ÚLTIMAS NOTÍCIAS:

Família é feita refém e torturada durante assalto na zona rural de Brumado

Morre aos 94 anos, a mãe do presidente Jair Bolsonaro

Suspeito de tráfico de drogas é preso em Guanambi

Na Bahia, 283 servidores que não comprovaram vacinação serão afastados por 90 dias

Criança que teve parada cardíaca horas após se vacinar tem doença rara, diz investigação

Brumado: Ambulância atropela e mata cavalo na BA-262

36 agências bancárias da Bahia fecham temporariamente após surto de Covid-19

Ataque hacker ultrapassa 24 horas e sites do governo ainda estão fora do ar

Dr. Igor Malaquias foi o entrevistado do Tema Livre Podcast desta semana

Bahia: Governador anuncia redução de 3 mil para 1,5 mil pessoas em eventos

Brumado: Presidente da Câmara testa positivo para Covid pela 3ª vez

Policiais civis aprovam estado de greve na Bahia

Site da Secretaria de Segurança Pública da Bahia é hackeado

Prefeitura de Brumado vai iniciar reformas em casas atingidas pelas chuvas

Brasil registra 6 vezes mais casos diários de covid-19 que em dezembro

Brumado registra 36 novos casos de coronavírus em 24h

Homem é preso suspeito de tráfico de drogas em Rio do Pires

Turismo nacional fechou novembro com faturamento de R$ 14,7 bilhões

Casal com criança de colo é flagrado com 14 kg de maconha e cocaína na Bahia

Matrícula na rede estadual de ensino começa na próxima segunda


Polícia Civil faz operação contra empresa que deixou de entregar respiradores a municípios da Bahia

Foto: Divulgação l Polícia Civil

Três pessoas foram presas na manhã desta segunda-feira (1º) durante uma operação da Polícia Civil da Bahia contra a empresa que vendeu e não entregou respiradores ao Consórcio do Nordeste. Além das prisões, a operação Ragnarok cumpre 15 mandados de busca e apreensão em Salvador, São Paulo, Rio de Janeiro e Brasília. As informações são do site G1. De acordo com a polícia do Distrito Federal, foram cumpridos dois mandados de prisão temporária em um hotel e dois de busca e apreensão em um residencial de Brasília. A outra prisão ocorreu no Rio de Janeiro. A polícia informou que o grupo alvo da ação é especializado em estelionato, através de fraude na venda de equipamentos hospitalares. Conforme apontam as investigações, a empresa recebeu R$ 48 milhões por um conjunto de respiradores, não os entregou e ainda não devolveu o recurso. O grupo foi descoberto após denúncia do Consórcio Nordeste, que tentou adquirir respiradores para o combate ao coronavírus. A empresa alvo da ação se apresentava como revendedor dos produtos. A operação, coordenada pela Secretaria da Segurança Pública da Bahia (SSP-BA), através da Superintendência de Inteligência, conta com a participação da Polícia Civil da Bahia, através da Coordenação de Crimes Econômicos e Contra Administração Pública, da Polícia Civil de SP, do Distrito Federal e do Ministério Público da Bahia. A polícia detalhou que mais de 100 contas bancárias vinculadas ao grupo foram bloqueadas pela Justiça. A Justiça já havia determinado o bloqueio dos bens da empresa HempShare, que deixou de entregar os respiradores comprados por R$ 48,7 milhões aos estados nordestinos. A decisão ocorreu após uma ação aberta pelo Consórcio. A dona da empresa, que teve os bens bloqueados, informou que fez o contrato pra importar respiradores da China, mas que durante as negociações percebeu que os equipamentos fabricados no país apresentavam problemas. A empresa afirmou que, em contrapartida, ofereceu respiradores produzidos no Brasil, testados pela Anvisa e mais baratos. Ainda segundo a empresa, caso a substituição fosse aceita, ao invés de 300, mais de 400 respiradores seriam entregues. O governo do estado nega que haja certificação dos respiradores pela Anvisa. 



Comentários

    Nenhum comentário, seja o primeiro a enviar.

Deixe seu comentário