ÚLTIMAS NOTÍCIAS:

Confira os especialistas da semana na Clínica Mais Vida em Brumado

Brumado: Homem com mandado de prisão em aberto recebe PM a tiros e fica ferido

Homem é preso por abusar das filhas de 11 e 15 anos em Santo Antônio de Jesus

Clínica Mais Vida amplia quadro de especialista em psiquiatria renovando parceria com Dr. Renato Franco

Brasil: Oposição investiga repasse de dinheiro federal para laboratórios produzirem hidroxicloroquina

Com vaga nas oitavas de final, Juazeirense já garante mais de R$ 5 milhões em premiação

Jaguaquara: Durante discussão, filha joga água fervente em mãe

Vereador Beto Bonelly parabeniza Brumado pelos 144 anos

Brumado: Município registra 20 novos casos de Covid-19 nas últimas 24h


Papa Francisco defende união civil entre homossexuais

Foto: Reprodução l Gregorio Borgia/AP

O Papa Francisco afirmou, em um filme que entrou em cartaz na quarta-feira (21) na Itália, que os homossexuais precisam ser protegidos por leis de união civil. Foi a forma mais clara que Francisco já usou para falar de direitos dos LGBTIs. "As pessoas homossexuais têm direito de estar em uma família. Elas são filhas de Deus e têm direito a uma família. Ninguém deverá ser descartado ou ser infeliz por isso", diz ele no documentário "Francesco". "O que precisamos criar é uma lei de união civil. Dessa forma eles são legalmente contemplados. Eu defendi isso", ele afirmou. A fala do papa surge na metade do filme. Ele discorre sobre temas com os quais se importa, como o ambiente, pobreza, migração, desigualdade racial e de renda e pessoas mais afetadas por discriminação. O Papa Francisco já demonstrou ter interesse em dialogar com católicos LGBTIs, mas geralmente suas mensagens são a respeito de acolher esses fiéis. Em 2014, o Papa Francisco deu entrevista ao jornal "Corriere della Sera" na qual disse que a Igreja ensina que casamento é entre um homem e uma mulher. Segundo a agência RNS, ele disse que entende que governos queiram adotar a união civil para casais gays por razões econômicas. Segundo o "Corriere della Sera", o papa disse que "é preciso considerar casos diferentes e avaliar cada caso em particular". O Vaticano então clarificou que Francisco falava de forma genérica e que as pessoas não deveriam interpretar as palavras do papa além do que elas dizem, segundo a RNS. As informações são do site G1.



Comentários

    Nenhum comentário, seja o primeiro a enviar.

Deixe seu comentário