ÚLTIMAS NOTÍCIAS:

Clínica Mais Vida informa que estará de recesso entre 22 e 25 de junho

Homens são 98% dos presos por aborto no Brasil, diz Justiça

'Rei da Seresta' é preso após show no interior da Bahia

Brumado: Paulo Henrique é encontrado morto às margens de linha férrea no bairro Dr. Juracy

Justiça mantém multa de R$ 8,6 mi a Oi por propaganda enganosa em emissora de TV

Prefeita do município de Maetinga é alvo de duas CPIs

Vídeo em que advogada aparece chorando junto aos filhos por ter passado no concurso viraliza

Salário médio dos baianos era sexto menor do Brasil em 2022, aponta IBGE

Mulher é presa ao tentar vender filhos na Bahia; uma das crianças tinha 32 dias

OMS alerta sobre lote falsificado de Ozempic encontrado no Brasil

Inverno na Bahia: Cidades baianas devem ter frio de 10ºC

Super ofertas do mês de junho da Central das Carnes; confiram


Justiça Federal dá prazo para Cofen explicar afastamento de presidente do Coren-BA

Foto: Divulgação

A Justiça Federal expediu uma liminar na terça-feira (29) determinando que o Conselho Federal de Enfermagem (Cofen) explique em até 10 dias o motivo do afastamento do então presidente do Conselho Regional de Enfermagem (Coren-BA) Jimi Hendrex Medeiros de Souza. Ele foi afastado na última sexta-feira (25) por 90 dias, após indícios de participação em um esquema de “rachadinha”. A primeira-tesoureira da instituição, Rosane Santiago Alves da Silva, e o servidor Gabriel Ramos Daltro também foram afastados. Segundo Jimi Hendrex, foi ele quem apresentou a denúncia de um suposto esquema de “rachadinha” ao Cofen, mas acabou sendo afastado juntamente com os servidores denunciados. “Eu encaminhei a denúncia e acabei sendo afastado pelo Cofen sem nenhuma prova contra mim. Fui arrolado de forma caluniosa nesse processo administrativo”, afirma o ex-presidente do Coren-BA.



Comentários

    Nenhum comentário, seja o primeiro a enviar.

Deixe seu comentário