ÚLTIMAS NOTÍCIAS:

Jornalista Daniel Simurro morre aos 58 anos em Brumado

Brumado: Há 19 dias município não registra morte por Covid-19

Guanambi: Rui entrega reforma de estrada e autoriza R$ 35 milhões em ações

Brumado: Blogueiro Daniel Simurro é internado após mal súbito em sua residência

Brumado: Sindicato dos Mineradores denuncia assédio moral em empresa de refino de talco

Brumado retoma vacinação de adolescentes com 16 e 17 anos nesta terça-feira (21)

Novas chamas atingem Chapada Diamantina entre Mucugê e Lençóis

Caetité lidera produção mineral baiana em agosto

Em carta, governadores desmentem Bolsonaro sobre alta da gasolina

Brumado: Manifestantes protestam contra Bolsonaro e prefeito Eduardo Vasconcelos em praça pública

Brumado: Após 1 ano e cinco meses, grupos de capoeira retornam com encontros em praças

Brumadenses são presos em Goiás por roubo de carga avaliada em R$ 180 mil

Brumado vacina contra a Covid nesta segunda-feira, pessoas de 12 a 17 anos com comorbidades

Bombeiros continuam em combate a incêndios na Bahia

Brumado: Mulher fica ferida após acidente entre carro e moto no bairro Santa Tereza

Vítima de câncer, morre ator Luis Gustavo aos 87 anos

Confira os especialistas da semana na Clínica Mais Vida em Brumado


Projeto de retorno do PAEES é rejeitado na Câmara de Brumado

Foto: Reprodução

Nesta segunda-feira, 31 de maio, foi colocado em votação o requerimento, de autoria do vereador Beto Bonelly (PSB), que permitiria a retomada do Programa de Acesso Estudantil ao Ensino Superior (PAAES), suspenso pela Secretaria Municipal de Educação durante a pandemia da Covid-19. No entanto, por sete votos contra e mais o voto de minerva da presidente da Câmara, Verimar Dias da Silva Meira (PT), o requrimento foi negado. Segundo Bonelly, aos parlamentares que foram contrários à proposta fizeram questão de dizer “não aos estudantes”. “Fico muito triste e indignado com essa postura em um momento tão difícil em nossas vidas, principalmente para esses estudantes que precisam de apoio”, destacou. Beto voltou a defender que os estudantes que eram beneficiados com o auxílio têm outros gastos diante da pandemia e que foram pegos de surpresa com a suspensão do pagamento do valor mensal de R$ 500. “Acho isso um absurdo! Isso porque temos uma gestão cujo slogan é “Educar para libertar”. Infelizmente perdemos hoje, mas não vou desistir”, garantiu.



Comentários

    Nenhum comentário, seja o primeiro a enviar.

Deixe seu comentário