ÚLTIMAS NOTÍCIAS:

Confira os especialistas da semana na Clínica Mais Vida em Brumado

Brumado: Homem com mandado de prisão em aberto recebe PM a tiros e fica ferido

Homem é preso por abusar das filhas de 11 e 15 anos em Santo Antônio de Jesus

Clínica Mais Vida amplia quadro de especialista em psiquiatria renovando parceria com Dr. Renato Franco

Brasil: Oposição investiga repasse de dinheiro federal para laboratórios produzirem hidroxicloroquina

Com vaga nas oitavas de final, Juazeirense já garante mais de R$ 5 milhões em premiação

Jaguaquara: Durante discussão, filha joga água fervente em mãe

Vereador Beto Bonelly parabeniza Brumado pelos 144 anos

Brumado: Município registra 20 novos casos de Covid-19 nas últimas 24h


Arcebispo de Belém é acusado de abusar quatro ex-seminaristas

Foto: Reprodução l TV Globo

O arcebispo de Belém, no Pará, Dom Alberto Taveira Corrêa está sendo acusado por quatro ex-seminaristas de usar o poder para abusá-los sexualmente em encontro privados. O susposto abuso sexual está sendo investigado pelo Vaticano e é alvo de inquérito aberto pela Polícia Civil e pedido do Ministério Público do Pará (MP-PA). De acordo com relatos divulgados no Fantástico, da TV Globo, no último domingo (3), as supostas vítimas afirmam passaram os piores dias de suas vidas na casa onde vive o Acerbispo.

 

Ele dizia: ‘Quero conversar contigo tal dia, lá em casa’, lembra um ex-seminarista. “Parecia algo inalcançável. ‘Nossa! Eu fui chamado para ir à casa do arcebispo’. Você se sente importante naquele momento”, conta outro. Na época que o crime teria ocorrido os abusos sexual e moral, os jovens tinham entre 15 a 18 anos de idade. “Era sempre sobre sexualidade”, diz vítima sobre os encontros no quarto de Dom Alberto. “O primeiro ponto que ele sempre tocava era sobre a masturbação. Era sobre toque, se eu sentia desejo, por quem que eu sentia desejo”, relata uma das suspostas vítimas que conhecey o arcebispo em 2011, quando tinha 15 anos e era coroinha. “Quando ele me tocou, na minha parte íntima, disse que aquilo ali era normal, coisa do homem. Mas, assim, eu não via maldade, porque confiei muito, por ele ser uma autoridade, também não tinha experiência. Mas aquilo foi se tornando já permanente e já mais agressivo. Ele já me recebia na porta e já ia logo pegando”, continua a suposta vítima. Ao Fantástico, o advogado do acerbispo, Roberto Lauria, disse que Dom Alberto ainda não foi ouvido pela polícia ou pelo MP, mas que está à disposição. “Obviamente que a primeira coisa a ser dita é a negativa e o repúdio a essa denúncia”, afirmou. “Nós vamos provar ao final desse inquérito que, diferentemente do que se pensa, os denunciantes não são quatro pessoas isoladas. São um grupo de pessoas que têm um profundo recalque, um profundo sentimento de vingança por Dom Alberto.” O líder religioso publicou um vídeo pata se defender das acusações. “Digo a vocês que recebi com tristeza há poucos dias informações da existência de procedimentos investigativos com graves acusações contra mim, sem que eu tenha sido previamente questionado, ouvido, ou tido qualquer oportunidade para esclarecer esses pretensos fatos postos nas acusações”, disse Alberto sobre as acusações de abuso.



Comentários

    Nenhum comentário, seja o primeiro a enviar.

Deixe seu comentário