ÚLTIMAS NOTÍCIAS:

PM acaba com festa de 'paredão' e apreende equipamento de som em Brumado

SSP-BA aponta queda de 62,5% de número de latrocínios em agosto

Brumado: Jovem morre em colisão entre moto e carro no bairro Santa Tereza

Brumado confirma 16º óbito por coronavírus e quase 200 casos ativos da doença

Bahia: PRF apreende tabletes de cocaína estampados com foto de Pablo Escobar

Brumado: Município registra 34 novos casos de Covid-19 nas últimas 24h

Brasil chega a 140 mil mortes e casos da Covid-19 em 24h tem leve queda

Confira os especialistas da semana na Clínica Mais Vida em Brumado

LAB: Vamos cuidar daqueles que amamos

Rui autoriza retomada do transporte coletivo intermunicipal em toda a Bahia

Covid-19: Pandemia não impede campanha 'corpo a corpo' entre candidatos em Brumado

Brumado: Há 14 anos filha procura por mãe que separou do pai quando ela ainda tinha 12 anos

BA-148: Motorista fica ferido após colisão entre carro e caminhão em Livramento de Nossa Senhora

BA-262: Queimada às margens de rodovia chama a atenção de motoristas, veja

1.185 pacientes foram curados da Covid-19 em Brumado


Aplicativo que envelhece ameaça a privacidade; dizem especialistas de segurança

Foto: Reprodução

O aplicativo FaceApp se tornou a grande sensação do momento, levando milhões de pessoas por todo o mundo a usarem a tecnologia de reconhecimento facial para mostrarem aos seus amigos como seriam se fossem mais velhos ou mais novos. Porém, também têm surgido vários avisos e suspeitas de roubo de dados privados através da FaceApp, notícias que foram recebidas com alguma apreensão dado que o aplicativo lidera as tabelas do Google Play e da App Store. Estas preocupações não são de agora e já duram desde 2017, quando o FaceApp também fez sucesso com outro filtro de imagem. Segundo a ABC Austrália, o app foi criada por developers russos entre os quais Yaroslav Goncharov, que em 2017 contou que o app fazia uso de “redes neurais para modificar qualquer fotografia ao mesmo tempo que a mantinha fotorrealista”. Apesar de ser bem-sucedida naquilo que se propõe a fazer, o FaceApp se tornou o alvo de especialistas em privacidade que apontaram que o aplicativo “pedia mais direitos daquilo que precisava para oferecer o serviço”. “A resposta curta: não usem”, afirmou o presidente da Fundação de Privacidade da Austrália, David Vaile. “É impossível dizer o que acontece quando carrega [uma fotografia] e isso é um problema. Eles dizem que permite o envio para qualquer lugar e para quem queira, desde que haja uma ligação podem fazer muita coisa”. O FaceApp alcançou novamente o status de viral do momento mas, dado que voltou a levantar questões sobre privacidade, é natural que volte a ser visto com desconfiança.



Comentários

    Nenhum comentário, seja o primeiro a enviar.

Deixe seu comentário