ÚLTIMAS NOTÍCIAS:

Mortes de profissionais da saúde por Covid-19 despencam após vacina, indicam estudos

Brumado: Homem tenta assaltar supermercado com 'garrucha' e é contido por populares

Brumado registra quatro óbitos de coronavírus em 24h

Jovem de 20 anos morre após acidente entre motocicleta e carro na BA-262, trecho entre Brumado e Aracatu

Brumado: Surto de Covid-19 atinge o legislativo brumadense, diz vice-presidente da Câmara

‘Ministério não tem vara de condão para resolver todos os problemas’, diz Queiroga sobre falta de vacina contra covid

Vereador Beto Bonelly convida empresários de Vitória da Conquista para conhecer potencial de Brumado

Brumado: Após vazar na imprensa, prefeitura faz distrato de contrato com empresa contratada para gerenciar UTI Covid

Secretaria de Saúde divulga calendário de vacinação para idosos a partir de 64 anos

Nova Lei do gás trás novas regras para o setor

Conselho Tutelar denuncia mãe por maus tratos em filha de 8 anos em Livramento de Nossa Senhora

Bahia: Motorista atropela vacinadora em posto de vacinação drive-thru; veja o vídeo

Brumado: Sem trabalho por conta da pandemia, cuidadora de idosos chegou alimentar filhos com farinha e água

Brumadense com guillan-barré está internada há mais de 30 dias em Vitória da Conquista à espera de medicamento

Bahia vacinou 12,5% da população contra Covid-19, diz consórcio de imprensa

Brumado: PM apreende homem e adolescente com drogas na Praça da Cebola

presidente da Câmara de Brumado é transferido para Vitória da Conquista

Bamin vence leilão da Fiol e retomará obra com aplicação de R$ 3,3 bilhões

Brumado confirma três mortes de Covid-19 em 24h

Novo lote com mais de 280 mil vacinas contra a Covid-19 chega à Bahia


Brumado: Cabos e fios soltos preocupam moradores do bairro São José

Foto: Luciano Santos l 97NEWS

A enorme quantidade de fios caídos em calçadas e ruas de Brumado tem preocupado os moradores da cidade. Todos temem que alguém possa se ferir ao tocar as fiações, de telefonia e de fibra ótica. Por onde se anda na Capital do Minério, nos bairros ou no centro, pode se ver fiações caídas ou soltas. No bairro São José, segundo o morador Alexandre Silva, existem fiações soltas em diversos locais, na porta de escola e em frente aos comércios. “Tem fiação caída há mais de um ano e meio e ninguém toma as devidas providências. Um idoso, um adulto e até crianças podem morrer eletrocutadas se esbarrar nessas fiações. Alguém tem que tomar alguma providência”, cobrou. Como são tantos fios caídos pela cidade, alguns moradores ou comerciantes, fazem “gambiarras” para manter a fiação numa altura que não coloque em risco as pessoas. 

Foto: Luciano Santos l 97NEWS

Na Rua Sandra Batista no bairro São José, os moradores tiveram que improvisar uma sinalização com sacolas para que motociclistas não sofram acidentes com fios dependurados. "Desde ontem [24] meio dia que esse fio ta assim aqui, já afetou até a iluminação do poste, que não acende mais", conta. Para passar com o seu veículo, Neto Silva teve que segurar o fio com uma das mãos na Rua Padre Cicero. "Isso aqui é uma das necessidades que o bairro vem sofrendo. Se um motociclista passar correndo aqui e não ver esse fio, ele vai sofre um acidente", disse o morador. 

 



Comentários

  • J. Cícero Alves

    "Já houve outras situações parecidas com essa em que a população brumadense pedia uma solução , e as autoridade competentes demoraram a resolver. Na ocasião, postamos um comentário condenando a demora para se atender ao clamor da população. O fato é que não há razão para inércia da administração pública na solução dos problemas que afetam a população, quando a demora na resolução do caso põe em risco a integridade física e a própria vida das pessoas. Devido aos transtornos causados a condutores e pedestres em razão dos contratempos que enfrentam e perigos a que estão expostos conforme relatados na reportagem em questão, é necessário que o poder público se faça presente ao local com seus técnicos e equipamentos para resolver o problema que precisa, como se pode ver, de uma solução urgente. Os munícipes recolhem mensalmente uma infinidade de tributos e tarifas, esperando receber em contrapartida serviços públicos de qualidade, incluindo ruas e avenidas em bom estado de uso e conservação, com manutenção periódica das instalações públicas de qualquer natureza, a fim de que condutores e transeuntes possam nelas trafegar sem precisarem arriscar suas vidas, como ocorre com os que passam todos os dias pelos trechos das vias públicas referidas na matéria jornalística em comento. O caso demanda urgência. Trata-se de uma situação de perigo iminente, que coloca em risco a vida da população. Ou será que as autoridades competentes preferem esperar que primeiro aconteçam ali mortes para só depois resolver o problema ??!! "

Deixe seu comentário