ÚLTIMAS NOTÍCIAS:

Brumado: SMTT realiza ações na 'Semana Nacional de Trânsito 2021'

Números de Covid na Bahia não são divulgados por falha no sistema do governo federal

Município de Guanambi é condenado a indenizar donos de carro atingidos por queda de árvore

Foi preso em SP o suspeito de cometer latrocínio em Paramirim

Brumado: Parentes, amigos e colegas dão último adeus a Daniel Simurro

Osmar Botelho é o novo presidente da Auditoria Pública Cidadã Baiana

Mais de 600 mil doses de vacinas serão distribuídas na Bahia nesta terça

Brumado: Venha conhecer a loja Império Utilidades

Jornalista Daniel Simurro morre aos 58 anos em Brumado

Brumado: Há 19 dias município não registra morte por Covid-19

Guanambi: Rui entrega reforma de estrada e autoriza R$ 35 milhões em ações

Brumado: Blogueiro Daniel Simurro é internado após mal súbito em sua residência

Brumado: Sindicato dos Mineradores denuncia assédio moral em empresa de refino de talco

Brumado retoma vacinação de adolescentes com 16 e 17 anos nesta terça-feira (21)

Novas chamas atingem Chapada Diamantina entre Mucugê e Lençóis

Caetité lidera produção mineral baiana em agosto

Em carta, governadores desmentem Bolsonaro sobre alta da gasolina

Brumado: Manifestantes protestam contra Bolsonaro e prefeito Eduardo Vasconcelos em praça pública

Brumado: Após 1 ano e cinco meses, grupos de capoeira retornam com encontros em praças

Tem novidade na Gel Sol, sua representante Intelbras na Bahia


Mulheres são mais impactadas pela pandemia do que os homens, diz ONU

Foto: Reprodução l Agência Brasil

Mulheres em todo o mundo relataram que a pandemia causou o retrocesso da igualdade de gênero em alguns anos, com diversas tarefas domésticas extras surgindo. Os dados são de um relatório divulgado pela Organização das Nações Unidas (ONU). No relatório, chamado de “De quem é a vez de cuidar?” (Whoose time to care), mostrou que tanto homens quanto as mulheres tiveram aumento não remunerado de atividades. Segundo o levantamento, mulheres estão assumindo mais atividades domésticas do que os homens e ainda estão mais suscetíveis a deixar o mercado de trabalho. Tanto homens quanto mulheres relataram que gastaram mais tempo com atividades domésticas desde o início da pandemia. Entretanto, mulheres tiverem intensidade maior das tarefas extras e por período mais longo que os homens. Enquanto eles afirmam que tiveram acréscimo de 3,5 horas de trabalho doméstico em média, elas estimam que a função cresceu 5,2 horas por semana.



Comentários

    Nenhum comentário, seja o primeiro a enviar.

Deixe seu comentário