ÚLTIMAS NOTÍCIAS:

Brasil: 75% das famílias têm dívidas, aponta Mapa do endividamento

Ministério da Saúde oferece mais de 21 mil vagas para Médicos pelo Brasil

Judiciário da Bahia inaugura varas em duas cidades baianas

Novas regras da Tarifa Social devem beneficiar mais de 11 milhões de pessoas

Polícia extermina plantação com mais de 18 mil pés de maconha em Curaçá

Confira os especialistas da semana na Clínica Mais Vida em Brumado

Brumado: Divulgado o calendário de funcionamento do comércio no mês de dezembro

Mês de novembro apresentou menor número de mortes violentas na Bahia

Região Nordeste concentra quase metade das pessoas em situação de miséria, aponta IBGE

Nordeste: Comitê Científico do Consórcio recomenda cancelamento de Réveillon e Carnaval

Brumado: Após passar pela Secretaria Municipal de Esportes, Paulo Sérgio volta a presidência da LBF

Agência é explodida em Iguaí, Sudoeste do Estado

Bahia recebe 150 mil doses de vacina BCG após municípios enfrentarem desabastecimento


Piatã: Moradores denunciam mineradora por poluição em nascente de rio

Foto: Divulgação

Moradores da zona rural da cidade de Piatã, na Chapada Diamantina, denunciam que uma mineradora tem poluído as nascentes de rios locais, além de lançar no ar um resíduo em pó que causa problemas respiratórios na população. O grupo conta que a atividade extrativista no local existe há cerca de nove anos. No entanto, em 2018, as atividades foram assumidas pela mineradora Brazil Iron que tem causado transtornos para a população. A mineradora fica em um ponto mais alto da zona rural da cidade, o que facilita a propagação dos resíduos pelo ar e a contaminação dos rios locais. As nascentes mais afetadas são as do Rio da Bocaína, que também é o nome da comunidade que está sofrendo com os transtornos.

O Rio da Bocaína é um afluente, direciona água para o Rio de Contas, que tem cerca de 620 km de extensão e corta a cidade. Ele é o principal da bacia de mesmo nome, uma das maiores da Bahia. "Tem uma nascente [do Bocaína] que é bem abaixo da mineração. Ela traz água para as pessoas que ficam mais próximas do morro. Nos períodos de chuva, desce uma lama que entra na nascente e só sai barro. Não tem condições de tomar essa água. Temos idosos com problemas respiratórios que já tiveram que ir para o hospital por causa da poeira", disse uma moradora ao site G1. Os moradores relatam também que além da poluição do ambiente, a comunidade tem sofrido com a poluição sonora. Segundo a reportagem, a população já entrou em contato com a prefeitura da cidade por meio da secretaria de Meio Ambiente do município. Além disso, o Instituto do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Inema) também já foi acionado. Por meio de nota, a Secretaria de Meio Ambiente de Piatã informou que está acompanhando a situação e solicitou ao Inema uma fiscalização, que já foi feita. A secretaria ainda disse que aguarda o relatório do instituto para tomar providências com relação à mineradora. Em agosto, o grupo voltou a se reunir com representantes da empresa, que sempre pedem uma prorrogação de prazo para resolver o problema da comunidade.

 



Comentários

    Nenhum comentário, seja o primeiro a enviar.

Deixe seu comentário