ÚLTIMAS NOTÍCIAS:

Homem morre em confronto com policiais na Chapada Diamantina

TRE da Bahia volta exigir obrigatoriedade de uso de máscaras em suas dependências

Postos SAC na capital e interior fecham na sexta-feira (24) e sábado (25)

Bahia: Carreta pega fogo populares saqueiam carga na BR-116

Com 40 casos hospitalares em 22 dias, Sesab alerta para risco de queimaduras nos festejos juninos

Atendimento do INSS ficará suspenso durante o feriado de São João na Bahia

Receita alerta para golpes envolvendo a regularização de CPF

Tanhaçu: Motociclista fica ferido após atropelar animal na BA-142

Covid-19: Casos ativos chegam a 5,2 mil na Bahia e estado registra nove mortes em 24h

Câmara Municipal de Vereadores de Brumado recebe representante do Tiro de Guerra

Psicólogo da Clínica Mais Vida fala sobre a Logoterapia e a superação dos traumas emocionais


Bancários promovem ação solidária para doação de alimentos, itens de higiene e produtos de limpeza

Foto: Arquivo l 97NEWS

O Sindicato dos Bancários de Vitória da Conquista e Região lançou, na quarta-feira (21), a Ação Solidária da Categoria Bancária. A campanha tem o objetivo de arrecadar e promover a doação de alimentos, itens de higiene e produtos de limpeza para famílias em situação de vulnerabilidade. A campanha terá como locais de arrecadação as agências do Banco do Brasil, Banco do Nordeste, Itaú e Santander. Inicialmente, a ação acontece em Brumado, Itapetinga, Livramento de Nossa Senhora, Poções e Vitória da Conquista. Este é o segundo ano da Ação Solidária. Em 2020, com a disseminação do coronavírus e o aumento do desemprego, a categoria aprovou a destinação de R$ 20.000 do orçamento anual do Sindicato, distribuindo 412 cestas, no total de 4,5 toneladas de alimentos e produtos de higiene, para 10 instituições sociais da região. Segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a taxa de desemprego atingiu pela primeira vez a marca recorde de 14,7%, com o total de 14,8 milhões de desocupados. Segundo o relatório mais recente da Organização da ONU para Agricultura e Alimentação (FAO, em inglês), estima que 23,5% da população brasileira tenha vivenciado insegurança alimentar moderada ou severa. Isso significa que 49,6 milhões de pessoas deixaram de comer ou tiveram uma redução significativa na qualidade e na quantidade de alimentos ingeridos.



Comentários

    Nenhum comentário, seja o primeiro a enviar.

Deixe seu comentário