ÚLTIMAS NOTÍCIAS:

Distrito Federal registra primeiro caso de raiva humana desde 1978

Brumado: Presidente da Câmara diz que foi ameaçada após liberar tribuna para deputado

Acusados de feminicídio podem ser obrigados a pagar despesas do INSS

Vila Nova vence Magnesita e leva o título do Campeonato Brumadense 2022

Cresce desinteresse do eleitor brasileiro pelo voto, aponta pesquisa

Psicólogo da Clínica Mais Vida fala sobre o sentido da vida segundo Viktor Frankl

Amado Batista leva multidão em show no São Pedro de Guajeru

Avião cai e assusta moradores na Chapada Diamantina

Sessão ordinária desta segunda-feira (4/07) tem aprovação de textos importantes à comunidade brumadense

Jovem de 16 anos é morto a tiros dentro da rodoviária de Vitória da Conquista

Humorista do SBT faz piada de criança com hidrocefalia e é demitido da emissora

Prefeitos de todo o país vão a Brasília em manifestação contra propostas do governo federal

Preço do botijão de cozinha nas refinarias aumentou mais de 600% entre 2002 e 2021

Caminhão desgovernado tomba em frente a rodoviária da região e deixa motorista ferido

Tanhaçu: Homem de 38 anos morre após levar choque em freezer

Casos de Covid sobe e Brumado volta a registrar óbito por conta da doença

Guanambi: Retorno das aulas na rede municipal é adiado por causa de casos de Covid-19

PM mata irmã após discussão e é presa pelo próprio marido no RJ

Casos de varíola dos macacos chegam a 76 em todo o país, diz Ministério da Saúde

Negros são a maioria das vítimas de crimes violentos no Brasil, mostra levantamento


Ministério da saúde incorpora ao SUS medicamento para câncer de próstata

Foto: Reprodução

O Ministério da Saúde anunciou, por meio do Diário Oficial da União de quinta-feira (25), que vai incorporar a abiraterona ao Sistema Único de Saúde (SUS). O medicamento auxilia no tratamento do câncer de próstata metastático, e vai servir para os pacientes em que a doença é resistente à castração, de acordo com a Assistência Oncológica no SUS. A castração no tratamento do câncer de próstata hormonal foi criada para substituir a castração cirúrgica. Nela, é utilizado o uso de agonistas do hormônio liberador de hormônio luteinizante (LH-RH), e os paciente são submetidos a uma terapia de privação androgênica. O medicamento serve para ser utilizado caso essa terapia falhe. O medicamento foi testado em três estudos, e, em comparação com o tratamento convencional, o número de óbitos e de casos de progressão da doença diminuiu consideravelmente. O câncer de próstata, de acordo com o Instituto Nacional de Câncer (Inca) é o segundo mais comum entre os homens, atrás apenas do câncer de pele não-melanoma. Em 2018, o número de casos, segundo o instituto, foi de aproximadamente 68 mil. Em 2017, o número de mortes, de acordo com dados do Sistema de Informação sobre Mortalidade (SIM), foi de 15.391. De acordo com a portaria publicada pelo Diário, o prazo máximo para efetivar a oferta do medicamento ao SUS é de 180 dias a partir desta quinta-feira (25). 



Comentários

    Nenhum comentário, seja o primeiro a enviar.

Deixe seu comentário