ÚLTIMAS NOTÍCIAS:

Brumado: Morre João Souza, aos 80 anos, pai do editor do Achei Sudoeste

Aracatu: Vereadores denunciam prática de nepotismo na prefeitura

Caminhão é recuperado após identificação de roubo pelo sistema da RotSat

Em busca de votos, candidatos ao governo visitam mais de 20 municípios durante São João

Reconhecimento facial ajuda na captura de 12 foragidos nos festejos de São João na Bahia

Professor de 42 anos morre atropelado no município de Caculé

OMS diz que, 'no momento', varíola dos macacos não é uma emergência de saúde

PM morre em acidente envolvendo carro e motocicleta na BR-030, em Brumado

Bahia tem 6,1 mil casos de Covid-19 e 83% das UTIs pediátricas estão ocupadas

Novo presidente da Petrobras teve nome aprovado com ressalvas

Confira os especialistas da semana na Clínica Mais Vida em Brumado


Brumado: Administrador de cemitérios relata filas de enterros no mês de março

Foto: Luciano Santos l 97NEWS

Em entrevista ao site 97NEWS, o administrador de cemitérios de Brumado, Américo Brito, o seu "Beco" relatou filas de enterros de vítimas da Covid-19 no mês de março. Segundo ele, a falta de equipe pela Prefeitura atrasa o trabalho em um momento de alta demanda pelo aumento do número de óbitos na pandemia. No último dia 15 de março, a cidade registrou 7 óbitos em 24 horas (veja aqui). No sábado, três dias antes, a Capital do Minério já havia registrado quatro óbitos em 24 horas. Já no dia 18 de março foram três óbitos em 24 horas (veja aqui). Com o aumento de mortes na cidade, seu Beco chegou a afirmar que faltaram covas durante sepultamentos. "Muitos não querem enterrar na terra, eles [parentes das vítimas] querem na gaveta, mas não temos funcionários pra essa demanda", disse Américo durante o pico de mortes na última semana. Já neste final de semana, os óbitos caíram em Brumado. Entre sexta-feira (19) e domingo (21), a cidade registrou um óbito no sábado, dia 20. Nesse mesmo dia, os casos ativos saltaram de 649 na sexta para 704 no sábado, ou seja, 55 pacientes testaram positivo para a doença em 24 horas. Ainda sobre os sepultamentos nos cemitérios de Brumado, o administrador chamou a atenção da população e pediu para que todos se cuidem. "Essa doença não é brincadeira, se vocês não se cuidarem a morte vem, e o final será sempre o mesmo, embaixo da terra sem distinção de cor, raça ou condição financeira", disse Américo Brito, o seu Beco de 84 anos.



Comentários

    Nenhum comentário, seja o primeiro a enviar.

Deixe seu comentário