ÚLTIMAS NOTÍCIAS:

Brumado: SMTT realiza ações na 'Semana Nacional de Trânsito 2021'

Números de Covid na Bahia não são divulgados por falha no sistema do governo federal

Município de Guanambi é condenado a indenizar donos de carro atingidos por queda de árvore

Foi preso em SP o suspeito de cometer latrocínio em Paramirim

Brumado: Parentes, amigos e colegas dão último adeus a Daniel Simurro

Osmar Botelho é o novo presidente da Auditoria Pública Cidadã Baiana

Mais de 600 mil doses de vacinas serão distribuídas na Bahia nesta terça

Brumado: Venha conhecer a loja Império Utilidades

Jornalista Daniel Simurro morre aos 58 anos em Brumado

Brumado: Há 19 dias município não registra morte por Covid-19

Guanambi: Rui entrega reforma de estrada e autoriza R$ 35 milhões em ações

Brumado: Blogueiro Daniel Simurro é internado após mal súbito em sua residência

Brumado: Sindicato dos Mineradores denuncia assédio moral em empresa de refino de talco

Brumado retoma vacinação de adolescentes com 16 e 17 anos nesta terça-feira (21)

Novas chamas atingem Chapada Diamantina entre Mucugê e Lençóis

Caetité lidera produção mineral baiana em agosto

Em carta, governadores desmentem Bolsonaro sobre alta da gasolina

Brumado: Manifestantes protestam contra Bolsonaro e prefeito Eduardo Vasconcelos em praça pública

Brumado: Após 1 ano e cinco meses, grupos de capoeira retornam com encontros em praças

Tem novidade na Gel Sol, sua representante Intelbras na Bahia


Gestores devem avaliar condições antes do fim do isolamento social, afirma ministro da Saúde

Foto: Luciano Santos l 97NEWS

O Brasil tem registrado maior número de casos confirmados do coronavírus. Com isso, boa parte dos estados da Federação tem apostado em prolongar as medidas de distanciamento ou isolamento social. No entanto, na contramão, algumas cidades começam a reduzir o isolamento, por questões profissionais ou pessoais. O ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, diz que esse movimento vai acontecer, mas os gestores devem ficar atentos à infraestrutura de saúde e aos dados de comportamento da doença antes de mudar as restrições. “Se isso for acelerado, temos locais onde podem faltar equipamentos de proteção, recursos humanos e respiradores. Se fizermos de uma maneira menos acelerada, poderemos ganhar imunidade com tempo um pouquinho maior. Dessa dosagem entre imunidade coletiva, imunidade individual e capacidade de atendimento, desse tripé, nós podemos saber o nosso avanço. E só teremos uma situação tranquila, quando a ciência disser: temos uma vacina.” Para o ministro da Saúde, as atividades devem ser retomadas com segurança, evitando explosão de casos.

 



Comentários

    Nenhum comentário, seja o primeiro a enviar.

Deixe seu comentário