dos Direitos da Mulher

Foto: Divulgação

Em 2020, cerca de 17 milhões de mulheres sofreram violência física, psicológica ou sexual no Brasil. Uma pesquisa do Instituto Datafolha, encomendada pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública (FBSP), mostra que, uma em cada quatro mulheres acima de 16 anos afirma ter sofrido algum tipo de violência. As agressões em ambiente doméstico representaram 42% em 2019 e 48,8% em 2020, enquanto as violências sofridas nas ruas foram de 29% para 19%. Assim como no Brasil, os casos de violência contra às mulheres em Brumado também vem chamando a atenção. No último dia 23, a Secretaria de Desenvolvimento Social (SESOC) realizou um evento que discutir e criar o Conselho Municipal dos Direitos da Mulher (COMDIM). Segundo a Pasta, a ideia é fiscalizar, exigir o cumprimento da legislação que assegure os direitos da mulher e da menina, implementar políticas e programas do Conselho; manter canais permanentes de diálogo, desenvolver programas e projetos em diferentes áreas de atuação e formular diretrizes e propor políticas para a Administração Pública, primando pela garantia dos direitos da mulher. Participaram do evento, representantes da Educação, Saúde e Procuradoria Jurídica, do Ministério Público, da Defensoria Pública, do Conselho de Segurança, da Polícia Militar, da Polícia Civil, do Sindicato de Agricultores Rurais, da OAB e da Câmara de Vereadores. 



Comentários

    Nenhum comentário, seja o primeiro a enviar.

Deixe seu comentário