ÚLTIMAS NOTÍCIAS:

Jornalista Daniel Simurro morre aos 58 anos em Brumado

Brumado: Há 19 dias município não registra morte por Covid-19

Guanambi: Rui entrega reforma de estrada e autoriza R$ 35 milhões em ações

Brumado: Blogueiro Daniel Simurro é internado após mal súbito em sua residência

Brumado: Sindicato dos Mineradores denuncia assédio moral em empresa de refino de talco

Brumado retoma vacinação de adolescentes com 16 e 17 anos nesta terça-feira (21)

Novas chamas atingem Chapada Diamantina entre Mucugê e Lençóis

Caetité lidera produção mineral baiana em agosto

Em carta, governadores desmentem Bolsonaro sobre alta da gasolina

Brumado: Manifestantes protestam contra Bolsonaro e prefeito Eduardo Vasconcelos em praça pública

Brumado: Após 1 ano e cinco meses, grupos de capoeira retornam com encontros em praças

Brumadenses são presos em Goiás por roubo de carga avaliada em R$ 180 mil

Brumado vacina contra a Covid nesta segunda-feira, pessoas de 12 a 17 anos com comorbidades

Bombeiros continuam em combate a incêndios na Bahia

Brumado: Mulher fica ferida após acidente entre carro e moto no bairro Santa Tereza

Vítima de câncer, morre ator Luis Gustavo aos 87 anos

Confira os especialistas da semana na Clínica Mais Vida em Brumado


Álcool gel, máscaras e termômetros começam a desaparecer de farmácias em Brumado

Foto: Luciano Santos l 97NEWS

Após a confirmação de um caso de uma mulher de 35 anos infectada com coronavírus em Brumado, as farmácias da cidade começaram a registrar uma corrida por álcool gel e máscaras médicas descartáveis. Muitas das lojas consultadas na Capital do Minério já estão com os itens em falta. O gerente de uma farmácia na Av. Antônio Mourão Guimarães, diz que, desde o dia 20 deste mês não tem mais álcool em gel, e a busca por máscaras subiu 70%, quando o caso foi confirmado. "Acabamos com nosso estoque e ainda não conseguimos repor", diz. Outro item bastante procurado por lá são os termômetros. Em uma semana, foram vendidos várias unidades de equipamentos digitais de medição. Em relação às máscaras, a reportagem consultou cinco farmácias espalhadas pela cidade. Em todas elas o produto já estava esgotado. "Aqui, está em falta há algumas semanas. Tivemos que colocar um aviso na frente informando a falta de álcool e máscaras", afirma um funcionário de uma loja na Rua Coronel Tibério Meira. Em supermercados, os frascos de 1 litro de álcool etílico de 70°, ainda podem ser encontrados pelo valor de R$ 8,00. "A procura subiu muito nestes dias por causa dessa história do coronavírus", disse o dono de um supermercado na Av. Centenário. Algumas farmácias do centro comercial, os clientes encontraram o álcool em gel, mas reclamaram bastante do preço. A unidade de 400g por exemplo, era vendida antes do Covid-19 pelo valor de R$ 11,90. Hoje, nas poucas farmácias que ainda possuem o produto, o valor chega a R$ 17,00. Os donos dos estabelecimentos alegam que o produto subiu nas fábricas, tanto que na comparação entre o mês de março (até o dia 25) com o mesmo período do ano passado, houve uma elevação de 150% nas vendas de álcool gel. Em relação às máscaras, o aumento foi de apenas 10%.



Comentários

    Nenhum comentário, seja o primeiro a enviar.

Deixe seu comentário