ÚLTIMAS NOTÍCIAS:

Homem morre em confronto com policiais na Chapada Diamantina

TRE da Bahia volta exigir obrigatoriedade de uso de máscaras em suas dependências

Postos SAC na capital e interior fecham na sexta-feira (24) e sábado (25)

Bahia: Carreta pega fogo populares saqueiam carga na BR-116

Com 40 casos hospitalares em 22 dias, Sesab alerta para risco de queimaduras nos festejos juninos

Atendimento do INSS ficará suspenso durante o feriado de São João na Bahia

Receita alerta para golpes envolvendo a regularização de CPF

Tanhaçu: Motociclista fica ferido após atropelar animal na BA-142

Covid-19: Casos ativos chegam a 5,2 mil na Bahia e estado registra nove mortes em 24h

Câmara Municipal de Vereadores de Brumado recebe representante do Tiro de Guerra

Psicólogo da Clínica Mais Vida fala sobre a Logoterapia e a superação dos traumas emocionais


Brumado: Com saudades do público, músicos vivem a expectativa de voltar aos palcos

Foto: Reprodução l Rede Social

Representantes de um dos segmentos de maior destaque da cultura em Brumado e afetados pela paralisação das atividades artísticas, em razão da pandemia desde 2020, os músicos convivem com um paradoxo. Embora necessitem urgentemente voltar a fazer shows, principal fonte de renda, sentem-se cautelosos, por ainda temerem o vírus da Covid-19. Embora busquem alternativas para driblar a crise, o que obtêm de renda é insuficiente para saldar compromissos do dia a dia. Muitos fazem lives e outros têm recebido auxílio de familiares para se manter. Saudosos dos aplausos do público, todos vivem a expectativa do retorno ao palco, e isso voltou a acontecer após Decretos que permitem até 200 pessoas em eventos. Em entrevista ao site 97NEWS, o cantor Lázaro Jacarine guarda boas recordações dos eventos. Antes da Covid-19, cumpria agenda em Brumado e Região. 

Mesmo com a retomada, o músico continua vendendo queijo - Foto: Luciano Santos l 97NEWS

Com a retomada dos eventos em todo o Estado, ele prevê a chegada do "Novo Normal". "Graças a Deus está voltando aos poucos. Eu já fiz um som em Rio de Contas no sábado, toquei domingo em um espaço aqui de Brumado e, essa semana já tem de novo música ao vivo em restaurantes e até aniversários", comenta. Em um ano e quatro meses de pandemia, o músico teve que buscar outros meios para sobreviver. Jacarine encontrou no queijo e nos doce uma nova alternativa de renda, na qual segundo ele, mesmo com a paixão pela música, ela vai continuar. "O queijo e o doce me ajudou pagar as contas. E o negócio vai continuar mesmo com o retorno dos shows, então a intenção é agregar", disse. Sobre o retorno aos palcos, o cantor destacou que o sentimento foi de quando ele ainda era iniciante. "Quando você faz uma Live ou ensaia em casa é uma coisa. Mas quando você pega um instrumento e vai para o meio do povão e da galera pra fazer um som ao vivo, ai é completamente diferente. E o retorno da um frio na barriga, foi isso que senti", afirma. Para o artista o retorno é necessário, mas é preciso ter cautela. "Se todo mundo fizer a sua parte, nós vamos vencer esse vírus", diz Lázaro Jacarine.



Comentários

    Nenhum comentário, seja o primeiro a enviar.

Deixe seu comentário