ÚLTIMAS NOTÍCIAS:

Homem morre em confronto com policiais na Chapada Diamantina

TRE da Bahia volta exigir obrigatoriedade de uso de máscaras em suas dependências

Postos SAC na capital e interior fecham na sexta-feira (24) e sábado (25)

Bahia: Carreta pega fogo populares saqueiam carga na BR-116

Com 40 casos hospitalares em 22 dias, Sesab alerta para risco de queimaduras nos festejos juninos

Atendimento do INSS ficará suspenso durante o feriado de São João na Bahia

Receita alerta para golpes envolvendo a regularização de CPF

Tanhaçu: Motociclista fica ferido após atropelar animal na BA-142

Covid-19: Casos ativos chegam a 5,2 mil na Bahia e estado registra nove mortes em 24h

Câmara Municipal de Vereadores de Brumado recebe representante do Tiro de Guerra

Psicólogo da Clínica Mais Vida fala sobre a Logoterapia e a superação dos traumas emocionais

Bahia deve receber 69 novos parques eólicos até 2026

Brumado: Prefeitura divulga atrações para o São Pedro dos Olhos D'água

Operação prende quatro pessoas envolvidas com crimes de pirataria virtual na Bahia

Caetité: Câmara abre CPI para investigar denúncias contra o prefeito

Brumado: Decreto proíbe venda de fogos de artifício em local não autorizado

Receita Federal deixa de exigir autenticação de documentos

São João com frutas e verduras é na Bete Fruits

Após abrir processo administrativo contra colega, procuradora é agredida no interior de São Paulo


Camaçari: Cachorro chora em velório de dona e comove presentes

Foto: Reprodução l G1

Um cachorro chamou a atenção no velório da tutora dele em Camaçari. Toy, como o animal é chamado, ficava ao lado do caixão de Luzinete Lopes Diniz e não parava de chorar. Ele também não deixava ninguém chegar perto do caixão. Luzinete Diniz morreu vítima de infarto na última quarta-feira (28). Horas depois, parentes e amigos participavam do velório na casa da idosa, no bairro do Mangueiral. Segundo o G1, amigos de Luzinete Diniz contaram que a tutora e o cachorro eram sempre vistos juntos. Diniz, que era testemunha de Jeová, levava o cachorro para o culto que a aguardava do lado de fora para voltar para casa. Situação semelhante também ocorria quando ela ia ao supermercado, e o cachorro ficava do lado de fora na espera.Toy foi adotado por Luzinete Diniz desde quando era filhote e o tratava como membro da família. Um dos presentes e amigo da família, Jailson Santos, usou as redes sociais para descrever o que viu e o tocou. "O dia hoje amanheceu triste com o falecimento de dona Luzinete, Testemunha de Jeová, como era conhecida, pessoa muito querida. E o que mais estou impressionado é com o desespero desse cachorro da família, parecendo que estava entendendo que a dona estava falecida, chorando como se fosse uma pessoa quando perde um ente querido, não queria deixar ninguém chegar próximo ao caixão", relatou. 



Comentários

    Nenhum comentário, seja o primeiro a enviar.

Deixe seu comentário