ÚLTIMAS NOTÍCIAS:

Vila Nova vence Magnesita e leva o título do Campeonato Brumadense 2022

Cresce desinteresse do eleitor brasileiro pelo voto, aponta pesquisa

Psicólogo da Clínica Mais Vida fala sobre o sentido da vida segundo Viktor Frankl

Amado Batista leva multidão em show no São Pedro de Guajeru

Avião cai e assusta moradores na Chapada Diamantina

Sessão ordinária desta segunda-feira (4/07) tem aprovação de textos importantes à comunidade brumadense

Jovem de 16 anos é morto a tiros dentro da rodoviária de Vitória da Conquista

Humorista do SBT faz piada de criança com hidrocefalia e é demitido da emissora

Prefeitos de todo o país vão a Brasília em manifestação contra propostas do governo federal

Preço do botijão de cozinha nas refinarias aumentou mais de 600% entre 2002 e 2021

Caminhão desgovernado tomba em frente a rodoviária da região e deixa motorista ferido

Tanhaçu: Homem de 38 anos morre após levar choque em freezer

Casos de Covid sobe e Brumado volta a registrar óbito por conta da doença

Guanambi: Retorno das aulas na rede municipal é adiado por causa de casos de Covid-19

PM mata irmã após discussão e é presa pelo próprio marido no RJ

Casos de varíola dos macacos chegam a 76 em todo o país, diz Ministério da Saúde

Negros são a maioria das vítimas de crimes violentos no Brasil, mostra levantamento

Bahia registra 3.480 novos casos de Covid e mais cinco mortes em 24h

Lutando pelo título do Campeonato Brumadense, Magnesita e Vila Nova se enfrentam neste domingo (3)

Anagé: Motociclista de 27 anos fica ferido após acidente na BA-262


Sesab também condena medicamentos sem eficácia científica e utilizados por médicos da Bahia

Foto: Divulgação

Após a Associação Médica Brasileira (AMB) divulgar boletim na última terça-feira (23) condenando o uso de remédios que fariam parte do chamado "tratamento precoce" contra a covid-19, mas sem comprovação científica de eficácia contra a doença. O secretário estadual de saúde da Bahia, Fábio Vilas-Boas, também fez um alerta sobre o risco de usar medicamentos sem eficácia comprovada para o tratamento da Covid-19. Ele citou como exemplo os casos de pessoas que tem tomado Ivermectina e desenvolvido doenças como hepatite, necrose hepática e falência hepática, levando à necessidade de transplante de fígado. “Na dose que vem sendo preconizada para a Covid, a Ivermectina faz mal. Ela tem causado hepatite, necrose hepática e falência ou insuficiência hepática. Algumas pessoas precisaram ser transplantadas de urgência. No Brasil, como não existe transplante de urgência, as pessoas estão morrendo intoxicadas por Ivermectina. Não tem benefício nenhum”, destacou. Para o secretário, o tratamento precoce com essas drogas tem sido um verdadeiro desastre. No município de Brumado, o prefeito municipal, Eduardo Lima Vasconcelos (PSB) e por meio de uma carta aberta à população, cerca de 16 médicos também recomendam o tratamento precoce, mesmo sem a comprovação científica.



Comentários

    Nenhum comentário, seja o primeiro a enviar.

Deixe seu comentário