ÚLTIMAS NOTÍCIAS:

Brumado: SMTT realiza ações na 'Semana Nacional de Trânsito 2021'

Números de Covid na Bahia não são divulgados por falha no sistema do governo federal

Município de Guanambi é condenado a indenizar donos de carro atingidos por queda de árvore

Foi preso em SP o suspeito de cometer latrocínio em Paramirim

Brumado: Parentes, amigos e colegas dão último adeus a Daniel Simurro

Osmar Botelho é o novo presidente da Auditoria Pública Cidadã Baiana

Mais de 600 mil doses de vacinas serão distribuídas na Bahia nesta terça

Brumado: Venha conhecer a loja Império Utilidades

Jornalista Daniel Simurro morre aos 58 anos em Brumado

Brumado: Há 19 dias município não registra morte por Covid-19

Guanambi: Rui entrega reforma de estrada e autoriza R$ 35 milhões em ações

Brumado: Blogueiro Daniel Simurro é internado após mal súbito em sua residência

Brumado: Sindicato dos Mineradores denuncia assédio moral em empresa de refino de talco

Brumado retoma vacinação de adolescentes com 16 e 17 anos nesta terça-feira (21)

Novas chamas atingem Chapada Diamantina entre Mucugê e Lençóis

Caetité lidera produção mineral baiana em agosto

Em carta, governadores desmentem Bolsonaro sobre alta da gasolina

Brumado: Manifestantes protestam contra Bolsonaro e prefeito Eduardo Vasconcelos em praça pública

Brumado: Após 1 ano e cinco meses, grupos de capoeira retornam com encontros em praças

Tem novidade na Gel Sol, sua representante Intelbras na Bahia


Convulsões febris neuropediatra da Clínica Mais Vida esclarece dúvidas sobre o assunto

Foto: Divulgação

As convulsões febris ocorrem em cerca de 2 a 5% das crianças com menos de 6 anos; a maioria ocorre entre 6 e 36 meses de idade. Mesmo falando e orientando pais e familiares sobre a benignidade da crise de convulsão febril, que dura pouco tempo, que não é algo muito grave. Mesmo assim, durante o ataque, os sintomas apresentados pela criança podem ser desesperadores para quem os presencia. A convulsão febril acontece com sintomas de perda da consciência da criança, abalos generalizados nos braços e pernas, virada dos olhos para cima e dificuldade de respiração) que costuma durar poucos minutos, associadas a elevação rápida da temperatura corpórea (febre) devido a alguma infecção, como resposta do cérebro desta criança à condição e à velocidade de elevação da febre As crises convulsivas febris podem ser simples, quando duram de segundos até 10-15 minutos, e não voltam em um período de 24 horas ou menos. As crises que duram mais de 15 minutos, onde os abalos ocorrem em um lado do corpo da criança apenas ou recorrem (voltar a acontecer) em menos de 24 horas da primeira, chamamos de convulsão febril  complexa, e podem indicar uma evolução mais séria. Se houver histórico de famil iares com o mesmo problema, o alerta também deve ser dado. É muito importante a mãe, pai ou familiar documentar se houve febre e o seu nível (medir a temperatura com uso do termômetro, no momento do ocorrido), pois a convulsão febril deve ser diferenciada de uma convulsão sem febre. Esta dúvida não deve existir. Depois do término da crise, orienta-se a procura de um especialista a fim de verificar o que causou a febre (local da infecção), e tratar este foco o quanto antes. A prevenção é a melhor forma de cuidar da sua saúde! Para maiores informações, ligue: (77) 3441-4545 / (77) 99951-4755 / (77) 99180-9496 / (77) 3441-4500 / (77) 9.9989-6868.



Comentários

    Nenhum comentário, seja o primeiro a enviar.

Deixe seu comentário